Vida está muito pior um ano após greve, dizem caminhoneiros

Após a mobilização inédita, que conseguiu travar o transporte de cargas no Brasil por 11 dias em 2018, a sensação entre os caminhoneiros era de vitória. Uma longa e polêmica lista de exigências havia sido atendida pelo governo de Michel Temer. Prestes a completar um ano, porém, o movimento já não parece tão bem-sucedido assim para esse grupo de trabalhadores.

O consenso entre os caminhoneiros é que a situação está pior do que antes da paralisação.

Entre os pedidos atendidos, destacaram-se o subsídio ao diesel, que acabou em dezembro, e a criação de uma tabela com preços mínimos para o frete, que foi instituída via decreto, mas nunca valeu de verdade.

A medida está sendo questionada na Justiça, é contornada pelas empresas, que até investiram em frota própria e outros tipos de transporte para evitar a dependência do caminhoneiro autônomo, e não é devidamente fiscalizada pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), segunda reclama a categoria.

“O Brasil nunca esteve tão ruim”, diz Paulo Roberto Moraes dos Santos, 57, proprietário de quatro caminhões que compartilha com o filho e o sobrinho. O caminhoneiro de Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul, afirma que agora nem adiantam tabela do frete ou diesel barato. Falta trabalho.

“Está tudo parado, não tem serviço, não tem carga para todo mundo. Precisa melhorar o país como um todo. É saindo da crise, voltando a produzir mais e a vender mais que vai ter carga para a gente transportar”, diz Moraes.

João Batista Rodrigues Alves, 47, de Fortaleza, no Ceará, conta que passou 14 dias na beira de uma estrada, em Belém, no Pará, quando aderiu ao protesto. Agora, porém, para por não ter que o fazer.

Na segunda-feira (6), completava o quarto dia sem encontrar trabalho no Terminal de Cargas de São Paulo. Antes do serviço que o levou à capital paulista, ficara 18 dias em casa à espera de um frete.

Pelo trajeto de Fortaleza para São Paulo, recebeu R$ 9.300 —R$ 2.700 menos do que ganhou da última vez.

“Se eu tivesse visto um posto de fiscalização da ANTT, eu teria parado e denunciado [a empresa que pagou menos que o piso do frete]. Mas não vi nenhum”, diz ele.

Segundo Alves, as transportadoras chegam a provocar os caminhoneiros que ameaçam denunciá-la: “Nos dizem: pode denunciar, nunca vimos uma multa chegar aqui”.

LEIA MAIS  Suspensys desenvolve módulo de tração auxiliar para carretas apresentado pela Randon

José Francisco de Oliveira, de São Paulo, reclama que a maioria das empresas não cumpre a tabela do frete. “Agora [com menos serviço] é que não vão cumprir mesmo”, diz.

Quando conversou com a reportagem, Oliveira disse estar há 20 dias com o caminhão estacionado.

Representantes do governo de Jair Bolsonaro (PSL) têm feito reuniões com os caminhoneiros desde o período de transição. A principal promessa é aumentar a fiscalização para obrigar as empresas a cumprir o valor da tabela.

No Terminal de Cargas de São Paulo, a reportagem encontrou vários caminhoneiros parados havia dias à espera de trabalho. Vindos de outros estados, eles estacionam os caminhões em um terreno próximo à rodovia Fernão Dias.

O local é estratégico por ficar ao lado do terminal onde a maioria das transportadoras repassa cargas para os autônomos. Por isso, a permanência ali tem o seu preço. São R$ 80 para estacionar por até 15 dias.

Parado há quase duas semanas, Vanderlei Araújo, 62, conhecido como Capitão, já não consegue tirar o caminhão facilmente. A bateria “arriou”.

Será preciso pagar R$ 20 para o mecânico do local fazer a chupeta e recuperar as baterias. Mas ele só terá os R$ 20 quando pegar um frete de volta para Curitiba, no Paraná.

Com o dinheiro que receber também vai quitar a conta da lanchonete da Nêga, que fica na beirada do estacionamento. “A gente só consegue comer porque o pessoal ajuda e vende fiado”, diz.

Claudemar Alves da Silva, 55, de Sinop, em Mato Grosso, conta que já teve de reunir caminhoneiros para pagar uma marmita a um colega que não tinha dinheiro.

“A gente tinha reserva até o governo da Dilma. Depois que ela saiu, todo o mundo teve que usar o que tinha guardado para poder sobreviver”, afirma. Silva diz que nos anos de bonança teve R$ 18 mil na poupança —reserva para manutenção do caminhão.

O governo Michel Temer mudou a política de preços dos combustíveis, e as variações passaram a ser diárias. Em decisão para agradar à categoria, Bolsonaro anunciou, em março, que o intervalo de aumento passaria a ser de 15 dias.

O motorista de Sinop conversava com a reportagem apressado para atender o celular. Era um possível frete: “Se a gente demora cinco minutos para responder, vem outro e leva”.

Ele está ali esperando para voltar a Mato Grosso. Conta que, em qualquer lugar a que chega, demora até oito dias para pegar um carregamento de volta ao estado de origem. “Antes, aqui neste mesmo terminal, eu chegava de manhã e à tarde já estava carregado para voltar”, diz.

LEIA MAIS  Librelato entrega Graneleiro Rosa para o Grupo Brambila em homenagem às mulheres

Araújo e seus colegas atribuem a queda na oferta de serviço às transportadoras, que compraram grandes frotas e “jogaram o frete lá embaixo”.

Dados do setor mostram que houve um movimento das empresas para comprar caminhões e ampliar a frota própria após a paralisação. Desde maio de 2018 foram fabricados 75.628 caminhões, segundo a Anfavea, entidade dos fabricantes de veículos.

No ano passado, o número de emplacamentos de novos caminhões cresceu 48% em relação a 2017, de acordo com a Fenabrave, que reúne distribuidores de veículos.

Marcelo Bezerra, 43, de Marília, interior de São Paulo, diz que, depois da greve, as transportadoras deixaram de procurar os agenciadores, que atuam como intermediários entre empresas e autônomos.

“Antes os agenciadores esfolavam a gente. Agora, está pior, porque quase já não tem mais agenciador”, diz o caminhoneiro, que está há 15 dias parado no estacionamento.

Segundo Wallace Landim, o Chorão, um dos representantes dos caminhoneiros que fala com o governo, a solução para o excesso de caminhões e a falta de cargas é o cumprimento da jornada de trabalho. Assim, os caminhoneiros trabalhariam menos, e seria preciso contratar mais.

Araújo, de Curitiba, cita de cór e em tom de revolta os números de caminhões que as grandes transportadoras compraram nos últimos meses. Para ele, os autônomos devem reivindicar maior participação no mercado.

“Tem que fazer as transportadoras passarem 40% do frete para os caminhoneiros autônomos, terceirizados”, afirma. Ele diz que leu a ideia em um dos grupos de WhatsApp que acompanha.

Procurado, o presidente da CNT (Confederação Nacional dos Transportes) não estava disponível para falar.

Se houver ou não mudanças para quem vive nas estradas, Araújo não vai pagar para ver. Há 40 anos na estrada, ele diz que cansou. Quando chegar ao Paraná, vai vender o caminhão forrado de adesivos da campanha de Jair Bolsonaro, em quem ele diz ser a sua única esperança.

“Estou velho, vou arrumar outra coisa para fazer. Vender isso daí [aponta para o caminhão], sei lá, trocar por uma galinha”, afirma.

Fonte: d




30 comentários em “Vida está muito pior um ano após greve, dizem caminhoneiros

  • 13/05/2019 em 04:12
    Permalink

    Bom dia aos trabalhadores desse Brazil sejamos fortes não existe presidente Salvador e um homem como todos nós sou caminhoneiro autônomo todos queremos uma só oportunidade de trabalho tem que parar de reclamar não é bom esse frete não carrega para de ser explorado por agentes por empresas , de valor pelo seu trabalho agradeço a Deus por mais esse dia .

  • 12/05/2019 em 17:09
    Permalink

    Isso já estava na cara q ia acontecer fizemos greve e as transportadoras si deram bem muito triste isso

  • 12/05/2019 em 07:44
    Permalink

    Serviço expresso de navio entre Porto de Suape e Porto de Santos, vai tirar 2 mil caminhões por semana das estradas. A Economia é um ser vivo ! Não adianta impor, a economia se adapta !!

    • 12/05/2019 em 08:17
      Permalink

      Se esse serviço expresso entre os portos que você falou começar a mexer no bolso dos GRANDES transportadores, DUVIDO que eles deixem isso barato e continuem a perder dinheiro, alguma coisa os ricaços bundinhas de seda irão fazer para não tomarem prejuízo! Rsrsrsrsrsrs! Acorda cara, aqui é o país da corrupção, e quem tiver a maior quantidade de propina a oferecer se dá bem!

      • 12/05/2019 em 09:47
        Permalink

        Rodrigo, se os GRANDES transportadores estivessem nadando em dinheiro não teriam feito greve ok ? Já viu os balanços da JSL, que é a maior ? Falo de FATOS, ok ? serão 2 mil caminhões a menos, = menos carga, etc. Sonhos, propina, corrupção, etc, existem sim, mas não temos como mensurar por enquanto. Portanto, vossa excelencia é que precisa acordar.

  • 11/05/2019 em 22:09
    Permalink

    Pediram para levar quando apoiaram o golpe da Dilma

  • 11/05/2019 em 20:07
    Permalink

    Com os aplicativos de fretes( que fazem leilao de frete) , atravessadores e um sistema chamado ANTT que só fiscaliza o que a de errado com os caminhoneiros e não as empresas que burlam as leis , nós autônomos estamos e ferrados mesmo.

  • 11/05/2019 em 19:34
    Permalink

    Faz arminha.seus tontos..tomaram no cu né..acho é pouco..ingratos

    • 12/05/2019 em 08:30
      Permalink

      Quando a gasolina que você usa chegar a valer de 7 a 10 reais o litro você vai sentir na pele o que a classe mais sofrida por você está sentindo. E ingrato é você porque não reconhece a importância do caminhão para fazer essa nossa economia girar todos os dias, os alimentos que você compra, os produtos de limpeza e higiene que você usa, enfim muitas coisas passam pelo caminhão até chegar em VOCÊ.
      E não venha dizer que um TREM vai tomar tudo que é serviço dos caminhões que está TOTALMENTE ERRADO. Os trens servem mais pra transporte de commodities em grande quantidade, mas pra transporte regional, ESQUECE. Um modal COMPLETA o outro, nunca substitui, e se um dos modais for destruído, os outros SOFRERÃO.
      É por culpa de pessoas como você que o país vai mal, ao invés de falar palavras de apoio, aponta esse seu dedinho na nossa cara a fim de tentar desmoralizar, mas não é isso que vai tirar nossa HONRA e CORAGEM por sermos a classe mais guerreira e uma das mais trabalhadoras desse país.

    • 12/05/2019 em 22:27
      Permalink

      Este deve ser um petistas revoltado aínda .acorda vc seu idiota seu chefe tá na cadeia e dela não bsai tão cedo kkkkkkkk

  • 11/05/2019 em 19:26
    Permalink

    Esse tal de Bolsonaro tem que descer do palanque e começar a governar o Brasil
    Só assim a economia brasileira começa a crescer e gerar renda e trabalho pra todos

  • 11/05/2019 em 19:21
    Permalink

    sou autonomo, as coisas tá ruim mais já mais votaria na facção ptista

    • 13/05/2019 em 07:34
      Permalink

      Então vc deve está satisfeito, não tem do que reclamar!

  • 11/05/2019 em 18:32
    Permalink

    Tem que atrás desses FDP q na hora da greve foram se apresentar como representantes dos caminhoneiros e não fizeram nada e não meter pai no governo

  • 11/05/2019 em 17:24
    Permalink

    Pois é, meteram a lenha na Dilma e no Lula, votaram nesse babaca desse Bolsonaro, o pais tá andando pra trás, eles só fazem brigar entre eles, pai, filhos, vice, deputados do mesmo partido, estão preocupados com a Venezuela, o homem tá que viaja e o Brasil jogado às traças, sem rumo, antes você abria o fretebrás tinha mais de 30 mil cargas, hoje não chega à 7 mil, estamos ferrados e sem nenhuma luz no fim do túnel, olha o diesel prá onde foi, esse raio de tabela que nunca funcionou, e o governo enrolando os babacas que vão lá participar das reuniões prá evitar as greves, as estradas estão cheias de caminhões novos que estão sendo entregues agora às transportadoras que compraram no período da greve, infelizmente o negócio vai piorar ainda mais …

    • 11/05/2019 em 18:29
      Permalink

      Dilma e Lula ficaram quantos anos no poder e não fizeram nada só roubaram??
      Agora Bolsonaro tá a 5 meses e tão reclamando??
      Quem entregou governo com essa merda de tabela de fretes??
      Não entendo esse povo anos levando c. E agora querem solução na hora kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      • 11/05/2019 em 19:09
        Permalink

        Boa noite migao vc não é caminhoneiro porque chofe de verdade dirige seu caminhão não defende partido e sim sua família seu caminhão vc é um agitador querendo tirá o foco do pior governo que esse país já viu

      • 13/05/2019 em 23:02
        Permalink

        JRV, no tempo de Lula e Dilma você tinha vida boa. Pare de ser besta em acreditar no Bolsonaro porque o objetivo dele é acabar com o Brasil

    • 11/05/2019 em 20:56
      Permalink

      Babaca é esses cavalo nó cego que não enchergam que essa PeTezada Comunista que quebrou o pais. Hoje estamos só colhendo o que foi semeado esses anos todos desses corruPTos. Só pra refrescar a memória de vcs , quando o FHC entregou o pais o País estava em crescimento no PIB e com crédito perante os estrangeiros e uma das melhores economias , e olha como receberam o país agora. Facil querer que se resolva em 5 meses o que não fizeram em 16 anos.

  • 11/05/2019 em 16:49
    Permalink

    Esse bloguinho vai ter que mudar de nome. Ao invés de ser “Blog do Caminhoneiro”, vai pra “Blog do Transportador”, porque os autônomos acabaram, os corruptos enfim os esmagaram.
    Quer ser caminhoneiro? Procure aprender inglês e se mude para os Estados Unidos, Canadá ou Austrália. Lá você vai ser valorizado, aqui na corruptolandia não.

  • 11/05/2019 em 16:41
    Permalink

    Bom mesmo é ser caminhoneiro nos Estados Unidos, onde você consegue lucrar porque seu trabalho é valorizado. Pelo jeito aqui só as grandes empresas terão caminhões, os autônomos terminaram.
    E do jeito que esse governo de mherda está (des)governando o país, vai faltar carga até pras transportadoras pelo fato de nosso país estar se isolando do resto do mundo pois o Bolson não está fazendo nada ou é aquele Congresso que trava tudo que ele quer fazer.
    A crise mora bem perto de nós, está em BRASÍLIA!

  • 11/05/2019 em 16:11
    Permalink

    Acho que o combustível deveria ser TABELADO POR REGIAO e acabaria os cartéis pq esse lance de livre concorrência foi a maior sacanagem que fizeram com todos nós.E investir também na Ferrovia Norte Sul pq não prejudicaria os caminhoneiros que levariam as cargas até os portos ou ferrovias e não teriam mais que rodar esse país continental de norte a sul que e desumano.E seria vantagem para todos pq iria baratear a logística do transporte via trilhos e haveria cargas para os caminhões também.

  • 11/05/2019 em 15:56
    Permalink

    Tabela de frete , seria a volta dos preços congelados ,?? Isso funcionou no passado??? A crise do setor hoje está mais ligada a política socialista dos governos anteriores , onde todo mundo pode ter caminhão, onde todo mundo pode ser engenheiro, deu nisso , se deu crédito pra todo mundo comprar caminhão, se criou dinheiro sem lastro pra isso , agora chegou a conta , o país em recessão, a produção em queda , caminhoneiros sem produtos pra transportar e com financiamento atrasado , lembram do incentivo pra renovação de frota , apenas não consideraram que o caminhão velho não deixou de rodar, apenas trocou de dono . E com muito caminhão e pouca carga, é isso que dá, o brasileiro tem que aprender que o que melhora sua vida é o crescimento da economia e não o do estado , e acabar com esse vitimismo de que os empresários são malvadoes , quem faz a economia crescer são os empresários e não o estado.

    • 12/05/2019 em 07:59
      Permalink

      Por causa de pessoas como você ,que o Brasil é uma fábrica de desigualdade

  • 11/05/2019 em 15:17
    Permalink

    É o monopólio!! Querem explorar os trabalhadores de toda forma. O sonho de todo caminhoneiro é ter seu próprio caminhão, mas o governo não dá condições. Só grandes empresas conseguem benefícios para financiarem suas frotas. Lamentável!!

  • 11/05/2019 em 14:23
    Permalink

    🤓 E o que depender dos empresários vai piorar. A Categoria tem que ter união senão vai dar errado de novo.🤓

  • 11/05/2019 em 14:04
    Permalink

    O gargalo de tudo, é o valor do diesel e pedágios, o preço do diesel é injusto, é abusivo, é lamentável ter que pagar um absurdo desses, a tabela não resolve nada, ANTT não fiscaliza, não adianta a tabela, o problema é o preço do diesel, pedágios também é muito abusivo, caro demais, as empresas não pagam, não obedecem a tabela, o valor do diesel é que deve diminuir, aí mudaria bastante esse senário, pq da forma que está, não tem como trabalhar

    • 11/05/2019 em 14:30
      Permalink

      Temos que para urgente vamos se unir eu. Já estou parado união irmaos

      • 11/05/2019 em 22:21
        Permalink

        Meus amigos sem consumo não tem carga , o país parou esperando resolver a previdência , não tem projeto nenhum não votei em ninguém ,24 anos como deputado não fez nenhum projeto fica esperando…

Fechado para comentários.