LK141 do seriado Carga Pesada estará na Fenatran




O seriado Carga Pesada marcou gerações. São milhões de fãs da dupla Pedro e Bino que percorriam o Brasil atrás do volante vivendo grande aventuras, e por isso, mesmo após vários anos continua sendo uma das série mais queridas da TV brasileira.

Dsqui Pontes levou 10 anos, mas encontrou o Scania LK 141 que participou da primeira etapa do seriado, entre 1979 e 1981. O caminhão passou por diversos donos, e estava em Santos-SP quando foi recuperado. Mesmo depois de tantos anos, o modelo conserva muito detalhes da época da televisão, como furações para câmeras e iluminação.

Agora, Dsqui publicou em seu perfil do Facebook que o modelos estará em exposição na Fenatran 2017. Não foram informados maiores detalhes, mas a expectativa é grande. O post na rede social já tem mais de 240 curtidas e dezenas de comentários.

Conheça a história completa do modelo

frames - seriado - scania lk 141 carga pesada (1)Por si só o Scania LK 141 V8, com seu motor em V, com 14 litros de deslocamento e 375 cavalos já é um ícone das estradas. No seu período de produção foi o caminhão mais potente à rodar no Brasil, e, assim como caminhões novos hoje em dia, era desejado e admirado. Sua fama de caminhão potente dura até hoje, e não é difícil ver uma dessas máquinas esbanjando força por aí, mesmo depois de quase 40 anos.

A Lenda, como ficou conhecido o King Of The Road da Scania no Brasil, também foi astro da televisão. O modelo foi usado nas filmagens do Seriado Carga Pesada, entre 1979 e 1981, como forma de publicidade para a Scania, e que ajudou a aumentar o carisma da marca com os consumidores. O seriado foi usado pela Scania como porta para demonstrar as qualidade do produto, desmitificando a fama de caminhão gastador que o modelo teve no começo de sua carreira. Para o seriado, a Scania disponibilizou um modelo completo, engatado em uma carreta, e também uma cabine, que era usada para gravações internas.

Carga Pesada (1)Depois do seriado, Antonio Fagundes foi para a TV Cultura, e o Scania ficou parado na Rede Globo, até que foi devolvido à Scania. Em 1985, o LK foi vendido à Rodoviário Michelon, de São Marcos-RS, uma das maiores empresas de transporte do país naquela época. Por muitos anos o caminhão foi usado em rotas internacionais, como para a Argentina, e teve como um dos motoristas Juca Schiavon ”Serração”.

Acidente na ArgentinaEm uma das viagens para a Argentina, o caminhão sofreu um acidente, quando um cano de petróleo de um caminhão argentino se soltou e atingiu a grade frontal do radiador. Nessa época surgiu a história de que o modelo havia tombado e dado perca total. Por isso, muitos interessados na história do caminhão deixaram de procurá-lo. Mas não Dsqui Pontes.

Dsqui é um aficionado por caminhões, e nunca deixou de seguir os rastros deixados pelo caminhão, até encontrá-lo. Basicamente, o que está escrito acima era o que se sabia do caminhão. Mas hoje sabemos que ele teve uma longa história depois disso, continuou rodando até mesmo em uma área portuária, e depois, aposentado, acabou sendo finalmente encontrado.

Carga Pesada na Michelon
O Carga Pesada ainda na Michelon

Continuando a história, o caminhão foi vendido em 1991 para um motorista da Rodoviário Michelon, Jarbas Rodrigues de Lages-SC. Nas mãos de Jarbas o caminhão continuou rodando, até que uma ligação da 17ª DP do Rio de Janeiro interrompeu essas viagens. No telefonema, os policiais solicitaram que o caminhão fosse levado até lá para uma averiguação, pois havia sido encontrado um clone dele. Como não se sabia qual era o verdadeiro, o Scania ficou retido para averiguação. O processo total levou cinco anos, até que a Scania deu o veredicto e apontou qual era o Scania “Carga Pesada” original, que era o caminhão de Jarbas. Enquanto o caminhão ficou detido, a Michelon disponibilizou outro caminhão para Jarbas, que após a solução do problema com a polícia, não mostrou interesse em reaver o LK. A Michelon também não teve interesse em ficar com o caminhão, por isso, ele foi vendido para o motorista Dener, que fazia transporte de papel em Bragança Paulista, e posteriormente foi vendido novamente para o Sr. Duran, que fazia o transporte de contêineres no Porto de Santos.

Antes de ser encontrado por Dsqui, o caminhão ficou parado por sete anos, porque o Sr. Duran teve problemas de saúde e não pode mais dirigir.

Dsqui é de Santa Vitória do Palmar-RS, cresceu ao lado da BR-471, que era rota da Michelon para o Uruguai, e já conhecia a fama do Rodoviário Michelon na década de 80. Ele conta que sempre ouvia dos motoristas da empresa as histórias sobre o LK 141 do Carga Pesada. Essas histórias marcaram Dsqui e sua curiosidade sobre o caminhão só crescia.

Carga pesada em Santos
No Porto de Santos

“Desde 2005, eu procurava o LK, pesquisando dados aqui e ali, mas sem exito, até que em 2014, um amigo e eu criamos uma página no facebook chamada MEMÓRIA RODOVIÁRIO MICHELON, dai em diante, foi bem mais fácil, com dicas do Jarbas, do ”Serração’ e da Sra. Silvia Trevisan, que foi uma das chefes da Michelon e tem a cópia da nota de compra do caminhão pela Michelon; já o Jarbas me deu vários detalhes, como as furações onde ficavam os microfones e câmeras. Na metade do ano passado, me joguei ao Porto de Santos, e fiquei por lá durante 20 dias procurando o caminhão, só queria encontrá-lo, e num lance de sorte, o vi em um pátio e pedi pra fotografa-lo, e o dono me ofereceu…. Não tive dúvidas, comprei-o e trouxe para minha cidade, onde está sendo desmontado para catalogar as peças e registrar para que possamos pensar no que será feito, completa Dsqui.

Dsqui e Carga Pesada
Depois de ser comprado por Dsqui

Até o momento a Scania não sabe que o caminhão foi encontrado. Como a cultura dos caminhões antigos tem crescido no Brasil, acreditamos que seja questão de tempo para que a empresa saiba desses detalhes. Como o caminhão está sendo desmontado e precisará de alguns cuidados para voltar a antiga forma, ainda precisará de um tempo, mas depois de pronto, Dsqui nos disse que vai levá-lo a encontros e exposições, e que o caminhão vai ser tratado como um bem coletivo que é, uma forma de valorizar a classe dos caminhoneiros que é tão marginalizada e menosprezada.

Outro sonho de Dsqui, é que, depois que o caminhão esteja pronto, seja feito um encontro com Pedro e Bino (Antonio Fagundes e Stênio Garcia), que com seus personagens eternizaram a história dessa Lenda das Estradas.

Sobre o Seriado Carga Pesada

Carga Pesada (2)Carga Pesada foi inspirado em Jorge, um Brasileiro, episódio do Caso Especial exibido em 1978. A história era uma adaptação feita pelo escritor Oswaldo França Júnior do seu romance homônimo. No Caso Especial, Antonio Fagundes vivia um caminhoneiro que atravessava o interior de Minas Gerais para transportar uma carga e enfrentava uma série de obstáculos durante a viagem. Paulo José, diretor do Especial, sugeriu a Boni, então diretor de operações da Rede Globo, transformar a vida dos caminhoneiros no tema de uma das Séries Brasileiras.

Os atores Antonio Fagundes e Stênio Garcia passaram a viver intensamente o cotidiano dos caminhoneiros durante as gravações, almoçando e bebendo nos mesmos bares que eles e dirigindo de verdade caminhões. Em pouco tempo, Pedro (Antonio Fagundes) e Bino (Stênio Garcia) se tornaram um sucesso, e os atores recebiam centenas de cartas de caminhoneiros declarando sua admiração por eles e contribuindo com o seriado através de histórias sobre a vida nas estradas.

frames - seriado - scania lk 141 carga pesada (3)Muito amigos também fora das telas, Antonio Fagundes e Stênio Garcia costumavam brincar de inventar situações difíceis um para o outro nas ocasiões em que escreviam roteiros de Carga Pesada. Stênio Garcia lembra que, no episódio A Barricada, escreveu uma cena em que Pedro ficava preso com dois fugitivos da penitenciária dentro de um caixote cheio de cebolas, enquanto Bino, no volante do caminhão, tentava atravessar barreiras policiais. Para piorar, em determinado momento, os bandidos decidiam comer as cebolas do caixote, tornando os diálogos mais difíceis de serem encenados. Mais tarde, Antonio Fagundes deu o troco escrevendo uma história em que os dois caminhoneiros se viam atolados em um mangue, sem ter o que comer. Claro que coube a Bino a tarefa de entrar na lama para pescar caranguejos.

Em março de 1990, os episódios Adeus, Dequinha; A Enchente; Pagamento contra Regra; O Arrocho e A Santa foram reprisados no Festival 25 anos, com apresentação de Stênio Garcia. No Festival 30 anos, foram reprisados Adeus, Dequinha; A Enchente; Pogrom; Operação Limpeza e A Estrada.

frames - seriado - scania lk 141 carga pesada (2)Carga Pesada teve 26 episódios patrocinados pela empresa Scania-Vabis do Brasil, que cedeu seus caminhões. Depois foi a vez da Chrysler brasileira manter parte da produção e ter sua marca exposta no programa.

Carga Pesada foi exibido em países como Bolívia, Chile, Estados Unidos, França, Irlanda, Itália e Nicarágua.

Em 1984, a TV Globo iniciou um intercâmbio com a Biblioteca do Congresso norte-americano ao doar vários de seus programas à instituição. Entre eles, estava um episódio de Carga Pesada, chamado O Velho Viana.

Carga Pesada (3)Após um intervalo de 22 anos, os personagens Pedro e Bino voltam a percorrer as estradas do país a bordo de um VW Titan e depois de um VW Constellation.

Blog do Caminhoneiro




2 comentários em “LK141 do seriado Carga Pesada estará na Fenatran

  • 18/05/2017 em 20:22
    Permalink

    Parabéns Sr Daqui. Não segui a profissão de caminhoneiro, mas sempre tive vontade de dirigir caminhões, e não perdia um seriado de Carga Pesada, que na época eu tinha 15 anos. Gostaria muito de tirar uma foto ao lado desta maravilhosa Scania. Ainda tenho tenho o disco de vinil com todas as músicas da época do primeiro seriado, tendo a capa esta Scania.

    Resposta
  • 18/05/2017 em 10:28
    Permalink

    Parabéns pela perseverança, o Sr Dsqui merece minha admiração, pois sou carreteiro e um eterno apaixonado por esta série carga pesada

    Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!