Diagrama de Distribuição de Carga. O que é isso?

por Blog do Caminhoneiro

Não temos ainda no Brasil o conceito ou a cultura do “Diagrama de Distribuição de Carga” para um caminhão ou carreta. Muitos ainda acham que, se uma carreta é para 25 toneladas, não importa a posição do Centro de Gravidade (C.G.) da carga. E na verdade essa posição é que poderá ou não gerar multas no “entre-eixo”.

Por isso que mais de 90% das multas por excesso de peso no Brasil ocorrem nos eixos e não no Peso Bruto dos caminhões.

As fábricas de carrocerias e carretas deveriam fornecer esse diagrama: qual o peso máximo que posso transportar para cada posição do C.G. da carga: dentro da área hachurada não haverá excesso nos eixos. Acima dessa área: haverá problemas. A linha azul é o limite. Para cada posição de C.G. temos um valor máximo de peso que pode ser transportado.

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem
Note no gráfico do exemplo que só posso utilizar a lotação máxima do veículo se o C.G. estiver em uma região central da carroceria. Se o C.G. da carga não está no centro, devo reduzir o peso transportado.

Cada curva do gráfico mostra o fator que limita o peso transportado. Se ultrapassar alguma linha, algum problema ocorrerá.

Esse diagrama é conhecido como “Load Distribution Diagram”, “Load Diagram” ou o “palavrão” em alemão: “Lastverteilungsplan”.

Na carga indivisível, o diagrama também é fundamental: um exemplo de catálogo está na figura a seguir, para uma linha de eixos: lotação máxima, apenas com o C.G. no centro.
Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem
Além disso, outra informação fundamental que falta ao TRC no Brasil: qual o peso linear máximo que posso colocar sobre um veículo? Uma carreta LS pode transportar, por exemplo, 32 toneladas. Mas, 32 tons em quantos metros? E se a carga tiver apenas 1,5 metros de comprimento? O chassi suportará ou vai quebrar?.

Qual peso concentrado máximo que cada carreta é capaz de transportar? 3 ton/m, 5 ton/m, 8 ton/m? Qual o máximo para carretas convencionais?

O fabricante deveria disponibilizar essa informação. Carga de grande densidade como da imagem ao lado, com talvez 15 ton/m, deveria ser considerada uma carga especial e transportada em prancha?.

Pena que ainda não chegamos nesse nível de conhecimento no Brasil!

Maiores informações: www.trs.eng.br

Texto de: Eng. Rubem Penteado de Melo e-mail: rubem@trs.eng.br

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-3532-4235

Artigos relacionados

5 comentários

Zé Cueca 14/05/2019 - 13:43

Muito boa a matéria, além de informativa creio ser de utilidade pública.
O que precisa é capacitar motoristas e empresários p ara não ser usado como salva-vidas do embarcador. Vemos inúmeros casos de carga mal distribuídos sobre os caminhões e na maioria das vezes por desconhecimento do efeito da carga sobre o veiculo.
Nem sempre se pode completar a carga onde o peso não atinja o limite; exemplo! Estava carregando um equipamento para construção de rodovias e o mesmo tinha peso de 12 ton., porém o dono da máquina queria de qualquer maneira colocar outro equipamento de 4 ton. para completar a carga do caminhão que é de 16 toneladas, não aceitei devido ter de deslocar o rolo para cima do eixo dianteiro ficar com a parte da traseira muito leve, sem contar que causaria danos no sistema e poderia gerar multa.
Como o dono da carga estava irredutível, ameacei a não carregar e ir embora vazio, foi somente depois dessa decisão que autorizou a carga somente do primeiro equipamento e ficava resmungando que era mal vontade e por isso iria pagar mais um frete.
Temos de agir de forma a não negligenciar a estrutura do veiculo e contribuir para o aumento da segurança no transito.
Como muitos são desinformados vão fazendo o que bem entendem sem se preocupar com os riscos inerentes ao trabalho e atividade.

Reply
Gil Filho 03/05/2019 - 23:59

É só falar com um engenheiro mecânico que ela saberá calcular isto… Fala conosco (92) 98153-4280

Reply
Wladimir Alexandre Machado 03/05/2019 - 15:41

PODERIA EXISTIR ESTE CURSO NO SESMT. SERIA AI UMA.NOVA PROFICÃO NAS TRANSPORTADORAS OU QULIFICAR OS MOTORISTAS.

Reply
Eloy 03/05/2019 - 13:41

Para evitar as multas, as empresas deveriam ser obrigadas a pesar por eixos antes de liberar o caminhão.

Reply
José Carlos Silva Santos 03/05/2019 - 11:14

Olá esse aplicativo foi criado com a mais precisão quê o motorista precisa foi uma Boa oportunidade em a adequar às necessidades dus parceiros da estrada muito bom eu gostei !!!
Obgdo

Reply

Escreva um comentário