Petrobras reduz diesel em 4,6% e acaba com frequência mínima de reajustes




A Petrobras anunciou nesta quarta (12) corte de 4,6% no preço do diesel e o fim do intervalo mínimo de reajustes, que já havia sido modificado em março.

Com redução de R$ 0,10 por litro, o óleo diesel passará nesta quinta (13) a ser vendido pelas refinarias da Petrobras, em média, a R$ 2,0664 por litro. Segundo a empresa, a medida acompanha a evolução das cotações internacionais.

Nesta quarta, o barril do tipo Brent (referência internacional) fechou abaixo de US$ 60 pela primeira vez desde janeiro, a US$ 59,97, em queda de 3,7%, com o aumento nos estoques dos EUA.

O último reajuste no preço do diesel havia sido anunciado pela empresa no dia 31 de maio, quando o valor de venda pelas suas refinarias caiu em média 6%.

De acordo com dados da agência estatal americana EIA, de informações em energia, o preço do óleo diesel no Golfo do México caiu 1,7% entre o fim de maio e o início desta semana.

Em comunicado ao mercado, a Petrobras informou que não respeitará mais o prazo mínimo de 15 dias para mexer no preço do diesel, regra estabelecida em meio a crescentes ameaças de greve de caminhoneiros em março.

A insatisfação da categoria com a escalada dos preços na época levou o presidente Jair Bolsonaro a telefonar ao presidente da estatal, Roberto Castello Branco, para alertar sobre riscos de paralisação após anúncio de reajuste de 5,7% em abril. O recuo no aumento fez a companhia perder R$ 32 bilhões em valor de mercado no dia seguinte.

Na nota ao mercado, a Petrobras diz que a mudança na política de preços lhe permite competir “de maneira mais eficiente e flexível”. A política anterior engessava a área comercial da estatal e abriu janelas de oportunidades para importações privadas diante da queda das cotações internacionais.

A mudança pegou de surpresa as importadoras, que esperavam redução do preço do combustível apenas após o fim do prazo de 15 dias estabelecido em março —que se encerraria no dia 16.

A Petrobras disse que sua política de preços continua baseada no conceito de paridade de importação, que consiste no acompanhamento das cotações internacionais, incluindo o custo para trazer os produtos ao país.

Na segunda (10), a estatal havia anunciado corte de 3% no preço da gasolina, o terceiro desde o dia 24 de maio.

Fonte: Folha de São Paulo




2 comentários em “Petrobras reduz diesel em 4,6% e acaba com frequência mínima de reajustes

  • 14/06/2019 em 18:52
    Permalink

    6% na outra semana passada 4% agora e nos postos continua mesmo valor, Brasil piada pronta

    Resposta
  • 14/06/2019 em 08:05
    Permalink

    E tão gostoso falar assim quando se está acima da lei . Quando o poder num país governado pelo dinheiro está do seu lado. Agora imagine o lado de cá postos de combustíveis cheios motoristas desesperados sem trabalho sem frete com diesel caro. Ainda temos que bater palmas pra um sujeito desse. Será que ele conta pra sua família que a decisão dele dificulta e atrapalha encerra sonhos e destrói o sustento de milhões de familias

    Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!