Venda da Ford só deve ser concluída em novembro

por Blog do Caminhoneiro

O prazo para a conclusão das negociações com as empresas interessadas na aquisição da planta da Ford, em São Bernardo, havia sido estabelecido pelo governo do Estado em 45 dias, no início de setembro. Porém, esse período já começa a ser adiado. Isso porque o governador João Doria (PSDB) falou ontem, em evento na cidade, que a decisão final deve acontecer até o dia 30 de novembro. O Grupo Caoa é, oficialmente, o único interessado na compra da fábrica da montadora norte-americana localizada no bairro Taboão.

“Estamos em processo de negociação. Temos prazo até 30 de novembro para a conclusão. Eu mesmo conversei ontem (na terça-feira) com o Carlos Alberto de Oliveira Andrade, o Caoa, e o Lyle (Watters), presidente da Ford (na América do Sul), junto com o secretário (da Fazenda) Henrique Meirelles (MDB) e o vice-governador Rodrigo Garcia (Democratas)”, afirmou Doria.

A Ford anunciou o fechamento da unidade da região no início deste ano por causa da saída do segmento da fabricação de pesados na América Latina. Desde então, o poder público busca alternativas para a continuação da planta industrial em São Bernardo, que no início do ano mantinha 2.600 trabalhadores. Atualmente, são cerca de 1.450 colaboradores, sendo que a expectativa é a de que a Caoa absorva 850.

Com o encerramento da produção do New Fiesta – único automóvel fabricado na planta da região – em junho, a Ford demitiu 750 trabalhadores que atuavam na linha de montagem. Atualmente, somente os caminhões são produzidos. Desde fevereiro, 1.050 foram desligados.

Atualmente, a produção acontece de três a quatro dias por semana – de terça a quinta-feira e, às vezes, às sextas-feiras.

Os funcionários estão preocupados “porque ninguém sabe quem fica ou sai.” Além disso, a informação é que o funcionamento da Ford vai até o dia 30 deste mês.

Apesar da questão do prazo, o governador se mostrou otimista em relação às negociações e ponderou o valor do investimento. “O assunto está avançando. Estamos dialogando. Não é operação fácil (de ser concretizada). É investimento de quase R$ 5 bilhões, entre a aquisição do terreno da fábrica, equipamentos, manutenção dos empregos e colocação da empresa em funcionamento o mais breve possível”, afirmou Doria, ao destacar que “não é investimento pequeno, é alto, praticamente US$ 1,2 bilhão, mas está avançando e, até aqui, avançando bem.”

Procurada, a Caoa afirmou que não tinha novas informações sobre o assunto. O grupo deve tocar a linha de montagens de caminhões, incluindo a Cargo (herdará o nome que era da Ford) e produzir automóvel leve, ainda sem mais detalhes sobre qual será o modelo. A Ford não se manifestou sobre as negociações.

Fonte: Diário do Grande ABC

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-3532-4235

Artigos relacionados

Escreva um comentário