Volkswagen Caminhões e Ônibus apresenta tecnologias elétricas no IAA




A Volkswagen Caminhões e Ônibus está na IAA, maior feira de veículos comerciais do mundo, com tecnologias inéditas para deixar sua marca na mobilidade do futuro. O caminhão e-Delivery e o ônibus Volksbus e-Flex são os grandes destaques. Apresentados ainda como protótipos, ambos já têm suas fases de testes definidas e também a previsão do início da produção em série.

O modelo elétrico da Volkswagen para transporte de passageiros começa a rodar já no ano que vem nas ruas brasileiras e vai entrar no portfólio de vendas da marca apenas seis meses depois do caminhão e-Delivery, que está previsto para ser fabricado em série a partir de 2020.

“Em nova avant-premiére mundial, a Volkswagen Caminhões e Ônibus apresenta agora sai solução elétrica para o transporte de passageiros. Trazemos nossa contribuição para o debate mundial sobre novas fontes de energia, com soluções viáveis e concretas, amparadas por testes com padrões internacionais”, afirma Roberto Cortes, presidente e CEO da Volkswagen Caminhões e Ônibus.

Em paralelo, a empresa dá passos firmes também rumo à conectividade, outro pilar da próxima geração do transporte. A ferramenta RIO já está em testes com clientes brasileiros para comprovar com suas soluções digitais podem contribuir para incrementar os negócios de transportadores, autônomos ou frotistas.

No estande da Volkswagen Caminhões e Ônibus também está o melhor da tecnologia diesel: o Constellation 33.440 e o Delivery Express são respectivamente o modelo mais pesado e o mais leve da marca para garantir soluções sob medida para as necessidades atuais dos mercados emergentes em que atua.

“Já demos início ao nosso maior ciclo de investimentos, no valor de R$ 1,5 bilhão, para focar em novos produtos, novos mercados, digitalização e conectividade da nossa marca”, revela Roberto Cortes.

Caminhão VW e-Delivery

O e-Delivery desembarca na IAA apresentando duas novidades: o conjunto de trem de força e baterias desenvolvido pelo Grupo TRATON, do qual a Volkswagen Caminhões e Ônibus faz parte como uma das marcas fortes, e a nova configuração modular para veículos comerciais elétricos concebida pela Engenharia no Brasil, visando atender à maioria das plataformas Volkswagen. O modelo está em fase de testes e sua produção em série está prevista para 2020.

O novo trem de força desenvolvido pelo Grupo TRATON traz ao e-Delivery toda a sinergia de componentes e seus consequentes ganhos. O conjunto motor elétrico e inversor está presente em toda a linha elétrica do grupo, assim como os bancos de baterias, que compartilham as células de íon-lítio níquel-manganês-cobalto (NMC). Com o novo trem de força, o e-Delivery entrega até 260 kW de potência, com torque máximo de 2.150Nm mesmo em baixas rotações, e dispensa o uso de transmissão nas aplicações da família Delivery, devido a seu alto torque transmitido ao eixo trativo.

A configuração modular, com o reposicionamento do motor para o balanço traseiro, permite dividir o veículo em três módulos principais: módulo frontal (cabine e auxiliares), módulo central (baterias) e módulo traseiro (trem de força). Trata-se de um novo conceito para caminhão elétrico, visando flexibilizar sua construção e liberar mais espaço para baterias.

Isso permite criar distintos arranjos e combinar diferentes módulos para derivar deste veículo base novos modelos elétricos. Os pacotes modulares são totalmente independentes, flexibilizando de forma simples a utilização de diferentes componentes e conceitos, possibilitando as mais amplas sinergias entre as empresas do grupo e parceiros.

Com a nova configuração de baterias NMC, a autonomia máxima da nova família e-Delivery ultrapassa os 200 km, variando de acordo com a configuração do veículo para atender à aplicação do cliente. Assim como no Volksbus e-Flex, a recarga das baterias pode se dar em modo de oportunidade rápida de 30% em 15 minutos ou no de 100% em três horas, dependendo da configuração desejada.

O modelo apresentado na IAA também avança em seus sistemas inteligentes. Passa a contar com suspensões pneumáticas e traz um sistema de leitura inteligente da massa transportada pelo veículo para ajustar o consumo de energia, em conjunto com o Eco-Drive Mode.

Para maximizar a performance do e-Delivery, o freio tem três estágios de regeneração, para recuperar até 30% da energia durante a frenagem e utilizar a mesma para recarregar as baterias. O freio regenerativo atua antes do freio pneumático, para desacelerar o veículo, e todo o sistema pode ser ajustado conforme a condição de carga ou preferência do motorista.

Seu trem de força está preparado para partida em rampas de 30%, sem qualquer dificuldade, com o apoio do sistema auxiliar de partida em rampa (HSA).

Os sistemas auxiliares como compressores de ar, ar-condicionado, bomba de direção e de água ficam a cargo de motores elétricos controlados de forma independente, otimizando o consumo de energia dos mesmos. Eixos, chassis, rodas e pneus seguem as características tradicionais e toda robustez da nova linha Delivery, compartilhando componentes da plataforma para garantir a sinergia e escala de componentes também com a família diesel, visando à consequente redução de custos.

Com esta evolução da configuração, a Volkswagen Caminhões e Ônibus apresenta ao mercado um e-Delivery que, além de robusto, entrega alta performance. “Com dimensões adequadas às operações dos grandes centros urbanos e atributos de conforto, conectividade, segurança, baixo custo de operação e eficiência energética, nosso e-Delivery colabora para viabilizar o conceito de cidades eficientes e inteligentes, com o transporte de cargas racional e produtivo, estimulando fornecedores para apoiar essa mobilidade elétrica, especialmente em países emergentes”, destaca Cortes.

Volksbus e-Flex inova com arquitetura flexível de eletrificação

O Volksbus e-Flex é uma das grandes novidades da Volkswagen Caminhões e Ônibus na IAA com uma solução exclusiva de arquitetura flexível para eletrificação, cujo conceito pode ser aplicado em praticamente qualquer veículo da marca. A montadora desenvolveu o mais abrangente e inovador conceito de flexibilidade e modularidade a ser aplicado em veículos comerciais: em um único modelo é possível contemplar todas as variantes da mobilidade elétrica.

O modelo da VWCO pode rodar como veículo elétrico a bateria (BEV, na sigla em inglês); híbrido elétrico (HEV); híbrido elétrico plug-in (PHEV); e veículo elétrico com autonomia estendida (REEV). A performance se mantém independentemente da forma de alimentação das baterias.

Desenvolvidas pelo próprio Grupo TRATON, as baterias podem ser alimentadas em carregadores externos no conceito plug-in ou ainda por meio de um gerador presente no veículo, responsável por uma das grandes novidades dessa solução e por proporcionar seu aumento de autonomia.

Numa iniciativa de desenvolvimento em parceria e reforçando o potencial de cooperação entre as marcas do Grupo Volkswagen, foi concebido de forma exclusiva e pioneira entre as Engenharias da Volkswagen Caminhões e Ônibus (Resende) e da Volkswagen do Brasil (São Bernardo do Campo) um conjunto gerador propelido por um dos mais eficientes motores do mercado, o VW 1.4 TSI Flex, usado atualmente no Golf.

Essa motorização pode ser abastecida com gasolina ou etanol, sendo possível também uma versão para gás natural ou biometano (1.4 TGI). Com isso, se oferece um conjunto de alta eficiência energética, baixo nível de emissões e competitividade em custo.

O acionamento do conjunto gerador e motor é inteligente e feito de forma automática pelo sistema eletrônico do veículo assim que este detecta o nível de carga das baterias previamente programado.

Com a tecnologia e-Flex, reduz-se a necessidade de infraestrutura de recarga, o que pode acelerar e facilitar a introdução desse elétrico em cidades que ainda estão em fase inicial de implementação desse tipo de mobilidade. Essa configuração chega a permitir a eliminação de estações de recarga ou, ao menos, a utilização de forma balanceada, sem restringir a operação em algumas aplicações.

O Volksbus e-Flex, dotado desse conjunto extensor de autonomia, flexibiliza a quantidade de baterias necessárias para cada aplicação, podendo operar com uma quantidade mínima quando comparado ao veículo elétrico tradicional, mantendo ou até mesmo superando seu alcance em quilometragem, dependendo da aplicação.

Os bancos de baterias desse modelo são de íon-lítio níquel-manganês-cobalto (NMC) para entregar uma alta densidade energética e compartilham suas células com os veículos de passageiros de todo o Grupo Volkswagen. Com esta estratégia, obtém-se a máxima sinergia em escala de produção, colaborando para redução do custo das baterias, que hoje correspondem a uma parcela significativa do valor de aquisição do veículo.

O veículo pode rodar no modo puro elétrico, de acordo com a demanda da aplicação. Essa flexibilidade garante o livre trânsito também em zonas verdes, onde há a restrição de veículos que não sejam zero emissões.

“Esse modelo de eletrificação é bastante interessante, uma vez que sua flexibilidade atende às necessidades de emissões zero com um custo de investimento menor para fazer frente aos obstáculos que a indústria de elétricos enfrenta para sua implementação comercial, além de ampliar sua autonomia para qualquer imprevisibilidade na rota, sem deixar de atender às regras de zonas de restrições de circulação”, afirma Roberto Cortes.




Deixe sua opinião sobre o assunto!