Governo admite fim da tabela de frete




A tentativa apressada de fazer uma tabela de frete mínimo para atender os caminhoneiros levou o presidente Michel Temer a reacender a crise com a categoria e a se indispor com a indústria e o agronegócio, pilares de sustentação de seu mandato.

Pressionado pelos dois lados, o Palácio do Planalto já admite a chance de a tabela ser extinta.

O melhor cenário para o governo Temer, depois de recuos e muita dificuldade para negociar, é que a tabela seja derrubada pelas mãos do Poder Judiciário.

Até esta sexta-feira (8), 15 ações judiciais contra a medida já haviam sido apresentadas em todo o país, segundo balanço da AGU (Advocacia-Geral da União).

A ATR (Associação do Transporte Rodoviário de Cargas do Brasil) entrou no STF (Supremo Tribunal Federal) com uma ação para suspender os efeitos do tabelamento.

A entidade pede a concessão de uma liminar para suspender a vigência da medida provisória 832, editada por Temer, e da resolução 5.820, da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

LEIA MAIS  Corte no preço do diesel não chega até a bomba em 10 estados e no DF

A CNI (Confederação Nacional da Indústria) informou que também vai acionar o STF para questionar a constitucionalidade da medida.

O diagnóstico, tanto na área política quanto na equipe econômica de Temer, é que as decisões foram tomadas de maneira afobada.

O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, reconheceu nesta sexta que a mudança foi feita no calor da paralisação e que “talvez não seja a melhor solução para os caminhoneiros e para a sociedade como um todo”.

O medo de uma nova paralisação da categoria –ainda que localizada em alguns pontos do país– foi o motivo do mais recente recuo.

Quatro horas depois de o governo divulgar uma nova tabela, o ministro dos Transportes, Valter Casimiro, recebeu, de última hora, representantes dos caminhoneiros e anunciou, na noite de quinta-feira (7), que o documento seria revogado.

A fala do ministro foi gravada e distribuída em grupos de WhatsApp de caminhoneiros autônomos para acalmá-los.

O anúncio do ministro pegou de surpresa até integrantes da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), que tomaram conhecimento da decisão pelo vídeo extraoficial.

LEIA MAIS  Polícia Militar prende saqueadores de carga em São Mateus do Sul-PR

Na ANTT, a avaliação é que o órgão foi pressionado a divulgar logo uma tabela –cuja primeira versão continha erros reconhecidos pelos próprios caminhoneiros.

O recuo em relação à segunda tabela desagradou os empresários porque voltou a valer a primeira versão –que, segundo as empresas, estabelece preços que chegam a ser quase três vezes acima do praticado em alguns casos.

O advogado José Del Chiaro, especialista em defesa da concorrência e ex-secretário de Direito Econômico do Ministério da Justiça, critica a postura do governo e diz que a agência reguladora de transporte terrestre deve agir de maneira independente.

“O que o ministro fez ontem foi uma verdadeira aberração. O governo está enfiando os pés pelas mãos e transferindo insegurança aos particulares”, diz Del Chiaro, que atende empresas que contratam transportadores.

Fonte: Folha de São Paulo




14 comentários em “Governo admite fim da tabela de frete

  • 15/06/2018 em 14:27
    Permalink

    É SO OS AUTONOMOS NÃO SE INTREGAREN FICA VAZIO EM CAZA QUÉRO VER FORÇAS ARMADAS TIRAR OS CAMINHÃO DAFRENTE DAS CAZAS E AS TRANSPORTADORAS QUE LEVEM PORQUE O FRETE DELES É 50% MELHOR POIS SEMPRE PAGARAN PRO AUTONOMO SÓ A METADE DO FRETE E ORESTO E DELES

    Resposta
  • 12/06/2018 em 18:01
    Permalink

    Se desde o governo de FHC os camihoneiro vem reclamando agora pegou o governo de supresa ou eles fez vista como sempre é continoa fazendo o estradeiro de otário

    Resposta
  • 12/06/2018 em 09:22
    Permalink

    O governo se precipitou ao equiparar a tabela de frete para todo território, quando sabemos que a décadas o frete a partir da região Jorte e Nordeste sempre foi 70% do restante do País, essa equipara deveria ter sido feita gradativamente ao longo dos anos, da maneira que foi elaborada agora, o frete a partir da região Norte e Nordeste sofrera acréscimo de até 150% que será repassada para o setor produtivo e consequentemente para o consumidor final, o que é praticamente impossível de ocorre, pois a inflação iria para as nuvens.

    Resposta
  • 12/06/2018 em 08:35
    Permalink

    vamos parar denovo agora ate a tabela valer de verdade

    Resposta
  • 12/06/2018 em 08:06
    Permalink

    Aprenderam a pagar migalhas para os caminhoneiros a vida toda, aproveitavam da fragilidade da categoria, pois a mesma não tinha como recuar, por que foi o que aprendeu a fazer a vida toda e a maioria tem uma família para sustentar.
    Peço a todos que tem acesso ao nome desses políticos e empresários envolvidos na indústria, agronegócio, etc…. que divulguem o nome deles nas redes sociais, pois as eleições estão se aproximando e com certeza eles vão precisar de todos nós.
    Andam falando nas redes de TV que haverá um aumento de 100 a 150 % nos produtos com o reajuste nos frete; pura mentira; pois é muito fácil de ser calculado!!! Vou citar um exemplo pra vocês usando o transporte de soja em um caminhão com 9 eixos em um trajeto de 1000 km.
    Um caminhão com 9 eixos é capaz de transportar 50 mil kg de soja , ou seja 1000 sacas; a saca de soja custa hoje em média no mercado R$70,00 , calculando 1000×70,00 = R$70.000,00 , dividindo R$70.000,00 por 50.000kg dará R$ 1,40 ; esse é preço do kg de soja antes do aumento dos fretes.
    Em um trajeto desse o frete irá ter um aumento em média de R$3.000,00.
    Calculando novamente 70.000,00 + 3.000,00 = 73.000,00 ÷ 50.000kg = 1,46. Esse é o preço que passará a custar 1 kg de soja; um aumento em média de 5%. Dá pra ver então o tamanho da mentira; tão tentando colocar a sociedade contra os caminhoneiros.
    Peço a vocês guerreiros das estradas que não desistam do direito de vocês.
    Vocês já descobriram o poder que tem!!!!!
    Abraço a todos!!!!

    Resposta
  • 12/06/2018 em 05:53
    Permalink

    Nesse país onde a corrupção virou cultura fica difícil acreditar em alguma melhoria. Se os criminosos do poder reduzissem os vencimentos e previlegios em 10% seria de grande ajuda p o país investir naqueles q passam boa parte da vida na estrada alimentando nossos lares.

    Resposta
  • 12/06/2018 em 03:35
    Permalink

    O frete hoje é o mesmo de 5 anos atrás .não acompanha .sequer o almento do combustível ,tudo acompanha a inflação menos o frete .começa pela falta de união dos próprios motorista .a transportadora toma porre, se um nao embarca.
    vem dez e embarca o frete

    Resposta
  • 11/06/2018 em 20:29
    Permalink

    as industria podem colocar preco pra eles terem lucros agro negocio pode vender as frutas no preco que eles quer e o caminhonero so levar ferro nao consegui compra pneu pro caminhao esse agro negocio essa cni sao exploradores .vai la compra caminhao trabalha de graca .caminhonero nao come pedaco de camihao eles tem familia pra tata

    Resposta
  • 11/06/2018 em 19:48
    Permalink

    Chutaram o sangue dos caminhoneiros durante toda vida e agora se negam a pagar um valor mais justo na intenção de continua r explorando os pobres trabalhadores

    Resposta
  • 11/06/2018 em 16:18
    Permalink

    Nos somos motoristas de caminhão,não plantamos nem soja,nem milho nem criamos animais algum,nos sim transportamos…os agricultores que briguem com o governo como nos brigamos pelo preço minimo de seus produtos,nos não temos nada com isso.

    Resposta
  • 11/06/2018 em 15:48
    Permalink

    é brincadeira como esses especuladores sangue suga fazen o ano pssado o diezel tava a adois reais epuco eles vendiam sója a 50,00 o saco agora ta a 80,00 reais e os caminhoneiros tem que levar no mesmo preço ou ate menos porque esse agronegocio são os donos do poder a ganancia é tanta que ate vai fazer o brasil parar de novo sem prazo pra começa a anda de novo só o ano que ven la na outra colheita que pena não imo se entrega pra esses sugadores

    Resposta
    • 12/06/2018 em 05:32
      Permalink

      Pois é se eles estao achando que o aumento é um absurdo que eles compren uma frota de caminhoes contratem motoristas e levem pelo mesmo preço que pagam p nós p eles verem se o frete da esse bando de lazarento quer ter lucro de 100%

      Resposta
  • 11/06/2018 em 15:24
    Permalink

    Estão defasados e sugados nossos recursos e apossibilidade de manter nossos camimhhoe!!
    As empresas so querem sugar os pequenos.
    Espero não ser preciso dar um colapso. Em tudo pra escutarem de novo…
    E pelo que estou na estrada observando, as pessoas vao perdeu tudo trabalhando ou sem trabalhar por isso não estão fazendo questão de quebrar mais um tanto de empresas juntos..
    Já que nao tem respeito pelos outros.
    Lamentável Sr empresarios exploradores sem poder e bom senso de negociar.
    A 20 anos vem sugando e estragando o transporte…

    Resposta
    • 12/06/2018 em 07:55
      Permalink

      Nos não vamos arder PR esses sangue suga ……nos vamos até fim pq nós merecemos e vamos lutar pelo país melhor que seja do feito mais difícil se vamos parar novamente fazemos isso se vai quebrar um país quebrado vamos fazer se os caminhoneiros tem que ficar mendigando por miçangas chega nos vamos lutar até fim nos não vamos ser uminhados mais pelas transportadora que querem ganha muito na só gosta chega vamos até fim

      Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!