MT: queda de ponte e falta de asfalto revoltam produtores e caminhoneiros

por Blog do Caminhoneiro

O excesso de chuvas destruiu pontes e tem transformado as rodovias ainda não pavimentadas de Mato Grosso em verdadeiros atoleiros. O transporte de grãos e animais está em constante risco, e o clima é de revolta entre produtores rurais e caminhoneiros.

As águas do Rio Preto, que corta a região do Araguaia, derrubaram o principal acesso e canal de escoamento do município de Porto Alegre do Norte. O trecho faz parte da BR-158, que liga Mato Grosso ao Pará; 127 km ainda não estão pavimentados.

A situação impede que caminhões, ônibus e ambulâncias consigam passar. Quem leva carga sofre sofre mais, perdendo agendamentos. De acordo com o caminhoneiro Neri Mainardi, o caso das cargas vivas é ainda mais complicado.

“Não sei como é que os caminhões não quebram no meio. Não tem cabimento, mas daqui a uns dias, quando a chuva parar, veremos os estragos que foram feitos nos caminhões”, conta.

Com a rodovia federal interditada, os caminhoneiros saem em busca de alternativas. O problema é que a maioria das estradas não tem asfalto e está em péssimas condições. É o caso da MT-322, que liga os municípios de Ribeirão Cascalheiras e Vila Rica. Com a formação de atoleiros, o que se vê são filas de caminhoneiros improvisando com pedaços de madeiras doadas por produtores rurais da região.

O caminhoneiro João Maria critica as autoridades responsáveis pela região. “Nós só conseguimos achar prefeito e governador na hora em que eles querem o voto. Depois que entra, não está nem aí. Se realmente estivesse de olho, já teria asfaltado”, diz.

A região do Araguaia, no nordeste de Mato Grosso, é um dos principais polos de produção de grãos do estado. No local, a pecuária também tem força, com mais de 4,8 mil cabeças de gado. Durante a terceira rota da Caravana Acrimat em Ação, os organizadores ouviram as reclamações sobre a falta de infraestrutura e prometem levar o tema às autoridades.

“Para sermos competitivos de fato, temos que reduzir esses custos, passar por uma reforma fiscal do Brasil e do estado de Mato Grosso, passar por planejamentos de médio e longo prazo, na infraestrutura rodoviária e ferroviária. É uma situação vexatória para o setor produtivo, que faz bem o dever de casa”, analisa o consultor técnico da Acrimat Amado Oliveira.

O prefeito do município de Vila Rica, Abmael Borges da Silveira, acredita na necessidade de melhorias devido ao aumento da produção.

“Não tem um palmo de asfalto e precisamos melhorar. A produção tem aumentado, tanto de grãos quanto de pecuária. Nós temos o sétimo maior rebanho do estado, com 630 mil cabeças, e a lavoura também chegou forte, o que é bom para a recuperação das pastagens. Não é mais a região do futuro, mas é a do presente”, destacou.

Reparos

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), responsável pela ponte da BR-158, informou que o conserto já começou e que, se o clima ajudar, a obra ficará pronta até o dia 13 de abril.

Já a secretaria de Infraestrutura e Logística de Mato Grosso informou que as rodovias estaduais citadas na reportagem foram prejudicadas pela chuva e pelo aumento de caminhões que por elas trafegam.

A pasta ainda afirma que a manutenção das rodovias é de responsabilidade dos municípios e que R$ 500 milhões vindos do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab) foram liberados para que as prefeituras realizem as melhorias.

O prefeito de Vila Rica, que participou da reportagem, foi procurado novamente, mas o assessor informou que o expediente termina às 13h30, e que por isso só conseguirá responder posteriormente sobre o repasse do dinheiro.

Fonte: Canal Rural

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-98800-6519

17 comentários
0

Artigos relacionados

17 comentários

Leandro Machado 16/04/2017 - 17:46

Comecem a sonegar os impostos e investir na infraestrutura rodoviária para escoar as safras ou façam PPP participação público privada e depois de tudo pronto poderão fazer um consórcio para administrar a rodovia e cobrar pedágios justos…
Muita choradeira e pouca iniciativa, a quantos anos está estão com estes mesmos problemas????

Reply
Robson Rodrigues 12/04/2017 - 01:40

Presidente Michel Temer veja o sofrimento desses caminhoneiros !

Reply
Regy Santos 12/04/2017 - 01:18

Cássio Ricaardo mor olha ai

Reply
Gabriel Silva 12/04/2017 - 01:15

Povinho covarde, bundao! Preferem viverem sofrendo humilhação por parte dos políticos e não são capazes de se unirem pra dar um basta definitivo nos problemas que esses malditos políticos estão causando…vão pra Brasília de joelhos, quem sabe serão atendidos…

Reply
Tomas Neto 11/04/2017 - 23:57

isso é uma vergonha Brasil

Reply
Amauri Cleo Ebeling 11/04/2017 - 23:50

Cadê as autoridades políticos empresários nesta hora ,pra pedir votos sempre estão aí agora pra ajudar o povo pais de família não aparecem

Reply
Rafael Souza 11/04/2017 - 23:39

infelizmente essa situação vai piorar ainda mais amigos,tenham fé em Deus pq vai ficar feia a coisa.

Reply
Eugenio Rodrigues 11/04/2017 - 22:57

Não adianta nada ser umas das 10 maiores economias do mundo se os governos (não importa o partido) não pensarem em infra-estrutura como prioridade numero 1.

Reply
Reginaldo de Jesus 11/04/2017 - 21:31

Rdrigo Gota D’agua olha grandeee

Reply
Adeliolinolino Ls 11/04/2017 - 20:12

Nao acredito q seja n brasil pq aqui nao acontece isto n brasil nao

Reply
Deivison Resende 11/04/2017 - 20:01

Nao sabem fazer greve!
Trabalha nessa situação aí msm!
O dia que o caminheiros forem unidos isso vai mudar!
Enquanto não muda boa sorte nessa jornada!

Reply
Amaury Passos 11/04/2017 - 19:58

Realmente é uma vergonha esses tubarões do poder que não arumam as estradas de escoamento de alimentos desse país

Reply
Valdecir Chagas 11/04/2017 - 19:48

tem que mudar o governo

Reply
Wesley Cristhian 11/04/2017 - 19:23

É uma vergonha mesmo cara tá difícil de trabalhar assim não dá cara.

Reply
Joel Henrique Da Silva 11/04/2017 - 19:08

Por favor , alguém faça alguma coisa .
Preciso trabalhar e não tem como carregar.
De um lado não passa porque a ponte caiu , no outro é só atoleiros.
Aqui não tem mais estrada .

Reply
Marcelo Fernandes Ribas 11/04/2017 - 19:51

Que lugar é esta ponte que caiu amigo que região

Reply
Renato R Rodrigues 11/04/2017 - 23:44

Mato Grosso todo ta assim . Principalmente região norte e Noroeste .

Reply

Escreva um comentário