Conheça o Actros Lowrider




Mais de 6 mil horas de trabalho foram necessárias para converter um Mercedes-Benz Actros 2663 em um estiloso caminhão Lowrider. A máquina pertence à empresa Kuljetus Auvinen e é dirigido por Arto Simola, nas sinuosas estradas da Finlândia. O caminhão reboca um bitrem silo, também personalizado, que atua no transporte de cimento.

A empresa Kuljetus Auvinen foi fundada em 1953 em Helsink, e se especializou no transporte de cimento em silos. A empresa ficou muito conhecida em 2014, quando outro caminhão da frota, o Actros Highway Hero, foi apresentado como uma das atrações principais do Salão de Veículos Comerciais IAA, em Hannover.

Highway Hero

O caminhão Lowrider, assim como seu irmão verde, foi personalizado de cima a baixo, em todos os aspectos. Cores, acessórios, interior e tudo mais que pode ser personalizado foi transformado.

Em geral o pesado é usado em rotas curtas, em viagens que duram cerca de uma hora na estrada. O caminhoneiro Arto conta entusiasmado que por onde passa as pessoas pegam os celulares para registrarem o caminhão. Ao final das viagens, ele sempre volta para casa, e quase nunca precisa dormir fora.

O caminhão recebeu a cor violeta em quase tudo, com vários desenhos especiais, além de diversos acessórios estéticos, pneus com faixas brancas e calotas nas rodas, imitando muito bem o estilo dos carros lowriders dos Estados Unidos.

Como nos estilosos carros norte americanos, a suspensão do caminhão também é ajustável, e pode ser erguida ou abaixada em até dez centímetros.

“O que foi particularmente importante para nós durante o trabalho de personalização do caminhão não foi apenas a aparência absolutamente única do caminhão, mas também que ele permaneceu prático em todas as situações cotidianas – mesmo que não pareça à primeira vista”, explica Arto.

O caminhão é tão diferenciado que já recebeu alguns prêmios, assim como os outros caminhões personalizados da transportadora. Recentemente, o “Lowrider” foi eleito “Best in Show” pelo público no Power Truck Show internacional em Alahärmä, na Finlândia.

Todos o trabalho de conversão do caminhão levou cerca de um ano, e no início a empresa não tinha uma ideia definida de como o veículo deveria ficar. Além de comprar o caminhão e os implementos, a empresa gastou mais de 450 mil Euros para completar a personalização.

De acordo com Arto Simola, a maior diferença entre homens e meninos é o preço dos brinquedos. Para ele, o que mais vale é o privilégio de poder dirigir um dos caminhões mais extraordinários do mundo.