Metade dos caminhões que circula no Paraná apresenta algum problema




Os motoristas que passaram pelo KM 509, da BR-376, no Posto Furnas, na altura de Ponta Grossa, nesta quarta-feira (7), se depararam com a Operação Serra Segura que foi realizada pela Polícia Rodoviária Federal, em conjunto com a CCR Rodonorte, concessionária que administra o trecho e a Polícia Ambiental. Foram verificados sistemas de freio, suspensão, iluminação e direção de 128 caminhões. Enquanto a Polícia Ambiental observava o transporte de madeira e animais.

“Nós abordamos os veículos, fazemos a fiscalização dos motoristas, documentação da carga e a equipe da concessionária, os técnicos fazem uma fiscalização detalhada, sistema de freios, suspensão e conseguem dar um amparo mais técnico que as vezes no nosso trabalho nós não temos”, explicou o policial rodoviário federal Marcos Aurélio Malati.

Os policiais fizeram 81 testes de alcoolemia, emitiram 66 autos de infração e 27 documentos foram retidos.

Dez caminhões com situação irregular foram retidos e, observando as infrações, os motorista multados. De acordo com o inspetor da PRF, 1/3 dos veículos de carga possuem falhas no sistema de freio. E, pelo menos, metade dos caminhões que trafegam nas rodovias apresentam algum problema como mau estado e conservação de pneus.

“A maior parte que nós verificamos, e é uma resolução nova, é a amarração da carga. Um outro quesito que nós nos deparamos é uma carga mal amarrada, mal acondicionada, porque hoje é proibido fazer a amarração da carga com cordas, tem que ser cintas ou dispositivos de aço. Esse é um quesito que está tendo muitas dúvidas, mas já está vigente a lei. Como muitos acidentes nós verificamos da carga em um curva, a carga mal amarrada pode vir a cair, é um item que estamos orientando, porque muitos motoristas desconheciam essa nova legislação”, ressaltou.

LEIA MAIS  COLUNA MECÂNICA ONLINE - Nova geração de caminhões revoluciona segmento

Na operação, foram verificados 4 veículos com problemas de freio, 6 com falhas no sistema de iluminação, 9 com tacógrafo irregular, 8 com excesso de peso e 5 autuações de transporte de produtos perigosos de forma irregular.

O excesso de velocidade também é um fator que causa vários acidentes nas rodovias. Nesta quarta-feira, por volta das 8h, um caminhão que transportava alumínio para reciclagem tombou na curva do KM-648, da BR-376, em Tijucas do Sul. O disco de tacógrafo do veículo apontava que no momento do acidente o motorista estava a 110 km/h. Por isso, segundo a PRF, a causa provável do acidente foi o excesso de velocidade. Não houve vítimas. O inspetor da PRF pede que os motoristas redobrem a atenção e sigam cuidados básicos de segurança.

“A recomendação é manter os equipamentos obrigatórios em ordem, fazer a manutenção dos veículos, os motoristas que são funcionários passar para as empresas os problemas que eles estão verificando no caminhão, para que essa manutenção seja feita de maneira correta. Porque muitos casos nós vemos os veículos sem condições de transitar gerando esses riscos para população nas rodovias”, destacou.

LEIA MAIS  Transportadoras multadas em greve dos caminhoneiros fazem apelo a ministro do STF

Marcos Aurélio ressalta que o objetivo não é arrecadar com multas, mas sim transformar as estradas em lugares mais seguros para se trafegar. “Nas dúvidas que os usuários tenham, podem comparecer aqui no posto da PRF, conversar com os policiais. Porque o intuito não é fazer a multa, fazer a autuação, é realmente tornar o trânsito mais seguro, onde as pessoas sejam esclarecidas e saibam das consequências que podem ter ao desrespeitar algumas regras, para tornar o trânsito mais seguro e mais tranquilo.

A abordagem foi feita de maneira aleatória das 8h e seguiu até às 17h, atingindo cerca de 500 mil pessoas que passaram pela BR-376. A ação da PRF acontece há dois anos e deve se estender para outras regiões do Paraná. Os motoristas também assistem a uma palestra com dicas de segurança.

Fonte: Paraná Portal




Deixe sua opinião sobre o assunto!