Caminhoneiros do setor de rochas fazem greve no Espírito Santo

Caminhoneiros que transportam rochas ornamentais estão parados na Região Sul do Espírito Santo. Os bloqueios começaram por volta das 6 horas desta terça-feira (13) e, já neste horário, havia pontos de interdição na Rodovia do Frade, em Cachoeiro de Itapemirim, na Estrada de Fruteiras, em Vargem Alta e em Castelo.

Parados no acostamento sem impedir que os veículos passem pelo local, os caminhoneiros relataram que só vão ligar os caminhões caso as reivindicações sejam aceitas.

“Eles pedem para procurarmos o Inmetro para fazer o procedimento para transporte de rochas, nós fazemos, pagamos as taxas, fazemos cursos para transporte de cargas. Tudo que é exigido pela lei, nós fazemos”, detalhou o caminhoneiro Daniel Domingues.

O motorista relata que, além de atenderem todos os requisitos, para alguns órgãos, não é o suficiente.

“Com tudo certo, saímos na pista e somos abordados pela Polícia Rodoviária Federal (PRF). Um policial interpreta de um jeito, outro policial interpreta, mais a frente, de uma outra forma. Queremos trabalhar na lei, só que a lei tem brechas que cada um interpreta de uma maneira”, reclamou.

De acordo com o Sindicato da Indústria de Rochas Ornamentais do Espírito Santo (Sindirochas-ES), o órgão está ciente das reivindicações dos caminhoneiros, mas não é de competência do sindicato o que eles pedem.

“Lá em 2017, já eram vistos alguns pontos de preocupação como, por exemplo, o uso de calço de madeira, amarração das enteras e isso foi alvo de um trabalho técnico, houve uma contratação por parte desse trabalho técnico no Sindirochas”, relatou o executivo do Sindirochas.

O representante do sindicato informou, ainda, que ao longo do tempo o órgão acompanha e vê notícias de que esses pontos estão aprovados e que aguarda reunião do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) para deliberar a câmara temática para que possa haver adequação da legislação.

Fonte: TV Gazeta




Um comentário em “Caminhoneiros do setor de rochas fazem greve no Espírito Santo

  • 14/08/2019 em 08:41
    Permalink

    No meu entender tem que começar na pedreira diminuindo os blocos..e as firmas pararem de carregar corros inregula . colocar excesso..s.notas.ter uma fiscalização mais forte nas empresas na hora do carregamentos

    Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!