Nova geração do motor F1A da FPT Industrial equipa Fiat Ducato 2018




O novo Fiat Ducato 2018, lançado nesta semana no Centro de Treinamento da Fiat Chrysler Automobiles (FCA), em Campinas (SP), é equipado com a última geração do motor F1A, de 2.3L, produzido pela FPT Industrial em Sete Lagoas (MG). Um dos produtos mais vendidos pela marca no mundo, a nova geração de propulsores é resultado de mais de 35 anos no desenvolvimento de motores para veículos comerciais leves, e foi desenvolvida seguindo todos os critérios de máximo rendimento, conforto e confiança.

Na versão que equipa o novo Fiat Ducato 2018, o F1A ficou ainda mais potente, gerando agora 130 cv. Vibrações e ruídos são até 5 db inferiores em relação a seus principais concorrentes – aumentando diretamente o conforto e a segurança do motorista durante o ciclo de trabalho. Equipado com a nova transmissão de seis marchas, o regime do motor foi ajustado, melhorando sua eficiência nas ruas e estradas e diminuindo ainda mais o consumo de combustível.

Os motores F1A dispõem de injeção Common Rail de última geração, quatro válvulas por cilindro, sistema de válvula hidráulica que dispensa manutenção, e sistemas de admissão de ar avançado. A distribuição de potência e torque é feita de maneira inteligente para que o desempenho e a economia de combustível ocorram em qualquer situação. “O mercado mundial conhece a tradição da eficiência dos motores F1A. Nossa equipe de engenheiros trabalhou para desenvolver ainda mais esse modelo, para trazer cada vez mais rentabilidade aos motoristas e frotistas do Novo Ducato”, comenta Marco Rangel, Presidente da FPT Industrial na América Latina.

Tecnologia

Do ponto de vista tecnológico, o F1A é equipado com o sistema EGR, que recircula os gases de escape, sendo a melhor solução disponível para manter as emissões dentro dos limites estabelecidos pelas normas Proconve L6/Euro 5. Em termos econômicos, a não utilização do Arla 32, associada ao baixo consumo de combustível, torna o custo do motor um dos mais baixos da categoria. O turbocompressor é configurado para minimizar o consumo e proporcionar resposta imediata na aceleração.

A constante evolução do motor F1A também pode ser observada nas modificações de material utilizado na composição do sistema Valvetrain. Com isso, houve aumento de 47% na vida útil de correias e engrenagens, o que otimiza os custos de manutenção e aumenta a performance do veículo.

Os sistemas de refrigeração e o turbocompressor foram otimizados, o que tornou o propulsor mais compacto, contribuindo com a eficiência termodinâmica e leveza do equipamento. Como resultado dessa inovação, a instalação do motor ficou mais fácil e, consequentemente, as operações de manutenção mais rápidas. Vibrações e ruídos são os menores registrados do mercado, o que garante produtividade e sustenta o longo ciclo de vida do propulsor FPT Industrial F1A.




Deixe sua opinião sobre o assunto!