Frete retorno: O que é? Como deve ser cobrado?




Para começar é preciso dizer que a Lei Nº 13.703, de 8 de agosto de 2018, que instituiu a Política Nacional de Pisos Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas não faz qualquer menção a Frete Retorno.

Esse assunto, que é crucial para autônomos e transportadores, aparece apenas na última linha do item 2 do Anexo I, da Resolução nº 5820, de 30 de maio de 2018, que regulamenta a Lei Nº 13.703. mencionada acima.

Diz o texto: “Nos casos em que não existe carga de retorno, para incluir o custo da volta, deve-se considerar a faixa do percurso em dobro”.

Para determinados tipos de cargas a interpretação do texto acima é óbvia. Por exemplo se a empresa transporta um determinado produto químico, usando um tanque específico para essa operação, não há como ter dúvida de que o veículo vai ter que retornar vazio e o valor do frete tem que incluir o frete retorno, considerando a faixa de percurso em dobro.

No caso dos demais tipos de cargas e veículos, no entanto, a questão não é tão simples assim. A interpretação corrente, preferida, para não dizer imposta, por quem tem maior poder de negociação, seja o embarcador ou, às vezes, o próprio transportador, é o de transferir o problema para o carreteiro.

Paga-se apenas uma perna do percurso, ou seja, o percurso correspondente ao frete efetivamente realizado. Por exemplo, para calcular um frete de São Paulo à Natal calcula-se apenas o valor do frete correspondente a 2.935 km, que é a distância entre as duas cidades.

Entregue a carga, dá-se por encerrado o serviço e a responsabilidade de encontrar um novo frete é apenas do carreteiro.

O TAC ou mesmo ETC, cuja base de operação é São Paulo, agora vai ter que procurar frete na região, ou vai ter que voltar batendo lata.

Qualquer uma das duas alternativas: ficar esperando um longo tempo até aparecer um frete em que o embarcador esteja disposto a pagar o preço justo, ou voltar batendo lata é muito ruim para quem tem despesas fixas e precisa faturar.

Aí é que aparece a figura do Frete Retorno.

No TRC Frete Retorno é sinônimo de frete barato, só para pagar o Diesel e poder voltar para a região que tem frete sobrando.

Como resolver esse problema

Em tese esse é um dos problemas que deveriam ter sido resolvidos pela tabela de pisos mínimos, mas, como se sabe, não foi. Entre as várias razões, porque é impossível revogar a lei da oferta e da procura, depois porque se trata de princípios fortemente arraigados na cultura do mercado. Diga-se de passagem que este é um fenômeno que não ocorre só no Brasil.

É possível que no futuro próximo com a consolidação das plataformas online de gerenciamento de demanda e oferta de fretes o problema de achar um novo frete possa diminuir, mas mesmo assim, seja você carreteiro ou transportador ao aceitar um serviço de frete lembre-se que é necessário fazer uma boa análise da situação para ver quanto você precisa embutir no preço do frete para compensar tanto a dificuldade de encontrar um novo carregamento como de ter, para retornar á sua base, que aceitar um frete abaixo dos custos.

Fonte: Guia do TRC




31 comentários em “Frete retorno: O que é? Como deve ser cobrado?

  • 08/04/2019 em 09:56
    Permalink

    Se ninguém aceitar carregar um frete retorno baixo , o frete vai ter que aumentar .Chega de ser mos “reféns “de aproveitadores .As empresas que repassem o custo do aumento do frete para o consumidor , é simples.Se aumentar R$27.000.00 no preço do frete para uma carreta , que carrega 27 toneladas , e aumentasse R$1.00
    no preço do quilo do sal , para o consumidor não iria fazer nenhuma diferença .Fiz uma matemática a grosso modo , para exemplificar como é deve ser resolvido o problema.

  • 08/04/2019 em 09:13
    Permalink

    Bom minha opinião sobre o frete e o seguinte não existe frete de retorno frete e frete. Independente da região. Entendo que muitos pegam fretes baratos para livrar a dispesa da estrada. Mais te garanto se o diesel fosse mais baixo muitos voltaria vazio. E transportadora que compre seu próprio caminhão para levar seus fretes baratos ou pagem o preço justo.

  • 07/04/2019 em 12:49
    Permalink

    O problema ,que as transportadoras responsáveis pelos fretes , abusam , colocando preco de frete abaixo,exemplo ,do interior de SP para Porto de Santos ,100,00 a tonelada,depois,que estamos lá querem pagar a metade do valor ,sendo que a distância e a mesma e os gastos tbm , mais vem com essa de frete retorno,na minha opinião Naum existe frete retorno,se o frete está em Santos e precisa ser transportado para o interior de sp ,o valor tem que ser correspondente com o que e valido

  • 07/04/2019 em 11:28
    Permalink

    Não tão pagando nem o que e pra paga vão paga frete retorno vao c fude pra lá essa cambada de ladrão frete tabela e so transportadora só que tá enchendo o bolso nos autonomo tamo aí c rastejando com toda certeza a ANTT tá levando dinheiro pra nao fiscalizar são tudo uma cambada de ladrão

  • 06/04/2019 em 21:11
    Permalink

    Boa noite a tabela por eixo tem que ser para todas as trasportadoura brasileira se acepção. Direitos iguais

  • 06/04/2019 em 20:38
    Permalink

    Olha pessoal sou de Santa Catarina aí eu pergunto vou para o norte certo aí eles vem com esse tal frete de retorno.agora eu pergunto o cidadão e do Maranhão vai para o sul aí frete de retorno se o cara edo norte.sao tudo pilantras na verdade o sul e as demais regiões não querem w pagar o frete justo.querem que o norte e nordeste paguem raça de pilantras

    • 07/04/2019 em 08:01
      Permalink

      Foi lutado pela tabela e conseguido.
      Mas perceberam que muitas transportadoras estão cortando frete para terceiro.
      Então o que vamos fazer?
      Além da tabela não foi pensado em exigir uma porcentagem mínima de frete para autônomo.

  • 06/04/2019 em 20:20
    Permalink

    Frete é frete, agora se tem imbecil aceitando trabalhar a troco de migalhas, ai é outro coisa. Se existe a tabela, tanto faz indo ou vindo, o valor tem que ser o mesmo, ou muda de estado para estado??, então e ter consciência e não carregar para tais transportadoras que nao paga o frete de tabela, assim obrigaremos a eles a se adequar a nós e não nós a eles. Consciência povo da estrada para de aceitar qquer frete.

  • 06/04/2019 em 20:08
    Permalink

    Vou opinar pelo caminhão que tenho que é graneleiro! O dono do produto a ser transportado tem certeza que o produto dele vai ser carregado, porque alguém vai carregar, pelo preço que for, falta respeito na classe, falta desunião, é claro, a quantidade de caminhão e grande, mais se existisse um pouco de respeito tenho certeza que seria diferente.

  • 06/04/2019 em 19:46
    Permalink

    O mais correto é todo motorista tomar vergonha na cara e não carregar pois ele tem sertesa que tal região não tem cargas só aceita o frete acima da tabela a só pago a tabela não vou pois lá não tem cargas aí sim ele vai colocar as frotas para ir e voltar vazio pronto aí você vai ter uma visão do prejuízo

  • 06/04/2019 em 19:34
    Permalink

    Tem transportadoras ganhando mais do que o caminhão aí desconto seguro da carga e não paga predagio e tudo por conta do transportador e um abisurdo essas transportadora ganha tanto dinheiro em cima do caminhoneiro tem que emvestiga essas transportadora

  • 06/04/2019 em 18:38
    Permalink

    O unico culpado disso é o proprio carreteiro que aceita.se ninguem levar a carga mais barato.obvio que tera de chegar no destino a preço justo.se ninguem carregar.terao de pagar o frete ne.como o cidadao quer voltar ele acaba carregando mais barato.o que é tremenda desuniao e falta de respeito com os outros motoristas….simples assim

  • 06/04/2019 em 18:26
    Permalink

    Eu novamente me pergunto o real sentido de um blog que vincula o nome caminhoneiro onde parte de seu conteúdo contradiz nossas lutas e nossas conquistas. Frete retorno não existe e nunca existiu . O que se pratica é uma modalidade desonesta de contratação se aproveitando das pessimpé condições de trabalho do autonomo . Ainda vincula no meio da matéria a afirmação que essa modalidade nunca vai acabar e que e praticada em outros países. O escritor idealizador esqueceu de mencionar as condições de trabalho de Taís países . Ainda tem a plataforma (inovadora) robótica que cruza dados e consegue achar um coitado desesperado em um pátio de posto qualquer e empurra um frete irrisoria para o coitado

  • 06/04/2019 em 17:52
    Permalink

    Não existe frete retorno. A mercadoria tem que vir de algum lugar como a daqui foi pra lá. E deveria ser pago o mesmo frete de ida e de volta se for voltar carregado.

  • 06/04/2019 em 17:47
    Permalink

    Meu nome é Luis sou caminhoneiro a mais de 40anos e os serviços de fretes para os autônomos ou terceiros nunca avançou para mais so regrediu as grandes empresas de transporte fazem da categoria o que querem pura incompetência da classe política do nosso Brasil após a greve até hoje não se resolveu nada eu sou a favor a negociação direta com os donos do serviço,quan quanto ao retorno se for da mesma empresa eu cobraria 80 por cento do valor de ida, esse cara que se diz líder da nossa classe pra mim é um merda ele deveria ficar calado

  • 06/04/2019 em 17:43
    Permalink

    Neo existe frete de retorno, o caminhoneiro ao descarregar procura um frete, seja pra casa ou pra qualquer lugar, a lei tem impor essa regra.

  • 06/04/2019 em 17:32
    Permalink

    Gente vamis deixar de falar em frete retorno e vamos analizar a nova tabela de frete proposta pela ANTT, a partir de agora serão feitas audiências públicas em todas as regiões e se nada for mudado passará a valer esta nova tabela…..o frete será minimo mesmo, vai reduzir bastante em comparação com a tsbeta atual.
    Aí vão dizer que a notícia é ruim….mas não é… Pois com um frete mais real os embarcadores e transportadores vao continuar nos contratando e deixar de comprar frota.

  • 06/04/2019 em 17:25
    Permalink

    Muito boa observação… esse assunto deveria ser amplamente discutido, pois pelo meu entender o frete de retorno seria em tese uma troca de favores… uma cobrança de frete baseado na tabela tiraria a oportunidade das duas partes que depende dessa condição para finalizar suas operações.

  • 06/04/2019 em 17:07
    Permalink

    Eu entendo da seguinte forma eu sou autônomo eu sou contratado pra realizar um frete de sp p Sant inez Maranhão à empresa não é obrigada a pagar o retorno vazio eu tenho que procurar outra carga oq não entendo eq o frete retorno pra o mesmo percurso é 50 por cento do valor de ida
    Esa
    É minha idgnacao

  • 06/04/2019 em 17:06
    Permalink

    É dos caminhoneiros, mas saiba vc que, quando as contas chegam, elas não esperam. Pois um caminhão tem despesas, pra quem não sabe.

  • 06/04/2019 em 16:23
    Permalink

    A culpa é única e exclusiva dos caminhoneiros, que aceitam carregar por qualquer preço.

    • 06/04/2019 em 17:19
      Permalink

      Falou tudo, dão carona para cargas

    • 06/04/2019 em 20:18
      Permalink

      Eu pensei o mesmo que você. A culpa é unica e exclusiva dos caminhoneiros que deixaram chegar a esse ponto

  • 06/04/2019 em 15:50
    Permalink

    Caro amigo escritor, não existe frete de retorno, a tabela de frete está em vigor exatamente para acabar com essa situação, agora o que está faltando é vergonha na cara desse governo omisso em fazer se cumprir a lei, as despesas que temos para ir é a mesma que temos para voltar ….

    • 06/04/2019 em 16:00
      Permalink

      É UMA NO CRAVO E OUTRA NA FERRADURA,O GOVERNO É OMISSO E CORRUPTO,O CAMINHONEIRO É COVARDE E ACEITA TUDO,OS EMPRESÁRIOS SÃO DESONESTOS E SÓ PENSAM QUE SÓ A FAMILIA DELE TEM QUE COMER,OS AGRICULTORES VENDEM A SAFRA,PRIMEIRO TROCA OS CARROS DA FAMILIA E DAS AMANTES E POUCO TEM PREOCUPAÇÃO COM OS CAMINHONEIROS E ASSIM SEGUE O TRANSPORTE NO BRASILIXO.

  • 06/04/2019 em 15:05
    Permalink

    A culpa e nossa mesmo de aceitar carregar por preço de banana se ninguém carregar eles almenta o frete pois as margem de lucro do embarcador e alta.badta nós reagimos sem greve sem tabela e só não carregar.

  • 06/04/2019 em 13:23
    Permalink

    Pra tudo tem soluçao.todas as empresa q.fazem cotaçao de valores.tinha q.cotar 80%do total de toda a carga e os outros 20% ficaria pros autonomos ai iria melhorar pra todos.agora ad empresas grande fica com tudo pagao oq.querem pros autonomos.pergunto e dai onde fica os autonomos as entidades tinha q.ver isso

  • 06/04/2019 em 12:05
    Permalink

    Gostaria de conhecer o cara que fez essa matéria, cara não sabe nada de transporte. Não existe negociação entre transportadora e transportador. A transportadora estipula o preço do frete e ponto. O custo geralmente não cobre a despesa, gostaria de saber se a distância do ” retorno” como vcs dizem e menor do que a ida. Gostaria de saber se quando for abastecer se vai ter a bomba de retorno com um preço menor. Pq o retorno vale pro caminhoneiro e não vale para empresas de ônibus, táxi.

    • 06/04/2019 em 13:33
      Permalink

      Verdade esse lagarto que fez essa matéria não sabe de nada.

      • 06/04/2019 em 14:48
        Permalink

        Esses merda que fazem essas reportagens , o único conhecimento sobre caminhões que eles tem , é que caminhao atrapalha a estrada no fim de semana. Reportagem lixo para um blog lixo.

      • 06/04/2019 em 20:25
        Permalink

        Sou caminhoneiro a 30anos filho e irmão de caminhoneiro nunca passamos tanta dificuldade como nos últimos 5 anos meu pai começou com caminhao a gasolina de 6 toneladas tirava zero usa 5 ou 6 anos tirava outro zero não usava pneus ressolados tinha muita carga ganhava dinheiro era respeitado e admirados frete me lembro 30 por cento das empresas 70 dos motoristas autônomos a ganância dos empresários e incompetência dos governos com liberação de nutrem a e rodotrens nos levaram a miséria e falência dos autônomos o agronegócio produz com financiamento com juros baixíssimos vendem em dólar compram maquinários todos novos e modernos com aval do bnds e não podem pagar frete descentes tamos perdidos só deus por nos

Fechado para comentários.