Com fim do subsídio diesel deve ter aumento de R$ 0,06 por litro




Com o fim do subsídio ao óleo diesel no próximo dia 31, o preço do produto nas refinarias deverá ter um aumento da ordem de R$ 0,06 por litro, cerca de 3,3% , em relação aos R$ 1,8088 por litro cobrados em média nas refinarias da Petrobras, sem impostos. O programa de subsídio ao diesel foi concedido pelo governo federal para colocar um ponto final na greve dos caminhoneiros, em maio.

Nesta sexta-feira, a Petrobras comunicou que adotará um mecanismo financeiro de proteção para o diesel para evitar a volatilidade em seus preços por conta das variações internacionais dos preços do petróleo e das variações do câmbio. O mecanismo evitará o reajuste diário, um dos motivos questionados pelos caminhoneiros na época da greve. O mecanismo, anunciado nesta sexta-feira, permitirá à estatal manter o preço do produto estável por um período de até sete dias sem reajustes nas refinarias. Em setembro, a Petrobras adotou o mesmo mecanismo financeiro de proteção para a gasolina, que poderá ter reajuste em até 15 dias.

O diretor do Centro Brasileiro de InfraEstrutura (CBIE), Adriano Pires Rodrigues, disse que o aumento dos preços do diesel nas refinarias será pequeno devido à cotação baixa dos preços internacionais do petróleo, abaixo de US$ 50 o barril. Para Adriano Pires, o novo governo deveria analisar a possibilidade de adotar um imposto flex, que subisse quando os preços do petróleo estão baixos lá fora, e fosse reduzido quando os preços subissem.

LEIA MAIS  Jovem recebe homenagem em para-brisas de caminhões após falecer

– É um aprendizado. O governo federal teve sorte de os preços neste momento estarem em queda no exterior. Isso mostra como é a questão da volatilidade dos preços de alguns produtos como é o caso dos combustíveis . Por isso, o governo deveria adotar o imposto flex – destacou Adriano Pires.

LEIA MAIS  Exército conclui pavimentação de rodovia em Santa Catarina

O executivo achou positivo o novo o mecanismo financeiro de proteção aos preços do diesel anunciada nesta sexta-feira pela Petrobras. Segundo Adriano Pires, se trata de um mecanismo moderno que é adotado por toda companhia que opera com commodities cujos preços tem grande volatilidade no mercado internacional como é o caso do petróleo.

– Faz muito sentido a companhia também adotar mecanismo de proteção para o diesel, assim como fez com a gasolina – destacou Adriano Pires.

Fonte: O Globo




Deixe sua opinião sobre o assunto!