Especialistas defendem exame toxicológico para motoristas profissionais

por Blog do Caminhoneiro

Especialistas defenderam o exame toxicológico para motoristas profissionais em audiência pública na Câmara dos Deputados nesta terça-feira (22). Na opinião da maioria dos especialistas ouvidos pela comissão especial que analisa as mudanças no Código Brasileiro de Trânsito, a realização do exame ajuda a salvar vidas e é fator de redução de risco para condutores de veículos, passageiros e pedestres.

O Projeto de Lei 3267/19, apresentado pelo Poder Executivo, propõe mudanças em alguns pontos do código, podendo torná-lo menos rigoroso. Apenas o representante do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Luiz Pazetti, relativizou a eficiência do exame laboratorial, que analisa cabelos ou pelos de motoristas com carteira profissional para apontar se houve uso de drogas nos últimos seis meses.

Pelos números que apresentou, apenas 1,9% dos exames toxicológicos realizados nos dois últimos anos deram positivo para drogas. “A ideia do projeto de lei não é liberar a condução do veículo sob efeito de drogas, mas disponibilizar recursos e especialmente ações que busquem dar efetividade ao dispositivo legal. Do jeito que está hoje, a efetividade está aquém do que se espera”, ponderou.

Presidente do SOS Estradas, Rodolfo Rizzotto, considerou essa estatística “uma manipulação”, por não incorporar os motoristas que não se apresentaram para exames com receio de resultado positivo ou que, na renovação, decidiram rebaixar suas carteiras para a categoria não profissional.

Custos

O representante do Denatran considerou que o custo dos exames para a sociedade (R$ 763 milhões, em 2018) é alto. Pazetti propôs ao Congresso a regulação legal dos chamados “drogômetros”, aparelhos usados pela fiscalização de trânsito para constatar se o motorista se encontra sob o efeito de drogas. A punição para o motorista flagrado pelo aparelho tem punição de 12 meses sem dirigir e multa de aproximadamente R$ 3 mil.

O deputado Fabio Henrique (PDT-SE) questionou o uso do dispositivo como mecanismo de prevenção. “Me parece que o Denatran quer, com a mudança no Código de Transito, dizer: use droga, provoque acidente, mate, só reze para não ser flagrado. Porque você retira o caráter da prevenção: o exame.”

Caminhoneiros

Ao longo da audiência, os expositores apresentaram uma série de vídeos e reportagens de TV mostrando tragédias causadas pela imprudência de motoristas, com flagrantes de alguns deles completamente alterados pelo uso de drogas. Em um dos vídeos, um motorista de caminhão apresentava todo o “coquetel” de drogas que utiliza.

De acordo com estatísticas apresentadas pelo presidente da Associação Brasileira de Toxicologia, Renato Dias, a frota de veículos pesados representa 4% da frota de veículos, mas está envolvida em 38% dos acidentes automobilísticos.

O representante dos caminhoneiros na audiência, José Fonseca Lopes, reconhece que o problema atinge especialmente transportadores de soja, que precisam realizar jornadas excessivas de até 24 horas para não cair em listas negras dos contratantes.

Para o presidente da comissão especial, deputado Luiz Carlos Motta (PL-SP), a prevenção contra drogas nas ruas e estradas do País deve ser aprimorada. “Os índices mostram o quanto caíram os acidentes nas rodovias, mas como esse exame precisa ser mais autêntico e mais produtivo do que é hoje”.

O exame toxicológico é obrigatório desde 2017 para todo motorista profissional. De lá para cá, com o teste válido, os acidentes caíram 34% entre caminhoneiros e 52% para ônibus, de acordo com números da “SOS Estradas”.

Fonte: Agência Câmara de Notícias

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-3532-4235

11 comentários
0

Artigos relacionados

11 comentários

Carlos 30/10/2019 - 01:09

Apoiado tem que ser para todos sem distinção e o drogômetro também tem que funcionar com urgência porque tem uns motoristas tanto de caminhão como de automóvel ficam seis meses sem usarem drogas e depois que renovam a CNH voltam a usar novamente. Por isso que deve ser reprimido porque qualquer tipo de drogas ou de álcool não faz falta a ninguém e é só falta de respeito com a vida deles e dos outros. E acreditem se quiserem mas na vida da gente drogas e álcool não combina com nada, nem na família no trabalho e na diversão. Álcool e drogas só traz miséria. Me perdoem mas essa é a realidade. Mas é preciso também baixar o valor desse exame.

Reply
Gilmar Gleison Magela 24/10/2019 - 21:33

Sou caminhoneiro a mais de 22 anos e sei e conheço muito bem as estradas do nosso País concordo com exame toxicológico mas deveria ser para todos motoristas habilitados em qualquer categoria que fosse a maioria dos jovens em áreas urbanas fazem uso de drogas ilícitas e não são sequer chamados para fazer ao testes sem mais.

Reply
Ezequiel Neto 23/10/2019 - 21:05

O exame deve ser para TODOS e não apenas para motoristas profissionais. Tem muito vagabundo no meio urbano que enche o talo de drogas nas baladas e depois sai matando inocentes e praticando crimes.

Reply
Luiz Carlos Silva Junior 23/10/2019 - 17:51

Bando de corruptos tem q fazer exame todas as profissões pq todas as profissão precisa de muita atenção intao tem q parar d colocar tudo nas costas de motoristas. Tem q tirar essa porra de exame aí se for p motorista tem q ser para todos imagina do q interessante seria eim acho q iria ficar extinto o serviço pq todo mundo usa droga hahahahah intao seus corruptos vamo vê o lado de todo mundo né não só os seus

Reply
Sandro Marques de Oliveira 23/10/2019 - 17:09

Tem que ser para toda as categorias, o maior números de usuários de todo tipo de drogas está na área urbana….molecada fumando e cheirando dia , noite e madrugada , matando muita gente inocente. …isso só aumenta mais os valores pra o caminhoneiros que já ganham poucos…Sou favoravel a todos e todas categorias

Reply
Cláudio Silva Rodrigues 23/10/2019 - 16:57

Sou motorista profissional a muitos anos,
E minha opinião é exame toxicológico para todos os habilitados, desde a permissão até a última letra que existe!
Não é só caminhoneiro que usa drogas e provoca acidentes! Não é só caminhoneiro que é irresponsável!!!! E o governo deve sim, arcar com os custos do exame. Que na verdade é dinheiro
De todos os contribuintes!!!! peço perdão pela minha opinião!!!

Reply
Sandro Marques de Oliveira 23/10/2019 - 17:11

Falou tudo irmão. ..na cidade que estão os maiores usuários e São da categoria B, matando gente inocentes nas noites e madrugadas

Reply
Ezequiel Neto 25/10/2019 - 08:16

Cláudio, você falou e disse !! Acertou na mosca !!

Reply
Gilson Cassiano Fávero 25/10/2019 - 11:21

Vc está coberto de razão, e faço das tuas as minhas palavras, tenho a mesma opinião!

Reply
gerson rosa de Camargo 23/10/2019 - 15:59

exame tem que ser pago meio a meio com as transportadoras afinal um precisa do outro

Reply
Marcos 23/10/2019 - 15:00

Esses políticos idiótas só visão arrecadação dinheiro no bolso deles,porque só os motoristas proficionais provócão acidentes sempre colocando a culpa nos caminhoneiros voces são um bando de incompetente porque se um motorista tem o ábito de usar dróga e vai ter que renova a Cnh é para de usa 6 meses que não vai ser pego no exame e depois continua usando.bando de incompetentes e ladrões

Reply

Escreva um comentário