Transportadoras e caminhoneiros alertam para risco de nova paralisação




Representantes dos caminhoneiros voltaram a defender, ontem (8), que a Petrobras reajuste o preço do óleo diesel com menos frequência, espaçando o máximo possível os aumentos do valor do combustível. Segundo representantes da categoria que participaram da audiência pública na Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados, a oscilação dos preços tem inviabilizado a definição do valor do frete cobrado, prejudicando os caminhoneiros autônomos e as transportadoras.

“Não temos a capacidade técnica de suportar aumento de preços diários, quinzenais ou mesmo mensais”, disse o presidente da Confederação Nacional do Transportes (CNT), Vander Francisco Costa, ao apresentar a sugestão da entidade que representa as empresas de transporte de carga. “Nossa proposta é que as variações de preços que acompanham o mercado internacional sejam feitas com intervalo mínimo de 90 dias. A Petrobras tem condições de fazer isso sem alterar sua política de preços”, afirmou Costa, lembrando que a própria Petrobras, como contratante do transporte rodoviário, é prejudicada pela falta de previsibilidade que tende a prejudicar os caminhoneiros ou encarecer o frete.

Já o presidente da Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), José da Fonseca Lopes, criticou os frequentes aumentos do óleo diesel e o descumprimento da tabela mínima de frete. A política do frete mínimo foi uma das reivindicações dos caminhoneiros que paralisaram as estradas de todo o país em maio de 2018. A Lei 13.703, de agosto do ano passado, estabelece que os pisos mínimos de frete deverão refletir os custos operacionais totais do transporte, definidos e divulgados nos termos da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), com priorização dos custos referentes ao óleo diesel e aos pedágios. O que, segundo Fonseca, está sendo descumprido.

“Ninguém está cumprindo a lei. O que está acontecendo é que o caminhoneiros autônomos estão sendo penalizados, estão morrendo à míngua. Não temos mais trabalho. O óleo diesel aumenta todos os dias. Algo precisa ser feito urgentemente”, pediu o sindicalista. “Nos subterrâneos, em volta do que está acontecendo aqui, está se armando muita coisa ruim, muita coisa feia para desestabilizar este governo e este país. Vocês podem achar que isto não é verdade, mas é”, acrescentou Fonseca, explicando que diretores e membros da Abcam participam de centenas de grupos de Whatsapp onde o “descontentamento” de cerca de 150 mil caminhoneiros “está fervendo”.

O presidente da Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA), Diumar Bueno, reforçou que a crescente insatisfação dos caminhoneiros autônomos pode resultar em uma nova crise. “É preciso uma definição, [são necessárias] ações diretas para o problema do óleo diesel. Ou acabaremos de forma calamitosa. E já estamos muito próximos do que aconteceu no ano passado, daquela situação estagnante.”

“A previsibilidade de reajuste de preços a cada 15 dias não vai surtir nenhum reflexo para o setor. Nem para os autônomos, nem para as empresas. Isto é muito pouco para a previsibilidade logística de que precisamos para [definir] o frete”, afirmou o presidente da CNTA, defendendo medidas além da definição do frete mínimo. “Já no ano passado, quando defendemos a tabela de frete, falávamos da regulação transparente, lógica, de um piso mínimo de frete. O atual governo reconhece que a indústria e o agronegócio estão pagando muito pelo frete, enquanto os caminhoneiros estão recebendo pouco. Isso é resultado da falta de regulamentação. A partir do estabelecimento do piso mínimo de frete, o caminhoneiro vai poder usufruir do livre mercado, podendo estabelecer sua margem de lucro”, finalizou Bueno.

Presente à audiência, o secretário executivo do Ministério da Infraestrutura, Marcelo Sampaio, assegurou que, antes mesmo de assumir, ainda durante a transição, o governo federal vem procurando dialogar com os representantes do setor a fim de elaborar políticas públicas que assegurem a sustentabilidade da atividade. Sampaio disse que a questão da tabela de frete está sendo “revista” com a “ampla participação das categorias”. O secretário executivo afirmou que o governo vem atuando para reduzir a burocracia e aperfeiçoar a regulamentação das várias atividades envolvidas no setor.

A superintendente de Serviços de Transporte Rodoviário e Multimodal de Cargas da ANTT, Rosimeire Lima de Freitas, lembrou que, ao longo do mês, a agência realizará audiências públicas para discutir a questão da tabela do frete.

Fonte: Agência Brasil




33 comentários em “Transportadoras e caminhoneiros alertam para risco de nova paralisação

  • 13/05/2019 em 18:20
    Permalink

    Tem uns bolsonaristas se passando por caminhoneiro como o ed e puxando a sardinha pro bollsonaro, falando que não podemos parar, essa pessoa deve ser alguem que nunca entrou em um caminhão e que acha que o diesel esta barato, quem trabalha na estrada com esses fretes baixos e diesel altissimo, sabe quantos reais gastamos em diesel, mas alguns almofadinhas de apartamento vem aqui defender o “bezerro de ouro” bolsonnaro que tanto idolatram, e nem sequer são caminhoneiros, são filinhos de papai, burguesess isso sim

  • 09/05/2019 em 21:00
    Permalink

    E muito blá, blá, blá eu já tô parado e o caminhão tá recolhido eu fiz as contas e não dá para trabalhar com o diesel com preço abusivo a realidade é essa vou tentar a sorte em outro ramo más fico na esperança que as coisas melhore pra nós caminhoneiros ninguém respeita a tabela e o governo não toma medidas efetivas para a solução do problema vou parar antes que o meu caminhão vire sucata porque de onde tira e não tem retorno o destino é acabar!!!!

    Pra quem fica no ramo boa sorte!!!!!!!!

  • 09/05/2019 em 20:45
    Permalink

    Fomos todos enganados..pelos nossos governos , falou tantos ia ajudar a categoria autônomos caminhoneiros..até no momento não vi nada.. pra vcs ver lutamos apoiamos nós carregava número 17.. no peito e agora … estou decepcionado..agora não acredito mais ninguém.. nenhum governo??? Me desculpe só desabafo.. amigos caminhoneiros já vendi minha carreta não aguento mais esse brasil,, tanto conversas mole….

  • 09/05/2019 em 19:52
    Permalink

    Fazer milagres o atual presidente, não faz. São anos de pouca vergonha com os caminhoneiros. Os nossos problemas, acabar se fechar o congresso e o senado. Um deputado representa R$ 302,500,00 Mês. São 518. Pra que tanta gente gastando o nosso dinheiro. Venha ver a BR 316. O Maranhão o asfalto é o famoso, sonrisal, choveu acaba. Culpa de quem? Só roubo. O Sr. Lula vendeu a Petrobrás. Ninguém pode intervir. Como vai ficar? Sr. Presidente, sei que tudo não se faz da noite para dia, por favor, com máxima urgência o exército Brasileiro cuida do trecho da BR 316, de Santa Inês a divisa com o Pará. Confio na sua equipe. Sou a favor do diálogo. Para chegar ao denominador comum. Vamos ajudar o Brasil. Um abraço a todos.

  • 09/05/2019 em 18:07
    Permalink

    Desculpa aí pessoal, respeito muito todos os caminhoneiros ainda mais q meu pai é um. Mas vamos parar de mimimi,tem q parar geral,se organizar para q possam ficar em suas casas e parar de rodar mesmo,pra quebrar essa merda chamada Petrobras,isse empresa tá cada dia mais rica as custas do povo. Não adianta de nada fazer greve e aceitar qualquer coisa,tem q deixar falir essa merda,assim abre para q mais empresas possam vender combustível como acontece na Europa,não tem essa de monopólio não.

  • 09/05/2019 em 17:45
    Permalink

    somos brasileiros covardes. aceitamos todos esses desmazelos . só reclamamos nas redes sociais.

  • 09/05/2019 em 17:32
    Permalink

    Não podemos aceitar esse desgoverno do BOZO que teve nosso voto em massa para fazer o mesmo que os outros faziam. PARALISAÇÃO JÀ!!

  • 09/05/2019 em 16:21
    Permalink

    Não tem como trabalhar dessa forma, pneu $2000, seguro mais $1200, rastreador$1800, parcela $3600 e o diesel quase $4 reais, a gente roda dez doze mil km ao mes, ai ve la quanto fica td isso, ta impossivel continuar assim, queremos ajudar o governo mas tambem precisamos ser ajudados, sem o tabelamento e a fiscalização da ANTT não tem como trabalhar mais

  • 09/05/2019 em 15:24
    Permalink

    Por experiência própria já organizei 3 greves em uma empresa onde trabalhava .
    E com o governo e a mesma coisa PATRAO X PIÃO.
    na primeira greve que organizei ocorreu como a primeira dos categoria não ganhamos nada .
    A segunda que está por vir e não tem como fugir dela só conseguimos a metade então se pararmos mais uma vez ainda não vai ser o suficiente irá de ter uma nova pra fechar com chave de ouro .
    oque precisamos é de representatividade isso não temos oque temos são pessoas lá que só pensão em benefício próprio.

  • 09/05/2019 em 15:10
    Permalink

    Vim agora mesmo de Camaçari na Bahia para são Paulo no valor de 2.700 reais só me sobra 200 reais onde a transportadora cobra 13.000 mil do embarcador ela fica com a maior parte da fatia maior não com toda a fatia por eu só fiquei com os custos sem falar que da Bahia até aqui são mais de 2000 km e todos os postos de fiscalização da ANTT estão todos fechados oque percebi depois da tabela de frete eles não abrem mais .
    Depois não digam que não tentamos negociar ..

    • 09/05/2019 em 15:54
      Permalink

      Ja passou da hora de pararmos deixar a coisa pior que ano pasado,

  • 09/05/2019 em 14:56
    Permalink

    Sabem qual a razão do preço ser bem mais barato para os bolivianos? É que para vender para outros países têm que enfrentar a concorrência e aqui é o monopólio, simples assim. Ainda tem babaca imbecil dizendo que a Petrobrás é nossa, nem aqui nem na puta que pariu!

  • 09/05/2019 em 14:50
    Permalink

    Tá só passando o tempo e não resolve nada.precisamos parar logo.só vendo o prejuízo que da uma greve de caminhões vai chamar atenção desses santos políticos.

  • 09/05/2019 em 14:39
    Permalink

    No primeiro trimestre de 2919 a Petrobrás anunciou R$ 4 bilhões de lucro, aí eu pergunto porque não dá para segurar o aumento do diesel que é a base da produção e transporte?
    Porque se continuar esses aumentos constantes não vai quebrar só o transporte de mercadorias, mas também as prefeituras que dependem de veículos para transportar os pacientes até aos centros especializados, ou seja um caos eminente.
    Eu fui caminhoneiro por mais de trinta anos, e vou dar uma sugestão que acredito ser fundamental:
    1°- O preço diesel precisa ser congelado por um ano, se for implantado outras medidas urgentes pode ter reajuste a cada seis meses.
    2°- É preciso criar uma lei em que cooperativas agrícolas ou de transporte, associações, industrias, sindicatos ou qualquer outra instituição séria, implantem um departamento de transporte com liberação do conhecimento eletrônico através da tabela de fretes, com seguro e tudo o que for necessário para o transporte de mercadorias. Assim os caminhoneiros se associam ou filiam-se e fazem o transporte direto por essas entidades e os donos dos produtos pagam os fretes a eles que repassam a quem realizou o serviço, ou direto ao proprietário do veículo.
    3°- Agronegócio ou indústria que comprarem caminhões fica proibido fazer fretes, somente transporte de carga própria.
    4°- Se for assim, essa tabela de fretes apresentada pode ser diminuída em 10% que fica bom para todos os setores, tanto para quem produz tanto quem transporta. Mas com fiscalização intensa e constante.
    E 5°- Não pode adquirir veículo de transporte quem não tiver ou já teve registro na ANTT, e no máximo três veículo por CPF, depois disso é obrigatório registrar empresa.
    Por experiência acredito que assim funciona, mas se estou errado por favor me corrijam.
    E tomara que a China e os EUA não se acertem, e se isso for vai deslanchar as exportações, o preço da soja melhora e vamos ter mais fretes.

    • 09/05/2019 em 15:07
      Permalink

      Está também é a minha maneira de pensar .você está correto. Como caminhoneiro tá difícil. Mais desta forma seria a luz no fim do túnel

      • 09/05/2019 em 16:07
        Permalink

        Como vai haver uma greve dos caminhoneiros? a feik é tão vagabunda.pois a faixa é no 21.05.18.tem quê ficar rindo.kkkk

    • 09/05/2019 em 19:23
      Permalink

      olhar geral congelamento e tabela seja do que for nao funciona em lugar neum do mundo o mercado e livre

  • 09/05/2019 em 14:15
    Permalink

    Acho q ta uma vergonha oq ta acontecendo …mas nao creio q seja agora a hora de uma paralizaçao…….nao podemos desviar o foco da reforma da previdência….. Nao podemos nos deixar levar a sermos usados pelos partidos contrarios ao governo….tudo em seu tempo

    • 09/05/2019 em 15:40
      Permalink

      Mas o que tem a ver uma coisa com a outra???? vc acha mesmo que essa reforma vai beneficiar alguém? Tem que parar sim, e mostrar para esse sem vergonhas que eles não podem fazer o que querem sempre.

  • 09/05/2019 em 14:07
    Permalink

    Incrível como nós motorista e donos de caminhão estamos aguentando isso,a matemática não bate. O diesel sobe semanalmente,e o frete? Estou aqui em Simões Filho na Bahia,os agenciadores de carga estão contratando pela metade da tabela do frete,cadê à ANTT?

  • 09/05/2019 em 14:07
    Permalink

    Boa tarde a todos.
    Para logo , já foi visto que não tem acordo com o governo!!
    Mas dessa vez quebrar todo mundo!!
    Pra sentir na pele o que nós estamos sentindo !!
    Sem falar nas multas absurda da ANTT de 5000 reais … Por fiscalização em balança!!

    PQP gente não dá. +..!!!

  • 09/05/2019 em 14:04
    Permalink

    Montadoras vendendo caminhões a todo vapor.
    Onde está a crise das transportadoras?
    O único que está se lascando é o autônomo que é explorado por todos os lados.

    • 09/05/2019 em 19:59
      Permalink

      vai vender muito mais porque querem tabelar, eles não pagam tabela de frete eles compram mesmo, transportadoras e autônomos vão ficar sem frete não tem carga as empresas de agro negocio e industrias não vai pagar tabela nunca ,prepara 2020 vai ter caminhão a rodo procurando carga do Oiapoque ao chui os que estavam transportando para o agro negocio e industrias vão perder o frete ok.

  • 09/05/2019 em 13:46
    Permalink

    Caminhoneiro parar de novo vai ser massa de manobra novamente… Tabela mínima, tiro no pé, controle de preço de combustível, outro tiro no pé… Quando vão aprender a fazer conta de custos? Quanto mais vcs pedem controle, mais beneficia as grandes transportadoras… Param de novo e a situação não vai melhorar para o lado do autônomo, esse vai ser o maior prejudicado…. Vão estudar e compreender o mercado em que atuam antes de cuspir baboseiras de quem nem sabe o custo que tem..se o frete tag ruim eh por conta da situação econômica do país e também porque vcs pegam frete com valores horríveis.. Vcs tem culpa pelo frete ser barato.. Quer melhorar? Passa a não pegar frete ruim…melhor passa a pensar com a cabeça, isso ajudaria muito a classe de vcs…

    • 09/05/2019 em 15:17
      Permalink

      Em partes vc está correto eu mesmo só pego carga ruim pra voltar para minha origem e vindo de lá pra não encontro nenhum posto da ANTT fiscalizando oque faço e enviar a documentação para eles por email que acredito que não resolva .

    • 09/05/2019 em 15:42
      Permalink

      Só pode ser piada um comentário desses!

  • 09/05/2019 em 13:28
    Permalink

    Não só os caminhoneiros que deveria parar mas todo o povo brasileiro eu apoio a ideia.

  • 09/05/2019 em 13:12
    Permalink

    Nos temos pretroleo suficiente pra resolver essa crise, sao 2.4 minhoes de barris de petróleo pruduzido no Brasil precisarmos de apenas 2.2 minhoes de barris , mas a pretrobras so refina 1.6 minhoes de barris ou seja 60% e os 40% ela importa em dólares .ela fez isso a mandato do governo temer esse ladrão miseravel. Todas as refinarias tem capacidade de produzir 100% do conbustivel consumido internamente . TEMOS QUE PARA SIM SIM ATÉ ESSES LADRÃO E NAO POLITICO FAZEREM ALGUMA COISA. VAMOS NOS ARMA E PARTIR PRA UMA GUERRA CIVIL E MATAR TODOS ESSES POLITICO LADRÃO.

  • 09/05/2019 em 13:02
    Permalink

    Isto é uma vergonha total…quem paga o pato somos nós.se este governo não tomar nenhuma atitude temos mais é que para tudo. somos tratados pior do que cachorro
    .. Sem nós o Brasil não anda !!!!!!!

  • 09/05/2019 em 12:08
    Permalink

    Vai parar tudo de novo. Ficamos reféns de um monopólio maligno que manda e desmanda nos preços desses combustíveis, quando pára tudo o Zé Povinho fica culpando a nossa classe ao invés de culpar a Petrobras. Eles têm carros e motos, também estão sentindo esses aumentos, ao invés de apoiarem são os que mais reclamam, por isso o país está assim. Pobres gerações vindouras, o quê será delas? Será que teremos que imigrar em massa como os venezuelanos?

    • 09/05/2019 em 12:50
      Permalink

      Concordo plenamente com você Rodrigo. Trabalho fazendo entrega de medicamentos e também sinto os efeitos diários do aumento do combustível.
      Durante a primeira greve, a empresa que eu trabalho teve que remanejar todas as rotas pra poder entregar tudo, enquanto tinhamos combustível.
      Fomos prejudicados, mas se não for dessa forma, as coisas não andam nesse país.
      Todos precisam trabalhar e todos dependem de combustível, mesmo quem não dirige.
      Esperamos que o governo possa agir e nos ajudar pois, com o combustível aumentando sem controle do jeito que está, logo teremos um caos e não será por causa da segunda greve.
      Não adianta tentar acompanhar o preço do barril de petróleo se o nosso salário não acompanha na mesma velocidade.
      Dessa forma, teremos uma crise de inflação nos preços, como foi no passado, onde um pão custava 10 centavos num dia, e no dia seguinte já custava 25.

      • 09/05/2019 em 18:53
        Permalink

        Boa note enguanto o governo não tomar uma providência pras empresa comprar os caminhões pra sua própria carga tem que ser placa branca pra pichar seu produto e nao poderem faser fretes pois os mesmo usao comprar através de suas terras com juros baixo com carência de três anos e dez anos para pagar seus caminhões enguanto nos autônomo nao conseguimos linhas de crédito com juros e carência nos que vivemos do transortes sou motorista há trinta e dois anos tenho um 113 noventa e cinco nao consigo trocar num mais novo pois que ganho fica em disel pedágio mecânica nao aguento mais gostaria de poder comprar um mais novo nao consigo pois os atravessadores que sao as transportadoras fica com meu lucro pois nao conseguimos carregar direto das indústrias meu frete e de 14mil enguanto o da traspotranspor e de 22mil o governo recebe o ICMS no valor da transportadora tem que rever a ntt nao fiscaliza nada vim de porto velho há Curitiba ninguém fiscaliza nada e só liberar o manifesto de transporte perante o deposito do frete em conta do dono do caminhão aí libera o manifesto de trasmporte

      • 09/05/2019 em 18:57
        Permalink

        Temos q nos unir para acabar com monopólio da Petrobras q tem lucros astronômicos e ainda exporta nosso petróleo massacra povo sou caminhoneiro a 30 anos filho de caminhoneiro eu meus irmão tios e primos colegas nunca passamos por tanta necessidade sem conseguir pagar as contas básica manutenção e comprar p pneus $2000 reais cada um absurdo tabela de frete por enquanto beneficiou ainda mais transportadoras e atravessadores ficou ainda melhor p eles tanto e q as montadoras não estão vencendo entregar caminhoes novos p eles e agronegócio motorista de uber ônibus escolar motoboys entregadores e o povo tem q nos ajudar só assim conseguiremos algo pois desta vez as transportadoras não estão nem aí p Nois eles querem q vamos pilotar p eles isso sim

Fechado para comentários.