Policiamento reduz os roubos de cargas no Rio




O índice de roubos de cargas no estado do Rio de Janeiro apresentou uma redução de 24% em setembro deste ano, em uma comparação com o mesmo mês do ano passado – segundo o Instituto de Segurança Pública (ISP), o número de ocorrências caiu de 892 para 676.

O acumulado de janeiro a setembro, no entanto, continua 17% maior do que o do mesmo período do ano passado (foram 6.449 registros em 2016 e 7.606 em 2017). Os dados foram divulgados na semana passada pelo secretário de Segurança, Roberto Sá, durante uma entrevista coletiva no Centro Integrado de Comando e Controle, na Cidade Nova, após uma reunião com o grupo que combate essa modalidade de crime.

“Trata-se de uma redução expressiva, que mostra que estamos no caminho certo, e que é fruto da criação, em maio, de um programa de integração com a Polícia Rodoviária Federal e a Força Nacional de Segurança Pública nas áreas em que esse indicador era mais expressivo”, disse Sá.

LEIA MAIS  WABCO apresenta seu primeiro protótipo de semirreboque elétrico na IAA 2018

Há quatro meses, o número de registros de ocorrências vem caindo (em agosto deste ano, foram 843 registros, de acordo com o ISP) e, pela primeira vez, foi menor do que o mesmo mês do ano passado – afirmou Sá, reconhecendo, no entanto, que os números não deixaram de ser uma grande preocupação. “O acumulado de janeiro a setembro ainda é alto.”

O secretário afirmou ainda que, nos últimos quatro meses, foram feitas “ações importantes com as Forças Armadas para prisões de ladrões de cargas”, e acrescentou que houve uma mudança na mancha criminal, antes concentrada nas imediações dos morros do Chapadão e da Pedreira, na zona Norte, e hoje espalhada por outras favelas, como Maré e Vila Kennedy, segundo o Sindicato das Empresas de Transporte Rodoviário de Cargas do Rio de Janeiro (Sindicarga).

LEIA MAIS  Dons da estrada

“Houve uma mudança na dinâmica do crime, de local e horário, o que fez com que a gente deslocasse a ação das forças policiais, para acompanhar a alteração na mancha criminal, o que propiciou uma redução nesses indicadores”, diz o Secretário de Segurança. “Quero atribuir esse resultado expressivo à coalização das forças que estão lutando contra o crime no estado.”

Fonte: Jornal do Comércio




Deixe sua opinião sobre o assunto!