Volvo testa caminhões movidos a sete combustíveis alternativos

por Blog do Caminhoneiro

FM 460cv Diesel-GNL (4)

Preocupando-se em oferecer alternativas ambientais amigáveis, a Volvo está testando seu grande projeto de um caminhão movido a diesel e a GNL (Gás Natural Liquefeito) aqui no Brasil. Dessa forma, o Grupo Volvo é o primeiro fabricante de caminhões a testar veículos comerciais com potencial de rodar com diferentes combustíveis alternativos ao mesmo tempo, visando a proteção do meio ambiente.

Os modelos de caminhões utilizados pela marca são os Volvo FM. Equipados com motor Volvo de 9 litros foram especialmente modificados pelos engenheiros da companhia para mostrar as possibilidades de transporte sustentável.

“A Volvo desenvolve este projeto para atender ao contínuo aumento das necessidades de transporte, proporcionar rentabilidade para o transportador e, ao mesmo tempo, reduzir as emissões de gases nos veículos”, afirma Sérgio Gomes, diretor de estratégia de caminhões da Volvo Latin America.

Os sete caminhões Volvo em teste podem receber diferentes combustíveis e/ou combinações de combustíveis renováveis. São eles: biodiesel, biogás, biogás combinado com biodiesel, etanol/metanol, DME, diesel sintético e gás de hidrogênio combinado com biogás.

Caminhões Volvo e seus combustíveis adequados

A Volvo está realizando a sua própria análise dos combustíveis renováveis que são mais adequados para atingir um transporte sustentável. Para isso, engenheiros da e pesquisadores estão levando em consideração alguns aspectos: o impacto ao meio ambiente, a eficiência energética, o nível de eficiência no uso do solo para o cultivo de plantas necessárias para os respectivos tipos de combustíveis, as quantidades de combustíveis que poderiam ser potencialmente produzidas, o nível de adaptação técnica exigido no veículo, custos e a também a facilidade de distribuição de cada substância.

Abaixo, veja detalhes de cada um dos sete combustíveis testados pela Volvo!

Biodiesel: produzido por esterificação de óleos vegetais. Na Europa, o óleo de colza e de semente de girassol são os materiais mais utilizados.

Biogás: composto por praticamente hidrocarbonetos de metano, o biogás pode ser extraído em sistemas de tratamento de esgoto, aterros sanitários ou outros locais que existam materiais biodegradáveis.

Biogás + biodiesel: os dois gases são combinados em tanques e sistemas de injeção separados. Um baixo percentual (10%) de biodiesel, ou diesel sintético, é usado para obter ignição na compressão. O biogás nesta alternativa é resfriado e usado em forma líquida aumentando sua faixa de aplicação.

DME – Dimetiléter: O dimetiléter é um gás manuseado em forma líquida sob baixa pressão. DME é produzido pela gaseificação de biomassa.

Etanol/Metanol: produzido pela gaseificação de biomassa e etanol através da fermentação de plantas ricas em açúcares e amidos.

Diesel sintético: um composto a partir de hidrocarbonetos sintetizados através da gaseificação de biomassa. O diesel sintético também pode ser misturado com o diesel mineral normal sem problemas.

Gás de Hidrogênio + Biogás: o gás de hidrogênio pode ser produzido através da gaseificação de biomassa ou eletrólise de água por energia elétrica de fonte renovável.

Para saber de mais informações, curta a Volvo Caminhões no Facebook e assista aos vídeos no canal da Volvo no Youtube. Leia também o Volvo na Estrada, blog da marca.

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-3532-4235

Artigos relacionados

1 comentário

juliano 20/06/2013 - 00:19

Busca constante por novos mercados futuros que possam ser cobrados e taxados. É uma busca e uma briga de gigantes, com muitos interesses por de trás. A desculpa da natureza é só pra mídia comprar e vender idéias.

Reply

Deixe sua opinião sobre o assunto!