Volkswagen e-Delivery – Toda a potência da eletricidade




Durante a Fenatran, um dos destaques da MAN Latin America foi o caminhão Volkswagen e-Delivery. Apresentado logo após o lançamento da nova linha do Delivery em 2017, o novo e-Delivery entrou em testes logo em seguida. Hoje, mais de um ano depois, os testes do modelo são altamente satisfatórios para distribuição urbana.

Os testes, realizados pela MAN em parceria com a Ambev, com o modelo de 14 toneladas de PBT, economizaram mais de 3 mil litros de diesel em um ano, com 15 mil quilômetros rodados. Além disso, o caminhão deixou de emitir mais de 11 toneladas de CO2 na atmosfera.

A Ambev, que testa o modelo há mais de um ano, já realizou uma pré-encomenda de mais 1.600 unidades, que serão entregues até 2023, e vão ser usados em distribuição urbana em várias cidades do país.

A autonomia média das baterias é de 200 quilômetros, ideais para operações em cidades, que rodam menos que isso diariamente, enfrentando muito anda e para. O motor elétrico do veículo foi desenvolvido pela WEG, e oferece 260 kW de potência (348 cavalos), com o impressionante torque de 2.150 Nm. Isso, para um veículo médio, é muito mais do que suficiente.

A recarga das baterias é feita pela tomada. Em duas horas as baterias estão com a carga completa, e o veículo pronto para mais 200 quilômetros. O caminhão ainda conta com um sistema de recarga programada, que inicia a recarga apenas nos horários fora dos picos de consumo de energia elétrica.

Além disso, o caminhão conta com um sistema de regeneração de energia, o famoso KERS (Sistema de Recuperação de Energia Cinética, em inglês Kinetic Energy Recovery Systems), que recarrega as baterias e tem três níveis de potência. Além da recuperação de energia, o sistema freia o caminhão em declives, funcionando como um freio-motor de alta potência, gerando muita economia em peças do sistema de freios de serviço do veículo.

Os outros sistemas do veículo, como ar-condicionado, compressor de ar dos freios, bomba da direção hidráulica e bomba de água do sistema de arrefecimento são tocados por motores elétricos menores, independentes, que não são usados quando não são necessários, evitando desperdício de potência do motor e energia das baterias.

Para além da tecnologia elétrica e potência do veículo, nada muda de um Volkswagen Delivery tradicional, a diesel. O caminhão tem o mesmo conforto, design e características do modelo convencional.

Impressões

Durante a Fenatran, em uma pista montada no Centro Paralímpico Brasileiro, ao lado do São Paulo Expo, pudemos fazer um teste de rodagem no elétrico da Volkswagen.

A primeira impressão é a ausência de ruído. Apesar do motor estar ligado, apenas o compressor do ar-condicionado estava funcionando, fazendo quase nenhum som.

Ao entrar no veículo, a única diferença perceptível é no painel de instrumentos, que mostra a aceleração do caminhão e também a faixa de regeneração de energia, quando se tira o pé do acelerador.

Ao pisar no acelerador, o caminhão anda com força. No motor elétrico, todo o torque é despejado de uma vez, sem a curva de torque progressivo dos motores diesel. O e-Delivery acelera fácil, não sendo notado o peso das baterias e implemento.

Ao parar em rampas, o caminhão tem o sistema de auxílio para partida, que deixa o caminhão freado por alguns segundos, até que se pise novamente no acelerador. Quando se acelera, o caminhão fornece todo o torque novamente, subindo com facilidade.

Na descida, mesmo no primeiro nível de regeneração do KERS, o caminhão é segurado pelo sistema, sem necessidade do uso do freio de serviço.

Ao retornar ao local de partida, o motor para completamente, e o ruído que fazia durante a rodagem desaparece. Esse ruído da rodagem é quase inaudível com o caminhão completamente fechado.

O Volkswagen e-Delivery é um produto com excepcional vocação para distribuição urbana, com redução de custos, de emissões e de ruídos, cada vez mais buscados pelos operadores de transporte desse tipo.

Blog do Caminhoneiro





2 comentários em “Volkswagen e-Delivery – Toda a potência da eletricidade

  • 26/10/2019 em 18:01
    Permalink

    Caminhão e carro elétrico são duas DESGRAÇAS. E dá até para enumerar os motivos pelos quais os chamo assim. Vamos lá:

    1) Dizem que são veículos “ecologicamente corretos”, não emitindo nenhum poluente para contaminar o ar, PORÉM, os compostos minerais das baterias são altamente tóxicos ao meio ambiente e à saúde humana. A fabricação em larga escala vai iniciar um frenesi das mineradoras escavando e poluindo rios e solo em muitos lugares. Então não são veículos corretos para o meio ambiente.

    2) Pouco tempo de durabilidade das baterias. Assim como as baterias convencionais que equipam todos os tipos de veículos, as baterias automotoras duram no máximo 6 anos, bem menos do que os 20 anos de um motor tradicional bem cuidado e com a manutenção em dia. E vai sair CARO para substituir por que geralmente é uma bateria em cada roda do carro. Vai custar mais que fazer um motor novo.

    3) Risco de incêndios em dias quentes. Isso aconteceu e acontece muito. A Tesla que o diga! Dias quentes são os piores inimigos dos veículos elétricos. As baterias apresentam sérios problemas quando usadas intensamente em dias quentes. Elas estufam, o lítio vaza e elas pegam fogo.

    4) Não tem robustez nenhuma. O quê fazer quando é necessário muita força para passar lamaçais ou robustez para atravessar alagamentos com essas bagaças elétricas? NÃO SÃO FEITOS PRA ISSO, para encarar desafios dessas estradas de chão e ruas alagadas por chuvas torrenciais. Veículos elétricos apresentam maiores riscos de panes e curto circuitos que veículos com motores.

    5) Autonomia variável. Se for necessário acelerar para chegar mais rápido ao destino, a autonomia cai bruscamente e o veículo pode ficar no meio da estrada descarregado. São feitos pra andar pouco. E parar no meio da Estrada onde não tem ponto de recarga? Vão arrumar extensões caseiras de 30 km de comprimento? Só sai de lá com guincho!

    SOLUÇÃO PARA O FUTURO: BIOCOMBUSTÍVEIS SEM MISTURA COM DERIVADOS DE PETRÓLEO. Preserva os motores e não polui o ambiente. Vou usar isso e SAIR de perto dos elétricos.

    Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!