Iveco apresenta novos Tector médios e atualiza modelos semi-pesados




Apresentados inicialmente na Fenatran de 2017, os novos Iveco Tector 9-190 e 11-190, para o segmento de médios, foram lançados. Além do lançamento dos novos modelos, a montadora apresentou o novo design também para os modelos atuais, de 17 a 31 toneladas.

“Os lançamentos nos tornam mais competitivos no segmento dos médios, que representa 20% do mercado de transportes no Brasil, e completam nosso portfólio. Agora, estamos mais fortes dos leves aos pesados”, afirma Marco Borba, vice-presidente da Iveco para a América do Sul.

Para a criação e aperfeiçoamento dos modelos, a Iveco foi a campo, conhecer a rotina dos motoristas que dirigem caminhões médios, principalmente nos grandes centros urbanos. A pesquisa determinou, entre os principais pontos ressaltados pelos motoristas, que os caminhões precisam ser versáteis, para serem usados em diferentes operações, e também precisam oferecer um nível elevado de conforto.

As novas cabines se destacam pelo uso do design global da montadora, que além de muito bonitas, oferecem uma aerodinâmica aprimorada, que melhoram o fluxo de ar e diminuem o consumo de combustível.

A cabine tem sistema de basculamento hidráulico, que oferece mais segurança na manutenção, e também facilita as verificações diárias do modelo, como de óleo e de fluído do radiador, que são feitas pela frente do caminhão.

O isolamento acústico da cabine foi ampliado, oferecendo um nível de ruído interno muito baixo, aumentando o conforto de quem passa várias horas por dia ao volante.

Além de confortáveis e silenciosas, as novas cabines são grandes, com 1,14 metro do banco ao teto, a maior do segmento. As portas também tem um ângulo de abertura maior. A alavanca de câmbio foi posicionada no painel, para facilitar e aumentar o conforto nas trocas de marcha.

“Outro ponto forte da cabine é a visibilidade. Temos o melhor campo de visão da categoria, com o maior para-brisa do segmento, com 1,53m² e retrovisores desenhados para garantir uma visão ampla das laterais, o que significa mais segurança e facilidade ao conduzir o veículo em manobras, ruas estreitas e docas apertadas”, diz Ricardo Barion, diretor de Vendas e Marketing da Iveco para a América do Sul.

Os veículos usam motores FPT NEF45, com 190 cavalos de potência, com câmbio Eaton de 6 velocidades.

Além das novidades dos modelos médios, a Iveco renovou os modelos semi-pesados, com nova cabine, e apresentou um novo modelo, o 17-300, versão cavalo-mecânico 4×2, com motor de 300 cavalos e capacidade máxima de tração de 36 toneladas.




8 comentários em “Iveco apresenta novos Tector médios e atualiza modelos semi-pesados

  • 22/06/2019 em 09:30
    Permalink

    Primeiramente parabens pelo blog, e muito obrigado por sempre postar noticias.
    Gostei do site e já está em meus favoritos.

    att.

  • 22/06/2019 em 08:31
    Permalink

    Trabalho na Europa a 14 anos como motorista TIR, hoje trabalho com uma IVECO STRALIS 400 CV GNL, e digo o pior caminhão que já trabalhei na minha vida, (NÃO PRESTA MESMO), já trabalhei com Volvo, Scania, Daf, Renault, só não trabalhei até hoje com MAN, más digo com certeza IVECO a gás GNL ou a diesel, não PRESTA, a embrenhagem seja manual ou automático como o que estou trabalhando agora é péssima, muitas avarias no sistema eléctrico, os modelos a gás GNL seja carregados ou vazios não tem força, fui passar o túnel de fréjus da Itália para França, me fizeram esperar 30 minutos, pois o motor está acusando 480 graus de temperatura, vivo com o caminhão avariado, das 16 que a empresa que trabalho tem, 5 já levou motores novos, elas só tinham a volta de 200.000kms, a que eu trabalho tem 2 anos, está agora com 220.000kms, e o micros a cada 10.000kms mama 5 litros de óleo.
    Resumindo IVECO É UM LIXO. Meu patrão agora está comprando Scanias a gás GNL, está testando até agora fizeram as primeiras revisões de 45.000kms, sem dar nenhum problema, as discos tivemos uma que com 11.000kms já tinha tido assistência em viagem mais de 5 vezes. Más atenção, meus colegas já me informaram que mesmo as Scanias aos 45.000 já baixaram 10 litros de óleo, a Scania informou que é normal devido que os motores a gás GNL aquecem muito.
    Na minha opinião estes caminhões não aguentam transportar 40.000kg, no máximo 10 ou 15.000kg sem dar problemas.

    • 22/06/2019 em 08:34
      Permalink

      Era IVECOS não micros!

    • 22/06/2019 em 08:41
      Permalink

      Discos também é IVECOS kkk, desculpem foi culpa do corretor automático do teclado.

    • 22/06/2019 em 09:38
      Permalink

      Meu tio tem 2 Tector 260e28 no areal dele há três anos e nunca deram problema, e quem trabalha sabe que areal é brabo pro caminhão. Vai ver é só saber conduzir o veículo como se fosse de sua propriedade. Tem empregado que judia do veículo porque tem raiva do patrão.

  • 22/06/2019 em 08:30
    Permalink

    Antes tinha cara de mal, agora parece cara de desani mado, vai sabe

  • 22/06/2019 em 08:06
    Permalink

    Caminhões muito bonito, e potentes , só que todos reclamao do atendimento no quesito manutenção

    • 22/06/2019 em 08:39
      Permalink

      Trabalho na Europa a 14 anos como motorista TIR, hoje trabalho com uma IVECO STRALIS 400 CV GNL, e digo o pior caminhão que já trabalhei na minha vida, (NÃO PRESTA MESMO), já trabalhei com Volvo, Scania, Daf, Renault, só não trabalhei até hoje com MAN, más digo com certeza IVECO a gás GNL ou a diesel, não PRESTA, a embrenhagem seja manual ou automático como o que estou trabalhando agora é péssima, muitas avarias no sistema eléctrico, os modelos a gás GNL seja carregados ou vazios não tem força, fui passar o túnel de fréjus da Itália para França, me fizeram esperar 30 minutos, pois o motor está acusando 480 graus de temperatura, vivo com o caminhão avariado, das 16 que a empresa que trabalho tem, 5 já levou motores novos, elas só tinham a volta de 200.000kms, a que eu trabalho tem 2 anos, está agora com 220.000kms, e o motor a cada 10.000kms mama 5 litros de óleo.
      Resumindo IVECO É UM LIXO. Meu patrão agora está comprando Scanias a gás GNL, está testando até agora fizeram as primeiras revisões de 45.000kms, sem dar nenhum problema, as IVECOS tivemos uma que com 11.000kms já tinha tido assistência em viagem mais de 5 vezes. Más atenção, meus colegas já me informaram que mesmo as Scanias aos 45.000 já baixaram 10 litros de óleo, a Scania informou que é normal devido que os motores a gás GNL aquecem muito.
      Na minha opinião estes caminhões não aguentam transportar 40.000kg, no máximo 10 ou 15.000kg sem dar problemas.

Fechado para comentários.