JSL segue crescendo e fatura 36% a mais no último trimestre

A JSL, empresa com maior portfólio de serviços de logística do Brasil, registrou o melhor resultado operacional da sua história, com receita e EBITDA recordes. A receita bruta do terceiro trimestre alcançou R$ 1,9 bilhão, crescimento de 36% em relação ao ano anterior e 12% na comparação com o 2T22. Já o EBITDA registrou R$ 298,9 milhões, alta de 51% em relação 3T21 e 19% maior do que no trimestre passado.

Esses números resultam da consolidação do modelo de negócios único e resiliente da JSL. Assim como da diversificação de seus serviços a setores da economia real e com receitas previsíveis a partir de contratos de longo prazo, cuja performance e necessidade de renegociação são constantemente acompanhadas pela Companhia, que busca a eficiência operacional e alocação de capital para assegurar a manutenção de sua rentabilidade.

“A transformação de tamanho da empresa está pautada no relacionamento duradouro e na criação de soluções que atendam os nossos clientes, promovam sua fidelização e consolidem uma relação de ganhos mútuos para ambos os lados”, afirma Ramon Alcaraz, CEO da JSL.

No 3T22, a receita líquida de serviços foi de R$ 1,6 bilhão, crescimento de 37% na comparação anual e 14% na trimestral, enquanto o lucro líquido ajustado marcou R$ 42,2 milhões, com margem de 2,6%.

“Embora a inflação tenha arrefecido em intensidade, ainda tem impacto sobre a base de insumos da empresa. Seguimos atentos na manutenção do equilíbrio de rentabilidade dos contratos e na redução da defasagem temporal de ajustes em relação ao aumento desses custos”, observa Guilherme Sampaio, CFO da JSL.

Ecossistema JSL amplia crescimento orgânico

A estratégia de manter as equipes de gestão independentes e dedicadas ao desenvolvimento das empresas adquiridas, continua se provando bastante assertiva. Ao aliar a escala e estrutura de balanço da JSL à especialização e qualidade técnica das controladas – Fadel, Transmoreno, Transportadora Rodomeu, TPC, Transportes Marvel e TruckPad –, a capacidade de crescimento da Companhia se potencializa ainda mais.

Em uma visão combinada, houve expansão da receita bruta de serviços em 32% comparada ao 3T21 e 12% ao trimestre anterior. As controladas cresceram a receita bruta de serviços em 40% em relação ao mesmo período de 2021 e 16% ao 2T22.

“O faturamento registrou elevação em todas as empresas adquiridas nos diferentes setores da economia real, com crescimento trimestral contínuo até no automotivo, que mesmo com a recente crise na cadeia de suprimentos, atingiu cerca de R$ 350 milhões de receita bruta de serviços no 3T22 (19% do total)”, destaca Ramon Alcaraz “Isso demonstra a nossa capacidade de crescer nos mix de segmentos em que atuamos e a necessidade dos nossos clientes por um operador logístico integrado, com capacidade de execução e histórico de qualidade no atendimento ao cliente”, acrescenta.

Novos contratos e investimentos para o crescimento

No trimestre, a empresa fechou R$ 590 milhões em novos contratos, sendo 93% deles por meio de cross-selling, com prazo médio de operação de 46 meses. Destaca-se o segmento de alimentos e bebidas (50%). Cerca de 73% dos contratos foram para Transporte de Cargas, 15% em Operações Dedicadas, 10% para Distribuição Urbana, e 2% em Armazenagem.

A soma de todos os negócios fechados até o 3T22 totaliza R$ 2,7 bilhões em novos contratos este ano, com prazo médio de 45 meses.

“Nosso crescimento está pautado em rentabilidade e disciplina financeira. A execução bem-sucedida de nosso planejamento estratégico, oferta de serviços de maior valor agregado com evolução contínua da qualidade nos permitem uma alocação de capital mais eficiente em projetos de maior retorno sobre o capital empregado. E o impacto dessa gestão ativa em nossas margens já é visível”, diz Guilherme Sampaio.

Para sustentar o crescimento da receita e adequar a frota para atender às demandas dos novos contratos, o Capex líquido do período foi de R$ 304,4 milhões, com 61% destinados à expansão, garantindo o crescimento em contratos de maior rentabilidade e diversificação que irão se refletir nos próximos resultados.

O ROIC UDM no 3T22 foi 13,7%, alta de 1,4 p.p. em relação a 3T21 e 0,7 p.p. na comparação com o 2T22, enquanto o ROIC anualizado do 3T22 chega a 16,9%.

Agenda ESG

No terceiro trimestre, a JSL lançou a segunda edição do programa Mulheres na Direção. Em parceria com um de seus clientes, a Companhia capacitou mulheres selecionadas para operarem empilhadeiras em uma operação em Uberaba (MG), contratando-as como trainees para, posteriormente, efetivá-las.

Pelo terceiro ano seguido, a JSL conquistou o Selo Ouro no programa brasileiro GHG Protocol, refletindo a transparência, rastreabilidade e confiabilidade do inventário no seu reporte.

Outro destaque é que, por meio do programa Cultura de Segurança Zero Acidente, a empresa conquistou alto engajamento de líderes e equipes, alcançando 1500 dias sem acidentes na operação da ATIVOS, em Alto Taquari (MT).

Deixe um comentário!

Conheça os caminhões mais vendidos do Brasil em novembro Caterpillar apresenta caminhão gigante totalmente elétrico Caminhoneiros estão cada vez mais procurados pelas transportadoras Caminhoneiro recém contratado depena caminhão nos EUA Eficiência dos motores diesel chega a um novo patamar