Por que um caminhão com 400 cv puxa uma carreta e um supercarro com mais 1.000 cv não consegue o mesmo?

por Blog do Caminhoneiro

Todo mundo que gosta de veículos já deve ter visto aqueles supercarros, como Bugatti, Koenigsegg ou Ferrari, com potências altíssimas, preços na casa dos milhões e tecnologia de ponta em cada parafuso.

Para dar um exemplo, o novo Bugatti Centodieci, que custa R$ 35,4 milhões, tem um motor de oito litros, com 16 cilindros dispostos em W, com potência máxima de 1.600 cavalos, com 1.600 Nm de torque.

Esse carro pode atingir cerca de 380 km/h, chegando aos 300 km/h em apenas 13 segundos.

Mesmo com tantos atributos de potência, esse veículo não consegue rebocar cargas, como caminhões com cinco vezes menos potência.

Mas por quê?

A resposta pode ser simples, dependendo do ponto de vista. Um caminhão é feito para transportar cargas, e esse tipo de carro é feito para acelerar.

Mas uma lista longa de peças é diferente nos dois veículos, para que cada uma atenda suas demandas.

Inicialmente, a construção de um caminhão já é diferente. Ele é grande, robusto e feito com um chassi voltado ao transporte de cargas. Isso se traduz em resistência, mas também em peso. O carro, por sua vez, precisa ser resistente e leve, para ser seguro para os ocupantes e conseguir acelerar muito rapidamente.

O motor também é diferente. O motor desses automóveis precisa de potência e torque exclusivamente para acelerar. O torque do carro, de 1.600 Nm, é o mesmo do motor de 9 litros da Scania, na versão de 320 cavalos de potência. O motor do caminhão precisa ter mais força (torque), para rebocar as cargas mesmo em subidas íngremes.

O regime de rotações também é muito diferente. Um hipercarro pode ter rotações de até 10 mil RPM no motor, enquanto um caminhão tem rotações, na faixa econômica, onde tem o melhor torque, em cerca de 1.200 a 1.600 RPM.

Além disso, o motor do caminhão é projetado para ter a maior força, com a menor rotação possível, enquanto o carro entrega a maior potência e torque em alto giro.

Um fator determinante é a relação de transmissão. Enquanto um supercarro pode chegar a mais de 50 km/h em primeira marcha, o caminhão dificilmente passa dos 10 km/h na mesma marcha. Alguns caminhões, como o FH com o câmbio I-Shift com marchas super reduzidas, pode rodar a apenas 500 metros por hora (0,5 km/h).

Essa diferença mostra que o caminhão tem a relação de transmissão muito mais reduzida que a do carro. Além disso, o veículo esportivo citado no início do texto tem sete marchas, e um caminhão pode ter 12, 16, 18 marchas. Alguns caminhões podem ter até quatro marchas-à-ré.

E se pudesse engatar?

Basicamente, se você conseguisse engatar um implemento em um carro potente, ele ficaria parado, sem sair do lugar, enquanto um caminhão já conseguiria mover a carga logo após a embreagem começar a ser liberada pelo motorista.

Mesmo que o carro pudesse mover a carga, faltaria potência na primeira elevação na estrada, já que o câmbio não teria relações reduzidas o suficiente para vencer o aclive.

Outra questão é a durabilidade. Motores de caminhões podem ficar no regime de força máxima continuamente, por horas a fio, sem problemas. Já o motor de um supercarro é feito para produzir muita potência por breve períodos. Se um carro desse tipo se manter em uma faixa de rotação por muito tempo, vai apresentar superaquecimento e outros problemas.

O motor do caminhão também pode rodar por centenas de milhares, até milhões, de quilômetros sem problemas, enquanto os supercarros tem um motor com durabilidade muito menor.

Outro exemplo:

O caminhão rodoviário mais potente do mundo é um Scania com motor V8 de 16 litros, com 770 cavalos de potência. Uma La Ferrari,  que tem um motor V12 de 6,3 litros, tem potência de 789 cv, muito próximo do Scania. Mas quer ver a verdadeira diferença. O supercarro tem torque de 700 Nm, enquanto o caminhão tem 3.700 Nm. Vocação para velocidade e para cargas, respectivamente.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

COMENTAR

10 comentários
5

Artigos relacionados

10 comentários

Diego 07/06/2021 - 00:26

Com certeza quem escreveu esse artigo notou bem as diferenças entre os dois motores, porém precisa conhecer um pouco de dinâmica, termodinâmica e construção de motores! Essa diferença de capacidade de tração de se dá primeiro pela diferença de construção dos motores, o carro é um motor super quadrado, por sua ves o do caminhão um sub quadrado e o mais gritante das diferenças é combustível envolvido no processo termodinâmico, um é diesel ou outro é gasolina! Em motores quadrados onde o combustivel pode ser diesel ou gasolina essa diferença fica bem mais equitativa restando somente a diferença por conta do capacidade energética dos dois combustíveis!
Um motor sub quadrado não funciona a diesel!
Um sub quadrado até funciona a gasolina porém com um consumo de energia fenomenal!

Toinho 31/05/2021 - 22:05

A questão principal é o torque e a relação da transmissão se pegar o motor do carro de 1000cv e colocar em uma transmissão de relação curta ele vai conseguir puxar o peso porém com velocidade e potência inferior a do caminhão por falta de torque no motor.
Ex: na bicicleta de marcha em primeira macha vc pedala rápido, anda devagar e pega pouco peso, vc coloca outra marcha com relação maior vc pedala menos, a velocidade aumenta e o peso também; assim também acontece com os veículos vc coloca uma marcha com relação curta o motor girar várias vezes em quando o pneu gira apenas uma vez, fica leve para o motor, anda devagar e pega pouco peso, conforme vai ganhando velocidade vc coloca uma marcha com relação um pouco maior o motor gira menos, anda mais rápido e o peso aumenta…

Fernando D. Alves 30/05/2021 - 20:26

É tudo uma questão de torque sim! Potência é uma medida da quantidade de trabalho realizado em um intervalo de tempo… Isso não significa que potência seja determinante para que um motor seja capaz tracionar mais ou menos massa… Por exemplo: vamos considerar duas situações.

Situação 1: uma máquina leva 10 segundos para movimentar 75 kg por uma distância de 10 metros, sua potência é de 1 CV.

P = trabalho (W) / intervalo de tempo (∆t)

W = força (f) . distância (x)

W = 75 . 10 . 10 = 7500 joules

P = 7500 / 10 = 750 watts ou 1 CV.

Situação 2: uma máquina leva 2 segundos para movimentar 30 kg por uma distância de 10 metros, sua potência é 2 CV…

W = 30 . 10 . 10 = 3000 joules

P = 3000 / 2 = 1500 watts ou 2 CV.

Repare que na situação 2, a máquina transportou menos “peso”, e sua potência ainda assim é maior que a máquina na situação 1… Dessa maneira podemos concluir que nem sampre que tem mais potência movimenta mais “peso”… Considerando o caso real entre o caminhão e o carro:
O motor do caminhão utiliza sua “potência” para gerar uma grande quantidade de torque, que se é necessário para girar a roda com bastante “peso” em cima, porém com pouca velocidade. O motor do carro utiliza sua “potência” para gerar certa quantidade de torque, que é necessário para girar a roda fazendo com que essa gire muito rápido e o carro ganhe muita velocidade em pouco tempo…

Marcos 1917 30/05/2021 - 13:02

Quantos CV e torque tem um strong Man? Eles puxam carretas por vários metros e não quebram 😂😂

Bullitt 29/05/2021 - 10:29

Olá, Carlos!
Se adaptar um motor de carro super esportivo a um caminhão não dará resultados.

Carlos Jordão 29/05/2021 - 09:18

Nada a ver com torque, meu amigo. Sempre essa mesma ladainha, pelo amor de Deus. Isso é questão de tração, pura e simples. É peso da máquina, aderência dos pneus, redução de marchas. Torque é um valor bruto que, multiplicado por uma constante e pela rotação do motor, chega-se à potência. Esqueçam torque.

Cassio AH 28/05/2021 - 23:29

O motor a diesel com 13 CV tem a mesma cilindrada de um motor a gasolina com 48 CV (ambos monocilíndricos) ent um caminhão com 400 CV é quase um motor a gasolina com 1000cv

ADEILSON PASSOS 28/05/2021 - 18:32

Comentei a cima a resposta para sua pergunta.

ADEILSON PASSOS 28/05/2021 - 18:31

Sai do lugar mas roda por pouco tempo. Uma vez q os componentes não foram feito para ficar em esforço máximo, bielas e pistões, e outros componentes, de um motor diesel pra fazer força são muito mais resistentes, enquanto os do carro como não vão puxar peso são feitos para ser fortes sim, porém tbm tem de ser leves para rodar em regime de giros muito alto. Logo sai do lugar mas quebra…

Carlos 28/05/2021 - 14:57

E se adaptar o motor de um desses carros de 1000 CV no caminhão e engatar em uma carreta carregada será que saí do lugar?

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: