Senadores cobram ações de assistência e segurança para caminhoneiros

Responsáveis pela maior parte do transporte de cargas e mercadorias nas rodovias, caminhoneiros têm relatado grandes dificuldades para fazer chegar os produtos básicos à mesa do brasileiro em função da restrição de atividades e serviços imposta em vários estados. Em seu perfil nas redes sociais, o senador Paulo Paim (PT-RS) relatou problemas como restaurantes fechados nas estradas e falta de apoio nos postos que assegurem a manutenção do transporte de cargas.

“Os trabalhadores pedem socorro. Entre eles, os caminhoneiros que transportam o Brasil nas costas. O coronavírus agravou a situação: comércio fechado nas estradas, postos cobrando caro e restringindo o acesso. Como os alimentos chegarão aos supermercados e na mesa do brasileiro?”, questionou.

Paim informou que apresentou um projeto para que o governo assegure as condições básicas para atuação desses profissionais (PLP 37/2020).

“Apresentei proposta para garantir aos caminhoneiros infraestrutura nas rodovias e estradas: pontos de apoio, locais de descanso, restaurantes para refeições, segurança sanitária. A ideia é também disciplinar a jornada de trabalho. Meu total apoio e solidariedade”, acrescentou.

O motorista Antônio Rivaldo Bezerra Júnior transporta grãos entre os estados de Tocantins, Maranhão, Paraíba e Ceará. Na estrada desde o final de fevereiro, ele informou que o cenário se agravou nessas duas últimas semanas. Entre os problemas citados pelo profissional está a falta de apoio nos postos que não oferecem produtos básicos de higienização e cuidados como álcool em gel, banheiros e produtos de limpeza e a inexistência desse suporte nos pontos onde há carregamento e descarregamento de cargas. Restaurantes, borracharias e até mesmo fazendas e locais para abastecer o caminhão e transportar os produtos estão fechando em razão do novo coronavírus.

— A gente não tem mais onde comer. Quem tem uma cozinha no caminhão, onde consegue encontrar um supermercado, se encontrar, faz uma feira, coloca na sua caixa de cozinha e vai se virando na estrada. Mas quem não tem cozinha, não sei nem como está fazendo. Porque você não encontra mais restaurante aberto. Não encontra borracharia. As farmácias já não têm mais álcool em gel e máscara para vender. As empresas não oferecem também esses itens. E em muitas situações, ficam 300, 400 caminhoneiros desprotegidos, em um único ponto, aguardando o carregamento ou descarregamento, todos aglomerados. Um grande risco. Não temos assistência de nada — afirmou.

O senador Major Olimpio (PSL-SP) fez um apelo para que os comércios nas estradas se mantenham abertos e que a população possa oferecer apoio a essa categoria. Ele citou exemplos de outros países, como na Alemanha, onde moradores deixam alimentos em alguns pontos das rodovias. O senador também sugeriu que os caminhoneiros fiquem isentos da taxa de pedágio cobrada por concessionárias em alguns estados.

“Nós precisamos dar condições para os caminhoneiros. Eles nunca puderam parar, e precisam de nós. Nossa mobilização não vai parar! É preciso que reduza ou os isente dos valores de pedágios. Propus isso, além de ponto de apoio em todas as praças, com banheiros e álcool em gel”, defendeu em suas redes sociais.

O caminhoneiro Antônio Rivaldo alertou ainda que, em razão da falta de estrutura e logística, muitos profissionais estão encostando seus caminhões ou retornando para suas casas. Ele teme que a demora na assistência leve a uma paralisação total da atividade, refletindo na renda dessas profissionais e no colapso no abastecimento de insumos no Brasil como combustível, gás, alimentos e medicamentos. “A dificuldade é grande. A maioria dos motoristas, quem ainda está conseguindo carga, está carregando para casa porque está difícil trabalhar na estrada. E a tendência é essa. Todo mundo encostar. Aos poucos isso está acontecendo”, avaliou.

Apoio

Durante reunião com secretários de transporte dos estados nesta semana, a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, informou que o governo está atento às demandas da categoria. Segundo ela, as ações da pasta estão sendo direcionadas para a assistência aos caminhoneiros oferecendo todas as condições para que eles mantenham suas atividades com segurança e saúde.

— A gente tem uma preocupação com os caminhoneiros, que são fundamentais para o agronegócio. Nós não conseguimos rodar sem eles. Nossa preocupação é que eles tenham pontos para abastecer, para comer, postos que possam atender quem tiver problemas de saúde —, enfatizou a ministra.

Ela ressaltou ainda a importância de manter os corredores de escoamento operando e uma atenção às linhas privadas que transportam trabalhadores do agronegócio.

De acordo com o senador Luiz Carlos Heinze (PP-RS), os motoristas serão incluídos na campanha de vacinação contra três vírus (H1N1, H3N2 e Influenza B). Além disso, informou, o Serviço Social do Transporte (Sest Senat) realizará ações de assistência a esses profissionais em vários pontos no país.

“A partir de agora, os Centros de Atendimento ao Usuário fornecerão equipamentos de proteção individual (EPI) para os motoristas, incluindo máscaras e luvas, que serão distribuídos nas concessionárias e postos do Sest Senat no país”, destacou no twitter.

Estados

Para reforçar o apoio aos caminhoneiros, governadores como o da Bahia, Rui Costa e do Maranhão, Flávio Dino, publicaram decretos para manter os comércios, restaurantes, postos, farmácias e borracharias em pleno funcionamento nas estradas.

Já o senador Lasier Martins (Podemos-RS) solicitou ao governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, que o estado também altere o texto do decreto estadual de calamidade pública para manter abertas as oficinas mecânicas e lojas de peças voltadas a caminhões.

“O governador me prometeu ajustar o decreto de modo a garantir o funcionamento desses estabelecimentos neste momento de extrema necessidade para impedir qualquer transtorno na distribuição de artigos de primeira necessidade”, informou.

Fonte: Agência Senado

QUER RECEBER NOSSOS CONTEÚDOS NO SEU WHATSAPP?
MANDE UMA MENSAGEM COM SEU NOME CLICANDO NO NÚMERO

042-98800-6519





RECEBA NOSSOS CONTEÚDOS NO E-MAIL

Seu e-mail (obrigatório)


9 comentários em “Senadores cobram ações de assistência e segurança para caminhoneiros

  • 29/03/2020 em 16:04
    Permalink

    Boa Tarde ,
    Entendo ser de fundamental importância assitir e dar todo o suporte para os colegas caminhoneiros na estrada e principalmente a questão de SAÚDE, Alimentação, infra estrutura, E O MAIS IMPORTANTE fechar a cobrança dos pedágios JÀ, é trabalho ESCRAVO o que estão fazendo conosco, pergunte a qualquer um autonômo se ele está recebendo a mais no frete depois da pandemia…??? nada, nada a mais, agora vai comprar alcool em gel, ou vai no mercado na beira da estrada…tudo aumentou, se conseguir um prato de comida são raros os lugares que vão ter com o preço normal, e por ter mais de 60 anos,consegui vir pra casa, onde estou em quarentena, pedindo a Deus para que isto passe logo, que proteja meus colegas na estrada e que nossos políticos tomem vergonha na cara e façam o que realmente tem que ser feito, por favor!!!!!! todos os negócios fechados e os pedágios abertos!!!!
    que nas eleições ninguém reeleja politicos ou parentes deles. Chega desta podridão!!!!

    Resposta
  • 27/03/2020 em 15:45
    Permalink

    A VERDADE É QUE ESTADOS E MUNICÍPIOS IMPUSERAM FECHAMENTOS DE SERVIÇOS DE APOIO AOS CAMINHONEIROS BRASILEIROS, É BA CONTRA MÃO DW DE QUEM PRESTA SERVIÇOS IMPORTANTÍSSIMOS PARA O PAÍS. OS ABUSOS DE GOVERNADORES E PREFEITOS QUE NÃO PENSARAM NO PRINCIPAL QUE ABASTECIMENTOS SÃO NECESSÁRIOS PARA SOBREVIVÊNCIA DO POVO BRASILEIRO. FIZERAM UMA QUARENTENA COM HISTERIA E APAVORAMENTOS QUE NÃO PENSARAM NA QUESTÃO SOBREVIVÊNCIA HUMANA , QUE OS SERES HUMANOS TAMBÉM NESCESSITAM DE ALIMENTAÇÃO E OUTROS SERVIÇOS. AGORA SE OS CAMINHONEIROS PARAREM É AÍ QUE O BICHO VAI PEGAR MESMO COM FOME, MISÉRIAS, GUERRAS COM SAQUEAMNETOS DE MERCADOS , VAI SER UMA CATÁSTROFE NO PAÍS INTEIRO.

    Resposta
  • 27/03/2020 em 12:08
    Permalink

    Ainda bem que o povo brasileiro é solidário e fraterno. Os camioneiros foram literalmente abandonados pelos governos federal e estaduais. São eles que transportam 60% das mercadorias produzidas no País mas isso não é levado em conta pelos governantes e políticos. Não fosse a solidariedade dos brasileiros os motoristas profissionais seguiriam passando fome e no maior sufoco estradas afora. Uma vergonha.

    Resposta
  • 27/03/2020 em 09:08
    Permalink

    “Para reforçar o apoio aos caminhoneiros, governadores como o da Bahia, Rui Costa e do Maranhão, Flávio Dino”

    Parei aqui, esses bandos de oportunistas que só querem f… O País e o povo trabalhador. Falar em apoio aos caminhoneiros? No MA ? Como se não tem estrada alguma que preste no MA, é caminhoneiro dormindo sem jantar porque não há um único local pra se alimentar. Quer Ajuda e assim ?

    Resposta
    • 27/03/2020 em 09:33
      Permalink

      Sai fazendo arminha por aí, quem sabe as coisas melhore! Taokey!!!

      Resposta
  • 26/03/2020 em 16:45
    Permalink

    Boa tarde tenho um restaurante as margens da Br mas não me deixaram outra opção ao não ser fecha pois só com marmitas não da pra manter funcionando tendo em vista a quantidade de funcionários despesas muito alta.

    Resposta
  • 26/03/2020 em 16:37
    Permalink

    Ate hoje se tem a maior dificuldade para ate os caminhoneiros as acoes do governo federal por causa das burocracias. O que de fato existe só uma coisa faz isso ou aquilo ordem para o caminhoneiro cumprir.

    Resposta
  • 26/03/2020 em 16:10
    Permalink

    Obrigação é ter em cada praça de pedágio um posto de emergência para auxiliar nos irmãos da estrada. Total descaso com esses que enfrenta tudo nas estradas. Olha por esses profissionais que tb estão colocando suas vidas em risco, para poder levar as cargas para o destino. DEUS PROJETA E ABENÇOE TDS.🙌🙏

    Resposta
  • 26/03/2020 em 11:44
    Permalink

    O SENADO E CÂMARA FEDERAL DEMORARAM A TOMAR PROVIDÊNCIAS, AGORA ESTÁ QUASE ACABANDO A QUARENTENA ABUSIVA E HOSTERIA DOS GOVERNADORES E PREFEITOS QUE FECHARAM TUDO , INCLUSIVE BORRACHARIAS, OFICINAS E RESTAURANTES NAS ESTRADAS PRECÁRIAS BRASILEIRAS. AGORA ESTÃO JÁ VENDO AS CONSEQUÊNCIAS DO DESABASTECIMENTO GERAL E A FALTA DOS ALIMENTOS NAS PRATELEIRAS DE SUPERMERCADOS.

    Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!