Ações do Exército reduzem fila na BR-163

por Blog do Caminhoneiro

O congestionamento no trecho não asfaltado da BR-163, que liga Cuiabá (MT) a Santarém (PA), continua, mas a fila de caminhões, que já chegou a 4 mil — grande parte carregada com soja — caiu pela metade. Segundo o  Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, a pista no sentido sul, em direção a Cuiabá, foi liberada. Caso as condições climáticas permitam, a liberação da pista no sentido Santarém deverá acontecer até sexta-feira.

Segundo Gilson Baitaca, empresário do segmento e líder dos caminhoneiros de Mato Grosso, um avião do exército pousou hoje em Itaituba (PA) com cestas básicas para os motoristas que estão parados na rodovia, muitos deles já há 15 dias. Baitaca também relata que  uma empresa de Rondonópolis (MT),  a Pedromar, está voluntariamente jogando pedras na pista para aplainar os buracos mais profundos. “Um posto de combustíveis também doou diesel para os caminhoneiros”, diz.

O transporte de soja pela BR-163 está bastante prejudicado há pelo menos duas semanas devido ao excesso de chuvas, que gerou acúmulo de lama e permitiu a abertura de buracos ao longo dos 100 quilômetros da rodovia que ainda não estão asfaltados.

O problema será discutido amanhã, em Brasília, pelo ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, com um grupo de tradings (Amaggi, ADM, Cargill, Bunge e Cofco). “O objetivo será definir uma estratégia logística que garanta a manutenção da trafegabilidade ao longo da rodovia durante o chamado inverno amazônico”, afirma comunicado divulgada pelo ministério.

Cálculo da Associação dos Transportadores de Cargas de Mato Grosso (ATC) considerando os 15 dias de problemas apontou que os prejuízos para as tradings estariam próximos a R$ 150 milhões, já que as perdas diárias são calculadas em R$ 10 milhões.  A Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove) e a Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec) projetam prejuízos de US$ 400 mil por dia com custos com “demurrage”.

Fonte: Valor

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-98800-6519

11 comentários
0

Artigos relacionados

11 comentários

Juarez Rodrigues 02/03/2017 - 20:19

Lamentável! Cadê os governantes? PMDB e PSDB que muitos tanto queriam. E agora?

Reply
Juscelia da Silva 02/03/2017 - 19:56

Aventura e tanto

Reply
Elio Souza 02/03/2017 - 19:33

Enquanto não houver uma classe que tenha punhos fortes, que representem os interesses dos caminhoneiros, nada nesse mundo irá mudar. Os caminhoneiros tem o poder na mão, eles é quem dita o ritmo do desenvolvimento desse pais, basta seus representantes saberem fazer uso desse poder. Se tiver que parar que parem

Reply
Edinei Meurer Do Prado 02/03/2017 - 19:31

Ação do exército. Que ação? Caminhão tropa e gipe não resolve problema de estrada. Apenas máquinas. Coisa que aqui não veio foi nada além das máquinas da firma. ( uma Caçamba e uma pc.)

Reply
Helio Muniz 02/03/2017 - 18:57

So corrupito tem parra os camiao tosdos deixa todossem mercadoria enao paga emposto

Reply
Anselmo Schmidt 02/03/2017 - 15:49

Aposto que no mapa esse trecho consta como asfalto

Reply
Jose Edson Martins 02/03/2017 - 15:43

Todo ano é a mesma coisa a mesma conversar e nada muda e acham que tem razão

Reply
Claudio Cunha 02/03/2017 - 15:26

Eu ACh que o exército nem tá sabendo OK está acontecendo aí kkkkkkkkk

Reply
Carlos Silva 02/03/2017 - 14:03

a única ação do exército era trancar a BR pra ninguém passar kkkķkkk

Reply
Mauro Rodrigues 02/03/2017 - 14:02

È logo logo volta tudo ao normal, sou seja, nada mudará

Reply
Luiz Carlos Menegon 02/03/2017 - 14:15

Por isso que a classe está assim pensem pra frente não sempre pra trás!!!!!

Reply

Escreva um comentário