Greve dos caminhoneiros termina após promessa de reunião com o governo

por Blog do Caminhoneiro

Uma reunião entre o setor do transporte de cargas de Mato Grosso, Abiove, Famato e Aprosoja Mato Grosso deverá ser realizada na próxima segunda (23) ou terça-feira  (24) em Cuiabá. O encontro para tratar um preço mínimo de frete está sendo intermediado pelo Governo de Mato Grosso. A audiência ficou acordada durante reunião do setor com o vice-governador, Carlos Fávaro.

Os caminhoneiros liberaram as rodovias em Mato Grosso na manhã desta quarta-feira, 18 de janeiro, após reunião com o senador José Medeiros é o superintendente da PRF, Arthur Nogueira. Em torno de 10 mil caminhões estão parados desde o dia 13 no Estado.

De acordo com Gilson Baitaca, um dos representantes dos transportadores, a reunião entre o setor do transporte, agricultura, tradings e Abiove servirá para definir diversos pontos, como as políticas para o transporte que deve ser implementada, além da tabela, incentivos fiscais, tributação, entre outros.

“O importante é que a Abiove se comprometeu a estar aqui”, pontua Gilson Baitaca.

O vice-governador Carlos Fávaro, destaca que a pauta do transporte de cargas é uma pauta de “problemas” vividos pelo setor hoje. “E são problemas gravíssimos inviabilizando um setor importante para Mato Grosso, que roda a economia do Estado que é o transporte. Nós temos a sensibilidade de dizer que precisamos encontrar uma solução. A principal pauta seria um tabelamento mínimo de frete, mas há uma inconstitucionalidade, segundo a Sefaz, para estabelecermos isso. Porém, não há problema nenhum de momentaneamente acharmos outras alternativas”, pontua o vice-governador Carlos Fávaro.

Segundo Fávaro, a reunião na próxima semana servirá para entender que todos os elos precisam estar juntos para não deixar um elo quebrar e causar grandes danos em um futuro próximo. “Vamos começar a discutir uma pauta positiva para que possamos superar esse momento difícil que vive o transporte mato-grossense e brasileiro”.

Fávaro ressalta ainda que apesar de estar ligado a um setor econômico de Mato Grosso, a pauta dos caminhoneiros e empresários do segmento é uma pauta federal. “O principal problema deles é que a pauta é federal. Existe um projeto de lei do Governo Federal que está tramitando no Congresso e que daí pode resolver a situação, que é a pauta do preço mínimo de frete. Enquanto isso não ocorre no Governo Federal, o Governo de Mato Grosso buscará algo emergencial e vamos passar a discutir. O Governo nunca foi omisso de estar discutindo nas outras paralisações. Nós recebemos, nós demos encaminhamentos naquele momento, mas a pauta principal depende de uma legitimidade, de uma lei que precisa ser feita no Congresso nacional para garantir o preço mínimo do frete. Enquanto isso não tem nós precisamos trabalhar pautas emergenciais dentro do Estado”.

Fim da paralisação e impactos

A paralisação encerrou ao final da manhã desta quarta-feira, após o senador José Medeiros garantir levar a pauta para o presidente Michel Temer durante audiência nesta quinta-feira, 19. Medeiros garantiu ainda aos caminhoneiros e empresários que apoiará o Projeto de Lei 528/2015 a partir do momento em que o mesmo chegar no Senado.

Foram seis dias de paralisação na BR-364 em Rondonópolis. O movimento levou as multinacionais a operarem em seu limite. A Bunge informou que a unidade durante o período operou com “limitações, já que o bloqueio está na portaria de veículos, tanto na entrada quanto na expedição de caminhões”.

Já a ADM chegou a paralisar suas operações na unidade fabril de processamento de grãos localizada em Rondonópolis. “A empresa continua atendendo clientes de diferentes locais, mas está com navios esperando para serem carregados no Porto de Santos (SP), e a greve está impactando significativamente a cadeia de produção na área local. A ADM espera que o problema seja resolvido o mais rápido possível para que possa retomar normalmente suas operações”, disse por meio de nota a ADM.

Crise

O setor do transporte de cargas, principalmente de grãos, vem passando por uma crise há três anos aproximadamente, tendo o seu “enterro do segmento” com a quebra da safra 2015/2016, onde somente entre soja e milho foram quase 9 milhões de toneladas a menos produzidas .

Em 2015, os caminhoneiros em Mato Grosso chegaram entre os meses de fevereiro e março a bloquear as principais rotas de escoamento da produção de grãos. Em todo o país foram realizados manifestos em prol de melhores condições de trabalho e um frete que cubra os custos de produção.

O projeto de lei 528/2015 foi criado após as paralisações realizadas no primeiro semestre de 2015, aonde em Mato Grosso todas as principais rotas de escoamento da produção agropecuária com destino aos portos chegaram a ficar bloqueadas. O texto visa o estabelecimento de uma tabela de preço mínimo para o frete, que hoje não cobre os custos de operação do setor de transporte de cargas.

Fonte: Agro Olhar

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-3532-4235

84 comentários
0

Artigos relacionados

84 comentários

Milton Julio 22/01/2017 - 20:09

Promessa dê novo vocês acreditam não é a primeira vez

Reply
Jose Antonio Nogueira 22/01/2017 - 15:51

OQUE SE OUVE FALAR EM TODOS OS CANTOS DO BRASIL.É QUE MT DESTABILIZOU AS GREVES DO BRASIL..

Reply
Jose Antonio Nogueira 22/01/2017 - 15:49

QUEM GOSTA DE PROMESSA É SANTO,SERA QUE VIRA ALGUMA COISA??

Reply
Danniel D'oliveira 22/01/2017 - 15:40

Kkkk

Reply
Wesley Gazzana 22/01/2017 - 15:08

Normal mais uma vez somos enrrolado pelo governo e os trouxa acredita de boa

Reply
Everton Johnny 22/01/2017 - 13:08

Tudo troxas.fizeram isso por causa da safra , os cu sujo acreditou .depois que acaba a safra eles vão falar que não pode fazer nada pra categoria e ponto final .

Reply
Claudio Cunha 22/01/2017 - 14:50

Reply
Claudio Cunha 22/01/2017 - 14:51

E isto aí e verdade eles vão se lascar de novo não cansa de. Tomá no

Reply
Guilherme Andrade Pinheiro 22/01/2017 - 12:52

Kkkkkk é por isso que não acredito em mais nada desse movimento caíram todos na lábia de político ainda mais de cara que deu um golpe no país.

Reply
Vilson Zink 21/01/2017 - 22:23

Isto é mentira são todos mundo frocho vamos para tudo ou querem mais impostos? ????,

Reply
Moreira Romero 21/01/2017 - 19:18

Piadinha p boi dormir….

Reply
Carlos Lopes 21/01/2017 - 13:58

Bom dia

Reply
gelcimar 19/01/2017 - 23:12

a greve nao adianta em nada parem os caminhoes na porta de casa que as coisas melhoram mas infelimente tem uns morto de fome que nao aguenta esperar mas agora vai morrer de fome porque nao vai da em nada

Reply
Paulinho Alves 19/01/2017 - 18:21

Como sempre blá blá e a vida continua daqui mês vem de novo ……..

Reply
Paulo Henrique 19/01/2017 - 17:08

Eu já. Participei de várias. É pura roubada quem ganha é os sindicatos.

Reply
Rafael Melo 19/01/2017 - 17:04

Infelizmente não tem mais jeito quem guentar vai ficar quem não guentar vai sair do ramo e ir para o cabo dá inchada

Reply
Angela Biselo 19/01/2017 - 16:40

Até que tiver morto de fome aceitando acordo, por fora o resto que se dane, é assim que funciona

Reply
Angela Biselo 19/01/2017 - 16:38

Já deu pra ver no que vai dar nada.

Reply
Bruno Misquita 19/01/2017 - 16:34

Sempre falei que essas greves não dão em nada. Taí a prova.

Reply
Walter Trindade 19/01/2017 - 16:21

Vão trabalhar escravos! É isso que caminhoneiro é! Infelizmente!

Reply
Nedison Mello Mello 19/01/2017 - 16:17

Quem sabe agora a classe acorda e faz a coisa certa , todo motorista fica em porta de empresa esperando semanas aparecer uma carga , ou pra descarregar espera outra semana sem reclamar e sem ganhar nada , pois bem pq cada um não pode ficar uma semana parado na porta de suas casas curtindo suas familias e deixar os donos das cargas procurarem vcs aposto q resolveriam de vez o problema !!!

Reply
Andre Borges 19/01/2017 - 16:09

Vão quebrar a cara .vão voltar a trabalhar sem resolver nada confiar nos políticos do Brasil coitados

Reply
Rafiuskis Correa 19/01/2017 - 15:50

Tô de greve ainda

Reply
Leonir Nardi 19/01/2017 - 15:48

Quer dizer cada vez mais esta classe esta perdendo a credibilidade em fazer greve. Se soubessem a força que tem não faziam tanta palhaçada,os lideres e que ganham com isso o resto só fazendo papel de idiotas.

Reply
Elaine Rauber Silva 19/01/2017 - 15:43

Alguém pode explicar, não entendi. Esse aumento será só prá quem transporta grãos?

Reply
Paula Louise Volpini 19/01/2017 - 15:37

Violeiro da Estrada olha

Reply
Leonir Paiva 19/01/2017 - 15:26

Vdd a greve nem tinha comesado e já acabaro pura bucha cada vês fica pior a sim

Reply
Elio Pirulito 19/01/2017 - 15:18

Esse Baitaca é um babaca

Reply
Luzardo Pimentel 19/01/2017 - 15:12

Problema é que cada 1 quer fazer a greve em um dia, cada um quer uma coisa, ninguém puxa junto para o mesmo lado, fala é fácil quero ver fazer, antes de quere fazer greve tem que se conscientizar toda classes, pois se tem classe mais desunida desconheço! Um quer saber de ferra o outro, baixa o frete pra tomar, se nem nisso mudam querem mudança do que? E quer saber, se consegui algo ainda as grandes transportadora que não dão a cara a bater e que vão se beneficiar e os pequenos ficam na mesma! Triste situação, só desejo sorte a todos.

Reply
Isac Ramos 19/01/2017 - 15:09

Greve de caminhoneiro, pode abandonar já participei de várias. Levanta – se um líder quando você menos espera o cara da vendo o lado dele, depois vem com o papo que o governo vai conversar, nenhum governo leva o transporte no Brasil a sério sabe porque? Porque já sabe que as greves não dão em nada. O correto seria tudo bem! Vamos dialogar só que ninguém roda até que seja dado um veredito e confirmado junto ao ministério dos transportes e justiça para que o que foi firmado seja cumprido.

Reply
Luciane Bitencourt 19/01/2017 - 15:50

Por isso a classe está do jeito que está! Pagando pra trabalhar

Reply
Rodrigo Alves 19/01/2017 - 15:02

Reply
Rodrigo Alves 19/01/2017 - 15:01

Aqui no ES ainda não terminou

Reply
Juliano Scheibel 19/01/2017 - 14:46

Baitaca está dando gargalhadas agora porque conseguiu acertar um preço para Rondonópolis. Vai toma no cu bando de FDP. Próxima vez vo passa por cima

Reply
Marcos Kols 19/01/2017 - 14:52

Certo ele, correr atrás do frete do estado aonde ele reside. Faça o MSM meu companheiro no seu estado, para nao ser preciso vim aqui buscar a produção do nosso estado

Reply
Walter Trindade 19/01/2017 - 15:41

E quando vcs vão pra o estado dos outros baixar o frete? Que é só o que sulista sabe fazer! Aqui no Pará os fretes eram bons até o povo do Sul chegar é destruí tudo

Reply
Walter Trindade 19/01/2017 - 15:52

Essas bostas sulistas vem pra cá só pra baixar nosso frete!

Reply
Mateus Taufer 19/01/2017 - 16:15

É isso aí…mal começam e já dão pra trás, eita classe q trabalha pra perder mesmo. E pra quem nunca estudou história, ou não tem capacidade pra reconhecer, se não fosse o povo gaúcho, essas bandas daí seriam habitadas só por índios até hj, se aí existe plantio, armazenagem e transporte, em sua maior parte se deve à nós gaúchos!!!!

Reply
Juliano Scheibel 19/01/2017 - 16:39

Então tá certo. Para todo mundo dizendo que é para um bem comum e depois que Acerta o preço pra sua região termina a greve é que se foda os outros. É pra terminar se não fosse os “sulistas” como vc diz não teria nem soja e nem milho alí

Reply
Kleiser Farias 19/01/2017 - 14:46

Gente a safar só começa no final de fevereiro estão por fora essas cargas que estão saindo e estoque final nos ciclos quero ver parar no forte da safra duvido esses autônomos so parao agora pois não tem muito frete mas quando começa a safra eles querem até leva o que não cabe no caminhao

Reply
Roger Ferrari 19/01/2017 - 14:45

ñ vai dar nada dnovo…quem ñ sabe

Reply
Marcos Kols 19/01/2017 - 14:44

Criticar é fácil, agora colaborar ninguém quer. Teve reunião com governo sim, foi ontem a tarde. Ja temos uma grande chance de conseguir algo baum para nossa classe, espero que os críticos passa fome nao venha aqui para o mato grosso puchar nossos fretes

Reply
Edegar Krause 19/01/2017 - 15:06

Nao ė critica moço achei q esta greve seria para todos os estados aderirem como tava acontecendo

Reply
Jose Luiz 19/01/2017 - 14:36

Já vai ficar na promessa isso se o disse não tiver outra alta ainda.

Reply
Roberto Zeferino 19/01/2017 - 14:35

Kkkk, mais uma vez e nada será resolvido

Reply
Edegar Krause 19/01/2017 - 14:24

Nao deu pra entende quando os outros estados tavam parando termino a greve quem ganho foi só o Mato Grosso ou ta na promessa tche c fependerem d para d novo nao vao parar porque acho q ninguem entendeu nada e c perdeu a confiança

Reply
Paulo Nyari 19/01/2017 - 14:23

Quem ja recebeu dessa vez ?????

Reply
Afranio Vieira 19/01/2017 - 14:17

Kkk

Reply
Afranio Vieira 19/01/2017 - 14:17

Reply
Phyllipe Ribeiro 19/01/2017 - 14:16

Por promessas ??? Ta por fora ,,, o governo tinha qui chega lá com tudo em documentos assinados ,,, promessa de governo e msm coisa qui 0+0=1milhão

Reply
Junior Maionese 19/01/2017 - 14:09

Pelo que sei quem organizou estava é negociando com as Tradings o preço da tonelada no trecho Sinop x Rondonópolis, Assim que conseguiu fechar a estrada usando os motoristas como massa de manobra ele negociou o fim das paralisações para obter ganho somente para ele em seu trecho. alguém aí viu alguma pauta? não tinha ok. Eles usaram o desespero da categoria para conseguirem encher os bolsos e o coitado do autônomo que se foda. Nem chegaram a marcar reunião com o ministro dos transportes nada.

Reply
Rogerio Eilert 19/01/2017 - 14:37

O sindicam estava em Brasília negociando o que?

Reply
Junior Maionese 19/01/2017 - 14:40

Pelo que sei nada o sindicam nem se envolveu. foi coisa do Baitaca.

Reply
Juliano Scheibel 19/01/2017 - 14:44

O Baitaca dando uma palestra em um vídeo que eu vi. Então vamos ver. É o preço das cargas diversas. É o preço pra outros lugares e outras categorias. Então que se foda os outros? Falou a mais pura verdade

Reply
Walter Trindade 19/01/2017 - 15:42

Baitaca é um racista!

Reply
Denis Pereira 19/01/2017 - 14:06

Gente a pessoa sofre porque que quer,não vem com essa que adora a profissão sendo que não esta dando para sustentar a família,se não resolver até terça abandone a profissão e pronto,vamos nos valorizar mais chega de tanta humilhação, nos antes serem motorista somos seres humanos,não acha valorizem a cada um de nós tanto autônomo,quanto empregados, é pronto quero ver os empresários fazer oque nós fazemos,pense nos somos a maioria,é nós que damos as cartas chega

Reply
Beto Mattos Betinho 19/01/2017 - 14:03

E mais uma vez, e mais uma vez, e mais uma vez, e outras e outras paralisações, e cada dia piora mais o transporte. Tá loco.

Reply
Anderson Jesus 19/01/2017 - 14:02

Essa greve e uma piada

Reply
Avenir Fernando Marques de Araujo 19/01/2017 - 13:59

ESTOU ACABANDO DE VER QUE ESTES DIRIGENTES DE SINDICATOS DOS TRANSPORTES TBM SAO MAFIOSOS , PQ NAO FIZERAM A REUNIAO DE IMEDIATO, E DEIXARAM PARA O DIA 23, TEM COISA NESTE MEIO AI MOTORISTAS TA CHEIRANDO GOLPE DE SINDICATO .

Reply
Aline Fabio Melo Cavazzana 19/01/2017 - 13:56

Seus trouxas kkk

Reply
Rogerio Guterres 19/01/2017 - 13:56

É de promessa o governo intente menos de cumprir

Reply
Aline Fabio Melo Cavazzana 19/01/2017 - 13:56

Reply
Cristiano Souza 19/01/2017 - 13:55

Aí é mas um almento do diesel e do pedágio o governo n tão nem ai pra nossa classe, e olho q os alimentos deles só chega através de nós

Reply
Aline Fabio Melo Cavazzana 19/01/2017 - 13:54

Greve de motorista nunca vai funcionar porque basta passar um melzinho nos motoristas que eles acreditam kkkkkkk

Reply
Cleando Farias 19/01/2017 - 13:52

governo se reocupa mesmo é. com presos ladrões igual ele.kkkk

Reply
Eder Sposito 19/01/2017 - 13:52

Kkkkkkk e vcs acredito que o governo vai senta e conversa e isso va esperando

Reply
Rogerio Eilert 19/01/2017 - 13:52

Já entregou o ouro pro bandido,mais um para denigri a classe

Reply
Denis Pereira 19/01/2017 - 13:51

E simples O prazo e até terça feira se não resolver para de vez e pronto,trabalhar de graça nem relógio trabalha, chega a hora e agora terça e pronto

Reply
Cleando Farias 19/01/2017 - 13:50

vai dar nada novamente.

Reply
Paulo Malagueta Câmara 19/01/2017 - 13:45

Kkkkkkk kkkkkkk kkkkkkk kkkkkkk monte de frouxo

Reply
Cristina Caciolato 19/01/2017 - 13:59

É você disse monte de frouxos , e você onde estava? Você participou da greve? Se você participou você faz parte destes frouxos! E se não é mais Frixo do que eles, então faça você já que acha que faz melhor!

Reply
Paulo Malagueta Câmara 19/01/2017 - 14:02

Vc acredita em papai noel . Ah eu ainda estou de greve vou fazer o que prometi só volto vinte dias depois

Reply
Edimilson Marques 19/01/2017 - 13:43

Sera.

Reply
Eloizio Silva 19/01/2017 - 13:41

Nossa profissão devi mudar o nome pra otario palhaço escravo qualquer um serve pra nomear esse lixo de profissão

Reply
Wanderley Possamai 19/01/2017 - 13:45

Somos os legítimos burros de carga

Reply
Eloizio Silva 19/01/2017 - 13:50

Com certeza isso principalmente pq não temos um sindicato pra organizar representa a categoria eles só servem pra receber de nos

Reply
Luis Carlos Veiga Vargas 19/01/2017 - 13:39

Só promessa tomara que cumpram.

Reply
Claudia Stahl 19/01/2017 - 13:37

MUITO FRACO ESSE MOVIMENTO DOS CAMINHONEIROS.. TINHA QUE DEIXAR ELES SENTIREM NO BOLSO PRA SE DAR O DEVIDO VALOR MERECIDO A CLASSE.. VAI VIRAR EM NADA DE NOVO.. SÔ PROMESSAS ..
ENQTO NADA SE RESOLVE USAM NOVAMENTE PARA SE BENEFICIAR. ..
CAMINHONEIROS A FORÇA ESTA COM ELES..
MAIS NÃO SABEM USAR.

Reply
Gracyela Lazarini 19/01/2017 - 16:09

Iludidos novamente….O q restou foi dividas para os q ficarão parado …….

Reply
Douglas De Oliveira Azevedo 19/01/2017 - 13:30

Cada um tem o que merece .

Reply
Dhannyel Silva 19/01/2017 - 13:29

Tem que deixa apodrecer !!!

Reply
Livanir Vidori 19/01/2017 - 13:28

Kkkkkkk a promessa deve ser mais um aumento do combustível

Reply
Winston Souza Tita 19/01/2017 - 13:20

É isso aí.
Fica esperando o governo marca reunião.
Qndo marcar a reunião a safra já foi tudo e os motora vai ficar esperando de cxa aberta

Reply
Jose Henrique 19/01/2017 - 13:09

kkkkkkkkkk vocês acreditam em papai Noel tbm . desunião e foda

Reply

Escreva um comentário