Grupo de trabalho analisa adoção de drogômetro para fazer teste antidrogas em motoristas

Um grupo de trabalho iniciado em abril desse ano, pretende colocar em prática, nos próximos 12 meses, as fiscalizações com o drogômetro, um aparelho que consegue identificar a presença de drogas ilícitas no corpo dos condutores.

O secretário nacional de Políticas sobre Drogas, Luiz Roberto Beggiora, detalhou como vai funcionar o exame. Segundo ele, será parecido com o bafômetro.

Um projeto-piloto foi realizado no Rio Grande do Sul entre os anos de 2015 e 2017, com motoristas que se voluntariavam durante blitz realizadas no estado.

Os resultados desses experimentos foram apresentados em 2018 e mostraram que em torno de 20% dos avaliados estavam sob o efeito de drogas.

Agora, já no segundo semestre deste ano, um teste mais amplo será aplicado a nível nacional, em cinco cidades. Mas, dessa vez, as condições serão diferentes, já que os motoristas parados nas blitz serão intimados a fazer os exames.

O projeto-piloto também dará uma atenção especial às rodovias. Um dos focos, durante as fiscalizações, será o rebite – uma substância muito utilizada por caminhoneiros, como explica o Luiz Roberto Beggiora.

A partir desses testes é que vão começar a ser produzidos dados específicos de quantos motoristas estavam sob efeito de drogas lícitas e ilícitas.

Paralelamente a isso, serão feitas pesquisas com relação a mortes no trânsito provocadas por acidentes.

Nessa fase do grupo de trabalhos, eles estão conhecendo os equipamentos existentes capazes de fazer essas verificações. A ideia é que os fabricantes cedam alguns modelos para serem usados nas fases de teste. O que tiver melhor desempenho dentro dos parâmetros propostos será adquirido pelo governo federal.

A expectativa é de que, dentro de um ano, o drogômetro esteja pronto para ser efetivamente usado nas blitzes, caso seja confirmada a viabilidade dessa ferramenta durante as fiscalizações.

Ainda será definido limite máximo de drogas que poderão constar nos exames e as sanções que serão aplicadas. Mas, inicialmente, a punição será a mesma para quem for flagrado dirigindo bêbado – multa, suspensão da carteira de motorista por 12 meses, apreensão do veículo e até detenção do condutor.

Fonte: Rádio Agência Nacional




12 comentários em “Grupo de trabalho analisa adoção de drogômetro para fazer teste antidrogas em motoristas

  • 21/06/2019 em 17:46
    Permalink

    Como motorista profissional a mais de 45 anos, vejo essa proposta como boa e que irá acabar com a surripiação de nosso dinheiro pelos laboratórios, pois o famigerado exame anti drogas que é realizado hoje não serve para nada ha não ser arrecadar em cima do pobre motorista!
    O que precisa ser feito é isso mesmo, exame in-loco e imediato, pois somente assim poderia inibir usuários de SPA durante o trabalho. quem NUNCA VIU UM MOTORISTA TANTO PROFISSIONAL COMO O DE CARROS DE PASSEIO ENCHENDO A CARA DE CACHAÇA NOS POSTOS DE COMBUSTÍVEL?
    Sempre vejo caminhoneiros enchendo a cara de bebidas alcoólicas nos postos, pois tem a certeza que nada acontecerá ao mesmo se não envolver num acidente.
    As autoridades de transito não sabem que isso existe? ou eles não entram em bares e restaurantes nas beiras das rodovias?

  • 18/06/2019 em 10:49
    Permalink

    Esta proposta é boa, um aparelho que identifica algum tipo de droga na pessoa é excelente, principalmente que não adicione custo para o camioneiro. Isto sim é o que precisa ser feito.

  • 18/06/2019 em 08:30
    Permalink

    Muito bom.

  • 17/06/2019 em 23:54
    Permalink

    Sou a favor deis que seja 100% garantido sua eficiência e que qualquer um que tenha CNH se submeta a fazer o teste do A/B/C/D/E

  • 17/06/2019 em 20:54
    Permalink

    Sou a favor, desde que seja para toda categoria de motorista…não somente para caminhões e carretas(oq seria discriminaçao).
    Uma pergunta:
    – só motorista de caminhões usam drogas?

  • 17/06/2019 em 20:03
    Permalink

    Não sou contra, pelo contrário sou a favor de tudo que venha a proteger a própria vida e a dos outros ! Só acho uma falta de ética se é que cabe, penso que todos (qualquer) portador de uma CNH teria que ser submetido ao mesmo exame . ( Querem acabar em 90% a droga nas ruas) é só fazer isso, aé vamos ver quem mais mata no trânsito ! E ser 110% mais radical quanto a velocidade !!

  • 17/06/2019 em 19:38
    Permalink

    Até quem fimmmm, muito importante tirar das estradas esses “meia- rodas” drogados

  • 17/06/2019 em 19:12
    Permalink

    Muito Bom!! Aprivadissimo.!! Desse q não seja somente pros caminhoneiros.. Um excelente projeto… Parabéns aos Envolvidos…

  • 17/06/2019 em 18:44
    Permalink

    Parabéns pelo o projeto. Mas não faça o teste somente nos motorista de caminhão faz o teste todos motorista de auto motor ….

  • 17/06/2019 em 17:28
    Permalink

    Sou motorista profissional é muito bom esse aparelho e teste mas, será que só motorista de caminhão anda drogado, um quarda rodoviário teria que fazer a operação no momento dos testes com todos os motoristas seja de caminhão ou carro motos na hora que estiver em blazer e assim tem o meu respeito e como diz a lei é igual pra todos pelo menos né, nessa hora.

  • 17/06/2019 em 16:27
    Permalink

    Aprovado tem q ter fiscalização sim ..

  • 17/06/2019 em 16:27
    Permalink

    Esse eu aprovo tem que fazer e se der positivo não deixar o condutor seguir viagem

Fechado para comentários.