Greve de auditores já deixa caminhões parados na fronteira em Foz do Iguaçu




Auditores fiscais da Receita Federal iniciaram nesta segunda-feira (2), uma paralisação denominada “despacho zero”. Os servidores reivindicam a aplicação da gratificação por produtividade, prevista em lei aprovada pelo governo federal.

Até sábado (7), os auditores não irão liberar cargas de caminhões que entram ou deixam o país em portos secos da fronteira. Em Foz do Iguaçu, caminhões já começaram a encher pátios e formar filas na rodovia de acesso a Ponte Internacional da Amizade, com o Paraguai.

Os grevistas informam que serão liberadas penas cargas essenciais, como produtos perecíveis, perigosos ou vivas. A lei determina que pelo menos 30% do efetivo continue trabalhando. Auditores que trabalham na alfândega estarão fora da repartição na terça, quarta e quinta-feira.

LEIA MAIS  AGU diz que recomendará veto a anistia a multas aplicadas durante a greve

Empresários e despachantes mostram preocupação com a greve, que ao longo do tempo pode resultar no desabastecimento de produtos no comércio entre os países vizinhos, além prejuízos.

LEIA MAIS  Motoristas cobram cumprimento da tabela do frete após aprovação da MP

O Porto Seco de Foz do Iguaçu é considerado o maior da América Latina. A maior parte do trabalho se dá nas cargas de importação, com destaque para as commodities agrícolas produzidas pelo Paraguai.

Fonte: Rádio Cultura Foz




Deixe sua opinião sobre o assunto!