MPF arquiva investigação contra empresários por suspeita de incitar greve dos caminhoneiros em 2018

Um ano depois, os sete inquéritos instaurados pelo Ministério Público Federal (MPF) em Santa Catarina, para apurar eventuais crimes praticados durante no Estado durante a greve dos caminhoneiros, estão todos arquivados. Inclusive os que investigavam os empresários Luciano Hang e Emílio Dalçoquio. Na época, os dois estiveram entre os alvos de apuração por suposta conduta contrária à Lei de Segurança Nacional.

As investigações, que correram na sede da Procuradoria da República em Itajaí, incluíam suspeita de incitação à greve e a animosidade entre as Forças Armadas e civis. Os inquéritos concluíram que não houve responsabilidade dos dois empresários.

Investigações pelo Estado

Outros alvos de apuração não tiveram os nomes divulgados pelo Ministério Público. Inquéritos do MPF correram em Santa Catarina nas cidades de Florianópolis, Joinville, Itajaí, Criciúma, Chapecó, Lages e Dionísio Cerqueira.

LEIA MAIS  PRF recupera dois caminhões roubados na divisa entre Paraná e MS

O MPF acompanhou as investigações da Polícia Federal, que incluíam supostos crimes decorrentes de eventuais excessos e abusos de direitos cometidos por manifestantes do movimento dos caminhoneiros. Os inquéritos relacionados a esses casos também foram arquivados.

Premiação

A atuação coordenada do MPF em Santa Catarina, para enfrentar a crise de desabastecimento provocada pela greve dos caminhoneiros, resultou no primeiro lugar na categoria Constitucional e Infraconstitucional do Prêmio República, entregue em Brasília no fim de abril. A premiação é da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), e teve 142 iniciativas inscritas este ano, em 12 categorias.

LEIA MAIS  SVD Transportes Rodoviários apresenta novidades em serviços na Fenatran 2019

O procurador-chefe da Procuradoria da República em SC, Darlan Airton Dias, comentou sobre a atuação do MPF durante o período.

— Santa Catarina foi muito afetada pela greve dos caminhoneiros. O MPF atuou viabilizando o transporte de bens essenciais, por exemplo, órgãos para transplante. Atuamos também na negociação com líderes grevistas e na desobstrução das rodovias – comentou.

O trabalho do Programa Bem Viver “Da Horta ao Pedal Humanitário – Ações de Cidadania”, também desenvolvimento em Santa Catarina, ficou com o segundo lugar.

Fonte: NSC Total