Sindicalista denuncia más condições de trabalho dos caminhoneiros no Brasil

por Blog do Caminhoneiro

Falta de segurança nas ruas e estradas, má alimentação e sedentarismo estão entre os problemas enfrentados pelos profissionais do setor de transportes. Foi o que apontou o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários, Luiz Aníbal Machado, durante o 12º Fórum de Atenção Integral à Saúde do Homem, realizado na terça-feira (26) pela Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados.

“A maioria dos nossos motoristas tem hipertensão e diabetes. Além disso, há os problemas urológicos. Nesse caso, não é nem porque ‘eu sou homem e não aceito fazer o exame’, é porque não temos tempo de ir ao médico; vivemos para trabalhar”, relatou.

Uma pesquisa feita em 2017 pela Companhia Nacional do Transporte (CNT) revelou que menos da metade dos motoristas (42,6%) procura atendimento médico como forma de prevenção.

O mesmo levantamento também mostrou que quase 60% dos profissionais do transporte sofrem de depressão e que 43% estão acima do peso. Os principais motivos para motoristas procurarem atendimento médico, de acordo com o estudo, são hipertensão, problemas de visão e coluna e dores de cabeça.

O deputado Sergio Vidigal (PDT-ES), que pediu a realização do evento, lembrou que os profissionais do setor têm a vida mais sedentária, característica que pode favorecer o surgimento de doenças como câncer de próstata. Ele apontou ainda a ausência de assistência aos trabalhadores do transporte e defendeu o aprimoramento do Sistema Único de Saúde (SUS).

“O SUS carece de uma linha de financiamento para a implementação de ferramentas tecnológicas. Não se justifica, em pleno século 21, a gente não ter um prontuário eletrônico dos pacientes”, disse.

Como solução para o problema de não haver prontuários eletrônicos, o representante do Ministério da Saúde no fórum, Danilo Campos da Luz e Silva, apresentou o Cartão de Saúde do Caminhoneiro, que vai servir para o trabalhador armazenar todas as informações necessárias para atendimentos médicos fora da sua localidade. Segundo Danilo, o documento, que ainda não foi implementado, será uma espécie de prontuário de bolso.

Fonte: Agência Câmara Notícias

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-3532-4235

Artigos relacionados

9 comentários

Marcos 29/11/2019 - 09:33

Enquanto isso a norinha do presidente fala que têm dificuldades que o deputado não ganha tão bem assim como dizem
Ela falou só dos 33 mil que já é um ótimo salário não falou das gratificações que juntando tudo passa dos 100 mil

Reply
Denis 29/11/2019 - 08:05

Senhor presidente do sindicato vai a PQP sou camioneiro não tenho ipertensao nem sou diabético.nao estou acima do peso.resumindo o problema são os próprios motorista que não estão nem aí pra nada .. não cobram não fazem nada …aí vem vc com essa história…..cabe a nós fazermos a nossa parte..cada um vive do jeito que quer

Reply
Luiznascimentolmn@. com 29/11/2019 - 09:12

O que falta para os motoristas terem uma vida saudável, é apenas salário digno, as empresas terem mais responsabilidades e com as leis trabalhistas fazendo valer a verdade, diárias de alimentação digna,. Eu estava trabalhando com caminhão tanque de nove eixos transportando combustíveis, no mês de outubro de 2019 meu salário foi $700,00 de adiantamento e $2.380,00 de pagamento no dia 07/11 /2019, isto incluído as diárias de alimentação que era de $42’00 por dia trabalhado. Agora veja, como que um motorista fica 35 dias fora de casa, depois recebe um salário deste, e tem uma vida saudável? Esta empresa é de Brasília, e tem os caminhões azuis. Obrigado.

Reply
Sueli de Fatima Beber 29/11/2019 - 06:41

Engraçado… Sindicalistas e governo tiveram tanto tempo pra “fazer” alguma coisa, melhorar tudo e nada aconteceu… Agora reclamam ???? Sou caminhoneira, e há mais de 20 anos nossa vida é um inferno constante, não tem nada pra facilitar nossa vida… então parem de balela e trabalhem “efetivamente” pra mudar. Tudo esteve péssimo, está péssimo, e vai continuar péssimo no que depender de governo independente de qual seja !!!!

Reply
marcos jose 29/11/2019 - 00:04

Onde estava o sindicato nos últimos 30 anos , stress por conta da industria da multa,descriminação ,somos descriminado por todos ,sofremos abuso por parte de autoridades e ate mesmo por segurança armada , somos o lixo do brasil e nunca vi o sindicato fazer nada então por favor não me venha com este papo furado ( o único sindicato de transporte que vejo resultado é o dos cegonheiro eles sim tem muito mais respeito ate policia
rodoviário aborda o cegonheiro diferente com muito mais respeito )

Reply
Junior Falcão 28/11/2019 - 18:12

Problemas de saúde estão presentes em todas a categorias. Porque ninguém fala da infraestrutura precária? Aqui no Brasil caminhoneiro tem menos valor do que cachorro. Muitos lugares não tem lugar para tomar banho, e nem mesmo banheiro. Sem falar nas industrias que acham que caminhão esperando para descarregar é deposito! Já imaginaram o caminhoneiro autonomo não vai dar conta de pagar as contas se ficar 5, 10, 15 dias esperando para descarregar. Os grandes frotistas até recebem multas e diárias por cada dia que o caminhão fica parado sem descarregar (porém pouquíssimas repassam alguma coisa para os motoristas). Demagogia demais nesse país!

Reply
João Carlos Ros Martinez 28/11/2019 - 17:27

Parabéns Sr Presidente do sindicato esse problema todos nós sabemos motorista trabalhadores profissional do volante o motorista tem que ter 1 tempo na carteira ,2 CNH categoria E pra mais ,3 curso disso daquilo esqueci alguma coisa a é vc motorista doente não serve pro trabalho próximo, acabou a farra da contribuição sindical agora e um pouco bem tarde pra querer mostrar serviço vcs agora vão ter que trabalhar mostre que vcs sabem trabalhar para a classe que sustentou vcs daí voltamos a conversar boa tarde

Reply
Ezequiel Neto 28/11/2019 - 14:03

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários, Luiz Aníbal Machado disse o que todo mundo sabe há decádas…Durante o evento citado na reportagem, ele afirmou que “A maioria dos nossos motoristas tem hipertensão e diabetes. Além disso, há os problemas urológicos. Nesse caso, não é nem porque ‘eu sou homem e não aceito fazer o exame’, é porque não temos tempo de ir ao médico; vivemos para trabalhar”, Nada de novo com tal afirmação…O referido sindicalista apenas não disse o que o Sindicato que preside fez, faz e fará concretamente pela categoria. Eu mesmo respondo: NADA !! e até pouco tempo todos os camioneiros profissionais eram obrigados a se filiar a esses Sindicatos e pagar a contribuição sindical que em boa hora teve fim. Era uma mina de ouro sem retorno algum para os profissionais do volante.

Reply
Peterson da Silva Alves 28/11/2019 - 13:40

Não há necessidade de nenhum “prontuário de bolso” , só um sistema nacional online acessável por CPF, por exemplo.
Assim qualquer hospital, UPA ou posto de saúde pode acessar e atualizar o prontuário dos pacientes…
Pra votar fizeram até identificação digital…

Reply

Escreva um comentário