Quadrilha suspeita de roubar caminhões e agir internacionalmente é presa no Paraná




Quatro pessoas – sendo três homens e uma mulher – foram presas em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, suspeitas de integrarem uma quadrilha de roubo de caminhões, com atuação internacional.

As prisões foram efetuadas pela Polícia Civil do Paraná na terça-feira (25). Houve também a apreensão de uma adolescente.

Outras duas pessoas são procuradas, de acordo com a Delegacia de Furtos e Roubos e Veículos (DFRV) de Curitiba.

Todos os presos são jovens. Eles têm entre 19 e 23 anos. Os quatro estão detidos na carceragem da DFRV e foram autuados pelos crimes de roubo e associação criminosa.

Segundo a Polícia Civil, a menor de idade foi encaminhada para a Delegacia do Adolescente de São José dos Pinhais.

Um caminhão de R$ 150 mil foi recuperado, ainda conforme a polícia.

As investigações da DFRV foram feitas em parceria com a Polícia Civil de Corumbá, no Mato Grosso do Sul, e com a polícia da Bolívia.

LEIA MAIS  PRF flagra o transporte de 93,5 toneladas de excesso de peso no MT

Como a quadrilha agia

A quadrilha, de acordo com o delegado-operacional da DFRV, Edgar Dias Santana, era bem articulada.

Os criminosos ofereciam fretes com preços maiores do que os praticados no mercado para atrair os caminhoneiros. Segundo o delegado, eles direcionavam a oferta para os caminhoneiros de veículos mais novos.

A Polícia Civil explicou que, quando a vítima aceitava o suposto trabalho, acreditando que receberia mais pelo serviço, o grupo marcava um encontro.

O local escolhido cpstuma ser uma rua comum, tranquila e sem câmeras de segurança, conforme a polícia. Então, dois homens da quadrilha se apresentavam como os funcionários da transportadora que levariam o caminhoneiro até o lugar do carregamento.

Quando entravam no caminhão, rendiam o caminhoneiro. A vítima era colocada em um carro para ser levada até um cativeiro.

LEIA MAIS  PRF recupera carga de R$ 1,5 milhão e liberta caminhoneiro em SP

Com o caminhão e os documentos o veículo, um dos integrantes da quadrilha ia para a Bolívia. Enquanto isso, o caminhoneiro era mantido refém, até que o caminhão entrasse no outro país.

Uma das vítimas, conforme o delegado, foi rendida em 13 de setembro, em Curitiba. Esse caminhoneiro foi liberado dois dias depois. A polícia boliviana está rastreando o veículo e investiga uma possível facilitação para a entrada dos caminhões no país.

Fonte: RPC TV




Deixe sua opinião sobre o assunto!