CNTA lança campanha contra a exploração do trabalho do caminhoneiro

Apesar dos custos elevados, o que mais impacta na vida financeira do caminhoneiro são os valores de fretes. Para tentar mudar essa realidade, em 2018 foi criada a famosa Tabela de Fretes, que traz valores base para as operações de transporte. Apesar de existir no papel, na maioria das vezes ela não é cumprida.

Nesta semana, a Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA) deu início à campanha “ESSE FRETE NÃO!”, que visa reforçar o combate à exploração do trabalho do caminhoneiro durante a negociação do frete.

A entidade diz que é necessário que todos os agentes deste processo estejam conscientes sobre o valor do trabalho do caminhoneiro, tanto quanto à remuneração quanto ao cumprimento dos seus direitos.

Um frete baixo dificulta a oferta de um serviço de qualidade, pois não permite ao caminhoneiro a possibilidade de fazer uma manutenção em seu veículo e nem mesmo ter uma qualidade de vida adequada.

A CNTA trabalha para que os caminhoneiros tenham a oportunidade de dizer “ESSE FRETE NÃO!” às propostas de trabalho que não se enquadram ao mínimo que este profissional merece, incluindo os custos do transporte bem como sua digna margem de lucro.

Para isso, a entidade pede envolvimento da categoria para reivindicar, denunciar e cobrar quando se deparar com situações que ferem seus direitos.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Deixe um comentário!

Caminhoneiros estão cada vez mais procurados pelas transportadoras Caminhoneiro recém contratado depena caminhão nos EUA Eficiência dos motores diesel chega a um novo patamar Projeto quer acabar com valores de fretes muito baixos Montagem de caminhões no Brasil segue em alta