Comércio de caminhões usados se mantém aquecido




A retomada do mercado de caminhões novos não tirou o comprador das lojas de usados. Pelos menos é o que sinalizada os números de vendas do segmento divulgados pela Fenabrave, federação que representa as concessionárias no País.

Em fevereiro trocaram de mão 23.555 caminhões, embora represente uma queda de 6,23% sobre o resultado de janeiro, o volume foi 4,86% maior que o anotado no mesmo período do ano passado, com 22.464 negócios.

O primeiro bimestre contabilizou 48.676 transferências, um crescimento de 4,24% na comparação com a soma registrada um ano antes, de 46.678 unidades que trocaram de proprietário.

LEIA MAIS  NTC&Logística pede cancelamento de multas às empresas durante paralisação dos caminhoneiros autônomos

No período dos primeiros meses de 2018, a Mercedes-Benz lidera os negócios, com participação de 37,31%, seguida pela Volkswagen Caminhões (21,18%), Ford (16,33%), Scania (9,63%), Volvo (8,15%) e Iveco (4,39%).

No segmento de implementos rodoviários de segunda mão as transferências também avançam de maneira sólida. No mês passado, os 6.061 equipamentos negociados representaram alta de 10,04% sobre as 5.508 transferências registrada em fevereiro de 2017.

LEIA MAIS  Superbid promove leilão de bens da construtora Queiroz Galvão

No acumulado do ano, as vendas somaram 12.995 implementos, expansão de 10,47% em relação ao mesmo bimestre do ano passado, quando 11.763 documentos passaram a ter novos donos.

No mercado de usados de implementos, os produtos da Randon são os mais negociados, com participação de 39,01% nas transferências do bimestre. O ranking segue com Guerra (16,41%), Facchini (9,36%), Noma (9,36%), Librelato (6,70%) e Rossetti (2,11%).

Fonte: Estradão




Deixe sua opinião sobre o assunto!