A distância que não encurta nunca




Sair de casa, ficar dias na estrada e ter apenas a companhia da saudade dos filhos e família. Esta é uma rotina enfrentada frequentemente por caminhoneiros que percorrem grandes distâncias e passam muitos dias longe de casa.

A tecnologia pode até ter contribuído para diminuir esta distância, mas não substitui o dia a dia de convivência entre pais caminhoneiros e seus filhos. “Chega arrepiar”, diz emocionado Walter José Kowalski, caminhoneiro que mora em Erechim, ao falar do dia a dia distante da família.

“Dá muita saudade, não poder estar presente em datas importantes, como aniversários, formaturas, é algo que bate forte”, acrescenta José Zick. “A gente tenta de alguma maneira compensar a distância vivida fora de casa, quando se chega de uma viagem”, amplia Jandir José Festugatto.

Os três são erechinenses, caminhoneiros, estão há mais de 25 anos na estrada e são pais. Para eles, a data a ser celebrada no próximo domingo (Dia dos Pais), é algo que emociona. Ao falarem com a reportagem, ficava evidente em cada resposta, que ter passado tantos anos longe dos filhos e da família, devido as longas viagens, se tornou uma lacuna.

LEIA MAIS  PRF apreende veículos que trafegavam com excesso de peso em rodovias cearenses

“Uma coisa que parece estranha, mas que as vezes acontece, é que parece que ainda vemos nossos filhos como crianças, adolescentes. Acredito que seja a vontade de ter estado mais presentes”, diz Zick.

A distância entre Festugatto e um dos filhos é um pouco menor, porque Giuliano, seu filho, também decidiu seguir a carreira de caminhoneiro. Kowalski optou por fazer viagens mais curtas, o que garante uma certa presença maior em casa. Mesmo assim, ele diz que a mãe, nestes casos acaba assumindo também o papel de pai. “É ela quem está no dia a dia dos filhos, auxilia nos ensinamentos, então também é pai”, frisa.

LEIA MAIS  Conheça a história do jovem Arthur, apaixonado por caminhões

Os três caminhoneiros destacam também, que embora a distância maior, a profissão de caminhoneiro é aprovada pelos filhos e familiares.

Ser pai significou para ambos também, ter um cuidado a mais na estrada. “O nosso dia a dia é muito perigoso. Claro que ter a responsabilidade de ser pai faz com que tenhamos um cuidado redobrado para evitar acidentes e outras situações ruins”, pondera Zick.

Fonte: Jornal Bom Dia




Deixe sua opinião sobre o assunto!