Volvo e FedEx testam tecnologia de comboio de caminhões em rodovia dos EUA




A fabricante de caminhões Volvo e a empresa de entrega de encomendas FedEx disseram nesta quarta-feira que começaram a testar a tecnologia de “platooning” nos Estados Unidos, o que permite que caminhões semi-conectados economizem combustível ao dirigirem juntos em comboio.

Usando uma licença estadual, a Volvo e a FedEx realizam testes em um trecho de uma rodovia na Carolina do Norte desde abril, com três caminhões rebocando dois trailers cada, uma configuração que a FedEx e a rival United Parcel Service usam em um número de Estados norte-americanos.

Keith Brandis, vice-presidente de planejamento de produtos da Volvo na América do Norte, disse que os testes ajudarão a fabricante de caminhões a coletar dados para persuadir outros Estados e o governo federal a permitir mais testes.

LEIA MAIS  Design do novo Volvo VNL é premiado nos Estados Unidos

Vários Estados dos EUA aprovaram regras para testes da nova tecnologia, que variam de acordo com o local.

A Volvo e a FedEx afirmaram que, embora a economia de combustível oscile, a operação de caminhões em comboios usando essa tecnologia deve aumentar a segurança.

Platooning usa um nível relativamente baixo de automação. O motorista do caminhão principal está no controle, e os outros caminhões no comboio seguem automaticamente. Por exemplo, se o motorista do caminhão principal pisar nos freios, os outros caminhões freiam automaticamente.

Vários fabricantes de caminhões e startups estão experimentando tecnologias autônomas e de platooning, incluindo a Daimler, a Navistar International e a Tesla.

Fabricantes de caminhões, incluindo a Volvo, já estão testando a tecnologia de platooning em rodovias na Europa.

LEIA MAIS  Volvo admite possibilidade de recall de caminhão por falha na emissão de gases

A Daimler disse em setembro passado que recebeu permissão do Departamento de Transporte de Oregon para testar sua tecnologia de platooning em vias públicas após testes bem-sucedidos em seu campo de testes em Madras, Oregon.

Fonte: Agência Reuters




Deixe sua opinião sobre o assunto!