Cegonheiros voltam a protestar nas ruas do Recife




Após seis meses, o Sindicato dos Transportadores Autônomos e Micro Empresas de Veículos Congêneres do Estado de Pernambuco (Sintraveic) volta a ocupar as ruas do Recife, na manhã desta quinta-feira (22), em protesto contra o processo de contratação da Fiat em Goiana. Os cegonheiros estão concentrados em frente ao Classic Hall, na Avenida Agamenon Magalhães, em Olinda, e prometem sair em carreata pelas ruas do Centro do Recife.

O Sintraveic volta a protestar na cidade após uma determinação da Justiça de Pernambuco para retirar os veículos das vias da cidade, em agosto do ano passado. A representação da categoria acusa a Fiat, responsável pela fábrica da Jeep em Goiana, de descumprir um acordo feito com o governo em que garantiria 80% da mão de obra pernambucana no setor dos transportes.

Histórico

A mobilização dos cegonheiros começou no dia 31 de Julho do ano passado, na região central do Recife, e só acabou 18 dias depois após cumprimento de decisão judicial. Eles ocuparam ruas e pontes dos bairros de São José e Santo Antônio. Na época, Justiça de Pernambuco determinou que a categoria deixasse a área imediatamente.

LEIA MAIS  Eleições 2018 - Jair Bolsonaro agradece apoio dos caminhoneiros

Entenda

Quando iniciava suas operações em Pernambuco, no primeiro semestre de 2015, a Sada – empresa de logística fornecedora da Fiat Chrysler, detentora da Jeep – já havia enfrentado protestos de caminhoneiros que reivindicavam a totalidade das vagas de emprego para pernambucanos. Mais de dois anos depois, motoristas de caminhões-cegonha voltaram a se manifestar na área central do Recife e em Boa Viagem, na Zona Sul, ao longo de uma semana, evidenciando uma briga entre sindicatos.

Logo ao chegar ao Estado, a transportadora abriu 20 vagas para motoristas, sob o critério de que morassem em Pernambuco pelo menos desde 2011, o que evitaria a contratação de candidatos de outros estados atraídos pelas oportunidades geradas pela instalação da fábrica. Já naquela época, o Sindicato dos Transportadores de Veículos de Pernambuco (Sintrave-PE) se apegou ao argumento de que o Polo Automotivo de Goiana recebeu incentivos fiscais para se instalar no Estado e que, por isso, deveria como contrapartida contratar mão de obra local.

LEIA MAIS  Eleições 2018 - Jair Bolsonaro agradece apoio dos caminhoneiros

Fonte: JC Online




Deixe sua opinião sobre o assunto!