Rolligon: o gigante que faz massagem

Ser atropelado por um caminhão não é nada bom. A não ser que seja um modelo equipado com o sistema de pneus Rolligon. De acordo com a publicidade da época do lançamento, ao invés de machucar, o veículo faz uma massagem vigorosa, mesmo tendo sete toneladas. Mas como isso é possível?

Pneus muito largos e com uma pressão de ar muito baixa. Basicamente, seria isso. Os pneus Rolligon foram inventados por William Hamilton Albee, que vivia em uma região muito gelada do Alasca. Em uma viagem para pescar em 1935, notou que um grupo local usava sacos de pele de foca inflada para tirar um grande barco da água, e podiam transpor obstáculos como pedras e troncos sem dificuldade.

No ano de 1951, já vivendo na Califórnia, ele começou a trabalhar em uma adaptação moderna para as bolsas de pele de foca. O trabalho de desenvolvimento resultou em pneus tipo bolsa, feitos de náilon forrados com borracha, que eram muito flexíveis.

O primeiro protótipo

Esse tipo de pneus se deforma com muita facilidade, mas não perde sua forma original. Eles são fabricados para terem a maior área de contato possível com o solo, e recebem somente 5 PSI de pressão. Um automóvel geralmente usa uns 30 PSI, enquanto um caminhão tem mais de 100 PSI.

Com um acordo com a Goodyear, os pneus começaram a ser produzidos, e o inventor fechou um contrato com o Exército dos Estados Unidos para testar os produtos. Foram construídos um Jeep, um caminhão REO e uma picape Dodge Power Wagon, equipados com os curiosos pneus.

Finalmente, foi criado o Albee Rolligon, da foto de abertura desse texto, com sete toneladas e uma mulher sorridente sobre um dos pneus. Apesar de inovador, o sistema não foi um sucesso imediato, e a empresa foi vendida para John G. Holland, que rebatizou a empresa de Rolligon Corporation em 1960. Atualmente, a marca Rolligon pertence à gigante National Oilwell Varco (NOV), sediada no Texas, que é fornecedora de equipamentos e componentes usados ​​em perfuração de poços de petróleo e gás. A NOV ainda fabrica veículos equipados com Rolligon. Seus maiores clientes são empresas de petróleo que operam no norte do Alasca.

Graças a esses pneus, os veículos podem enfrentar lugares lamacentos, com areia, neve, tundra ou o permafrost, que são locais permanentemente congelados, sem problemas, com uma capacidade enorme de tração, sem atolar. Eles são usados para o transporte de pessoal e equipamentos, para a exploração de petróleo.

Esse mesmo sistema é usado em agricultura, com pneus de tratores ou caminhões muito largos, evitando a compactação do solo.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Publicado por
Blog do Caminhoneiro