Conheça o Chevrolet C68 transformado em um monstro sobre rodas




Caminhões abandonados pelo Brasil existem aos montes. Guerreiros que venceram milhares, talvez milhões de quilômetros Brasil afora durante décadas, descansam em terrenos, beiras de estradas e ferros-velhos. Mas ver um que ganha vida novamente é algo que nos surpreende sempre.

É o caso do Chevrolet C-68 de Elvis Zenis, de Cafelândia, no oeste paranaense. O caminhão estava abandonado no terreno de Elvis, e iria para um desmanche. Até que ele teve uma ótima ideia. Juntar aquele caminhão velho e sem serventia a um motor MWM V12, usado normalmente em geradores e rebocadores de navios. E a mistura deu certo.

Nasceu aí um dos projetos mais insanos que se vê no Brasil. O motor V12 já entrega uma potência muito alta, mas recebeu quatro turbinas e chegou a 1.000 cavalos de potência. O estilo rat rod do veículo lembra alguns carros de filmes pós apocalípticos, como Mad Max.

Tudo foi sendo testado e feito pelo próprio Elvis. O que não dava certo ia sendo refeito até fica bom o suficiente. No final o projeto agradou o dono e muitos fãs de caminhões por aí.

LEIA MAIS  Caminhoneiro denuncia roubo de peças de caminhão pelas redes sociais

O motor é um V12, fabricado pela MWM, que normalmente é usado em embarcações e geradores, mas que equipou alguns caminhões fora de estrada. Ele tem 21,6 litros de cilindrada, quase duas vezes a cilindrada de um caminhão rodoviário atual, e duas turbinas, que originalmente entrega uma potência de cerca de 400 cavalos. Para aumentar a cavalaria, Elvis adaptou mais quatro turbinas do Scania 112H, chegando a 1.000 cavalos de potência, que chegam às rodas por meio de um câmbio de ônibus Scania. Futuramente, o engenheiro maluco quer colocar mais duas turbinas no motor, para chegar à incríveis 1.500 cavalos de potência.

Para receber o gigantesco motor, o chassi foi totalmente adaptado, e a cabine foi recuada e rebaixada. O câmbio é instalado na coluna de direção, e o eixo cardã passa por dentro da cabine, sem isolamento. O tanque, feito sob medida, foi instalado atrás da cabine, e tem capacidade para 300 litros.

LEIA MAIS  PRF flagra o transporte de 93,5 toneladas de excesso de peso no MT

A suspensão é nova, a ar, com bolsas e amortecedores usados em caminhões modernos. Porém, mesmo assim a cabine ainda oferece pouco conforto, e os planos de Elvis contemplam dar acabamento à cabine, com revestimento e bancos mais confortáveis.

Além disso, o caminhão tem diversos itens visuais que reforçam o estilo rat rod, como um para-choque no estilo limpa trilhos, traseira rebaixada, luzes, motor exposto com escapamento vertical e outros itens de muito estilo. O projeto ainda não está terminado, e Elvis pretende fazer ainda mais alterações no modelo, tanto estéticas, como de potência.




Deixe sua opinião sobre o assunto!