Atoleiro na BR-163 faz subir preço de produtos alimentícios em Santarém




Os atoleiros na rodovia BR-163, que liga Cuiabá, no Mato Grosso a Santarém, no Pará, tem provocado reajuste no preço de produtos alimentícios na cidade. As más condições da estrada obrigam caminhoneiros ficarem dias parados. Trechos sem asfalto e buracos acabam atrasando a viagem e afetando o transporte de 80% da mercadoria que vem de fora.

O atraso na chegada dos produtos é observado nas prateleiras vazias dos supermercados. O reajuste financeiro é devido à perda de parte dos produtos, principalmente do setor hortifrúti e ainda pelo aumento no valor do frete cobrado. Frutas, legumes e hortaliças acabam estragando por conta do tempo em que os caminheiros passam presos na estrada.

A Associação Comercial e Empresarial de Santarém (Aces), considera um descaso. “Mesma cena do ano passado, mesmos problemas, mesmas carretas atoladas, mesmos trechos, mesma falta de respeito com a gente. Continuamos tendo problemas de abastecimento, produtos perecíveis sendo perdidos na rodovia”, afirma o presidente, Roberto Branco.

LEIA MAIS  PRF alerta motoristas para risco de queimadas às margens das rodovias federais

Em uma rede de supermercados, cenoura, repolho, beterraba e batata tiveram em falta. As prateiras foram reabastecidas, mas com um preço reajustado. “A pessoa sai com um caminhão de repolho lá do Sul, chega aqui metade, ele tem que distribuir o custo e para onde vai esse custo, para o produto. Tudo isso a gente acaba pagando”, completa Branco.

Em 2017, filas de caminhões se formaram por conta dos atoleiros na BR-163. Toneladas de grãos e produtos do gênero alimentício ficaram encalhados no lamaçal porque os caminhões não conseguiam sair do lugar. Este ano, a situação voltou a se repetir, ainda mais em virtude do chamado inverno amazônico, quando a quantidade de chuvas é maior

LEIA MAIS  PRF alerta motoristas para risco de queimadas às margens das rodovias federais

Só no Pará, 90 km da rodovia continuam sem asfalto e acostamento. Equipes do Exército estão em obras para asfaltar aproximadamente 65 km, a partir do distrito de Moraes de Almeida, até o município de Itaituba, no sudoeste paraense. Equipes da Polícia Rodoviária Federal (PRF), também estão atuando para dar fluidez no trânsito

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), declarou que a meta de asfaltar 60 quilômetros da rodovia BR-163 não foi totalmente atingida por causa da antecipação do período de chuvas e de atrasos no fornecimento de matéria prima. A previsão agora, segundo o DNIT é de que a pavimentação seja concluída em 2019.

Fonte: TV Tapajós

 




Deixe sua opinião sobre o assunto!