Aumento do biodiesel no diesel é desaconselhado por montadoras




Medida aprovada pelo Conselho Nacional de Política Energética em novembro de 2018 prevê o aumento gradativo da mistura do biodiesel ao diesel, passando dos atuais 10% para 15% em 2023. De acordo com a medida, haverá aumento de 1% todo ano, no mês de março. A Abiove publicou nota sobre o assunto, que pode ser acessada no link: https://wp.me/p1R9wz-zRx.

Nessa semana, a Anfavea emitiu uma nota para o Ministério de Minas e Energia desaconselhando o aumento da mistura. De acordo com testes realizados pelas principais montadoras de caminhões do país, o aumento do biodiesel pode causar problemas nos veículos e aumentar a emissão de poluentes.

De acordo com a Anfavea, com o aumento, os veículos poderão apresentar danos ambientais, aumento do custo operacional para o transportador e impactos para a segurança do veículo. Principalmente para a frota em circulação, que não está adaptada para o novo teor de biodiesel.

Entre os problemas que esse aumento pode causar, estão o aumento na emissão de óxidos de nitrogênio (NOx), redução do tempo entre as trocas de óleos e filtros, entupimento de filtros e bicos injetores, aumento do consumo, desgaste de peças do motor, aumento da formação de borra no tanque de combustível, já que o biodiesel nesse teor tem baixa estabilidade à oxidação.

Os veículos também não conseguirão atender a legislação atual de emissões, estabelecida pelo Proconve.

O governo ainda não se pronunciou sobre os prazos para aumento da mistura do biodiesel.




14 comentários em “Aumento do biodiesel no diesel é desaconselhado por montadoras

  • 16/02/2019 em 14:26
    Permalink

    Isso que a reportagem mencionou sobre aumento da poluição devido à maior utilização de um combustível VEGETAL é uma completa MENTIRA, armação para desencentivar o crescimento dos biocombustíveis no nosso Brasil.
    Administrador, peço por gentileza e consideração a você: apague essa reportagem, está desmerecendo um combustível que será nosso futuro. A Scania tem um P270 movido a álcool e já possui motor que funciona com até 100% de biodiesel.
    A Case New Holand lançou um trator movido à biometano, então por quê de repente eu vejo postada aqui essa crítica destrutiva? Não precisava postar reclamação das montadoras, é só elas seguirem alguns exemplos no mercado e projetarem novos motores que usem biocombustíveis, ao invés de se queixarem.

    Resposta
    • 17/02/2019 em 03:16
      Permalink

      Rodrigo você está correto na sua opinião , pura armação.

      Resposta
  • 16/02/2019 em 14:02
    Permalink

    Aí desinformados de plantão, ao invés de criticar um biocombustível revolucionário que gera menor utilização do petróleo caro e poluente, critiquem a PETROBRAS relaxada que não adiciona um aditivo anti-aglutinação ao biodiesel.
    TODO combustível precisa de aditivos para não gerar borra em tanques, não aglutinar e mesmo congelar em regiões frias, porém cada um necessita de um aditivo específico, e o biodiesel não foge à regra.
    Brasileiro é um tipinho manhoso que só sabe reclamar mas não se dá o trabalho de exigir das empresas produtos melhores.
    E é melhor JAIR SE ACOSTUMANDO: o BIODIESEL é nosso futuro porque os meios de extração do petróleo estão cada vez mais CAROS, e isso irá aumentar cada vez mais o custo desses combustíveis fósseis, o que incentivará o uso de novos biocombustíveis.
    Vem aí, além do biodiesel, o biometano e o isobutanol, mais cedo ou mais tarde teremos grandes mudanças, para melhor.

    Resposta
    • 16/02/2019 em 14:10
      Permalink

      É claro que nossos caminhões podem apresentar problemas porque não estão adaptados à mudança, em parte o que a reportagem falou é verdade. Mas quanto ao fato de um combustível VEGETAL poluir mais que o derivado de petróleo isso é uma completa MENTIRA desse blog tendencioso. Se fosse verdade então o álcool poluiria mais que a gasolina, o que não acontece.
      O que precisa ser feito nos caminhões é um recall para atualizar os módulos eletrônicos que controlam/reconhecem o tipo de combustível, para os motores não apresentarem problemas.

      Resposta
      • 17/02/2019 em 03:26
        Permalink

        Rodrigo, eu uso biocombustível bem antes antes de ser vendido nos postos .nunca tive um problema se quer com bomba injetora e motor e o consumo mínima diferença

  • 16/02/2019 em 13:38
    Permalink

    A e tem outra coisa , alguém postou sobre o sistema adotado nos EUA, sobre pequenos produtores , mas no Brasil, os pequenos que apostaram em produzir produtos específicos para a indústria do biodiesel se ferraram, deixaram de plantar alimentos pra plantar pinhão manso e mamona , ficaram sem ter o q comer , é passaram a depender do estado , o Nordeste está cheio de áreas onde o governo desperdiçou dinheiro do contribuinte com projetos sem futuro que hoje estão totalmente abandonados.

    Resposta
  • 16/02/2019 em 13:33
    Permalink

    A verdade é que esse biodiesel é uma merda , desde que adicionaram essa mer……a ao diesel tudo que é cano entope , até o cano que leva de um tanque ao outro , sem contar a goma que fica pregada em todo sistema , ele cria uma borra no fundo tanque que nem gasolina dissolve , ele faz tão bem pro motor quanto o óleo de soja faz para o ser humano.

    Resposta
    • 16/02/2019 em 13:49
      Permalink

      O biodiesel não é nenhuma merda, o que está faltando é um aditivo anti-aglutinação. A verdade é que a Petrobras relaxada mistura biodiesel mas não acrescenta um aditivo específico pra ele. Pare de criticar um biocombustível que será cada vez mais utilizado até a substituição total do diesel do petróleo, pois o biodiesel puro emite muitíssimo menos gases tóxicos que esse diesel comum, que além de fedorento é altamente tóxico para nossos pulmões e meio ambiente. Além disso o catalisador dos motores Euro 5 necessitará trabalhar menos conforme o biodiesel for mais usado, porque como já mencionei isso vai gerar muito menos gases tóxicos e no fim das contas o Arla 32 terá seu uso diminuído por conta da menor quantidade de gases nocivos gerados pela queima do biocombustível, o que vai gerar economia para nós, que vamos gastar bem menos com Arla.

      Resposta
    • 16/02/2019 em 14:16
      Permalink

      Creio que em breve os veículos novos e seminovos terão que passar por um mega recall para que não apresentem problemas com o aumento da mistura.
      Veículos mais antigos nem sentem se for colocado até 100% de biodiesel, o problema é quando o motor está cheio de módulos eletrônicos sensíveis. Aí é necessário alteração de alguns módulos para aceitarem aumento da mistura ou até 100% do biocombustível.

      Resposta
  • 16/02/2019 em 11:42
    Permalink

    Tudo interesse de alguém, nan estae nem aí para as despesas que as transportadoras e autônomos terao.

    Resposta
  • 16/02/2019 em 11:39
    Permalink

    Aqui no Brasil esses políticos só olhando seu interesses. Se atender a alguém eles aporvaapr qualquer coisa.

    Resposta
  • 16/02/2019 em 10:36
    Permalink

    Será mesmo que ” VERDADEIRO ” , vejam esta informação : ” A percentagem que tem sido mais cogitada para a mistura no diesel de petróleo é a de 20% de biodiesel, B20. Os padrões para o biodiesel nos Estados Unidos são determinados e fixados pela norma ASTM D-6751. O Programa Americano de Biodiesel é baseado em pequenos produtores.” Porque nos E.U.A. o percentual chega a 20% e aqui há resistência para que chegue a 15 %, onde esta o MENTIRA ou o INTERESSE ???

    Resposta
  • 16/02/2019 em 10:19
    Permalink

    A 2 anos atras so trocava filtro do diesel a cada 20.000 km.
    Hoje com os aumentos do biodiesel no diesel chega no maximo a 10.000 intervalo de troca pq filtro entope tudo e caminhao nao tem aceleracao mesmo vazio…
    Ja ocorreu de eu trocar com 2000km pq trancou filtro e nao ocorreu so comigo.
    E querem aumentar mais ainda o biodiesel. Uma vergonha mesmo so no brasil mesmo. Nos vendem diesel batizado e ainda cobram o preço “de mercado internacional” só que nos outros paises vendem diesel puro nao essa porcaria.

    Resposta
    • 16/02/2019 em 14:35
      Permalink

      Porcaria é sua falta de informação sobre o uso CORRETO do biodiesel.
      Ele entope e forma borra por culpa da PETROBRAS relaxada não adicionar um aditivo específico pra ele, que não deixa ele se aglutinar. Isso já ocorre em países frios onde se o aditivo não é adicionado o diesel vira uma “gelatina” por causa das baixíssimas temperaturas.
      E aí, que tal começarmos a COBRAR da Petrobras que coloque esse novo aditivo?

      Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!