Pisos mínimos de frete: ANTT realizou 5 sessões presenciais




A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), para garantir o debate a transparência pública, realizou cinco sessões presenciais em todo o país da Audiência Pública nº 002/2019, que visa estabelecer as regras gerais, a metodologia e os indicadores dos pisos mínimos, referentes ao quilômetro rodado na realização de fretes, por eixo carregado, instituído pela Política Nacional de Pisos Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas.

As sessões presenciais tiveram o objetivo de colher as manifestações do setor, caminhoneiros, transportadores, agentes do setor de logística de transportes e demais públicos, sobre a metodologia proposta para se calcular a tabela.

Os interessados em dar sugestões/contribuições também podem fazê-lo por meio eletrônico, no site da ANTT, até as 18h de hoje (24 de maio de 2019), no horário de Brasília.

Balanço

Foram realizadas cinco sessões presenciais, com um total de 841 participantes, 223 contribuições orais e 25 contribuições escritas.

Belém – PA: Hotel Sagres

  • Data: 08 de maio de 2019
  • Público presente: 39
  • Contribuições orais: 17
  • Contribuições escritas: 6

Recife – PE: Onda Mar Hotel

  • Data: 10 de maio de 2019
  • Público presente: 81
  • Contribuições orais: 29
  • Contribuições escritas: 4

São Paulo – SP: Hotel Nikkey Palace

  • Data: 14 de maio de 2019
  • Público presente: 277
  • Contribuições orais: 52
  • Contribuições escritas: 6

Porto Alegre – RS: Hotel São Rafael

  • Data: 16 de maio de 2019
  • Público presente: 187
  • Contribuições orais: 45
  • Contribuições escritas: 4

Brasília – DF

  • Data: 23 de maio de 2019
  • Público presente: 257
  • Contribuições orais: 80
  • Contribuições escritas: 05




9 comentários em “Pisos mínimos de frete: ANTT realizou 5 sessões presenciais

  • 26/05/2019 em 16:22
    Permalink

    Em todas as reuniões já feitas, só ficou em conversa, nada de concreto como é de costume, nada se cumpre das leis estabelecidas, é um descaso com a categoria, fica aqui o meu desabafo, estou a 48 anos no transporte e nunca vi interesse de nenhum politico em cumprir o prometido.

    franciscobotelhomendes@gmail.com

  • 26/05/2019 em 11:31
    Permalink

    Bom dia hoje teve pessoas falando o que sabe todas as propostas escritas estou de acordo ,mais por que só nos caminhoneiros temos essas respostas . A sim estás pessoas que estão estudando essa tabela não são caminheiros vai fazer mais uns aniversários e não vai sair nada de tabela e o famoso P I C R em outras palavras pessoas incompetentes em cargos de responsabilidades

  • 26/05/2019 em 10:27
    Permalink

    Um ator que estão esquecendo de mencionar, responsavel por 45% dos custos no transporte, é a Petrobrás; monopólio, ineficiente e o resto a lava jato pode falar. Depois alguns veem falar em livre mercado.

    • 26/05/2019 em 10:42
      Permalink

      Se tivéssemos um mercado com concorrência perfeita, inclusive em relação a fornecedores de insumos, deixar que o mercado se ajuste naturalmente, seria o mais lógico, porém isto não é verdade no Brasil.

  • 26/05/2019 em 07:44
    Permalink

    Concordo com o amigo aqui as empresas já pagam bem mais que o preço mínimo da tabela só que esses valores não chega até nós porque tem os atravessadores que dizem serem transportadoras mas muitas delas não tem nem um caminhão.

  • 25/05/2019 em 20:09
    Permalink

    Que resolver isto só acaba com os atravessando as pressas já paga mais do preço mínimo mais os valores não chega o motorista

  • 25/05/2019 em 19:40
    Permalink

    Para mim eu só quero que o piso mínimo funcione onde quer que eu vá, se diminuir trabalho não tem problema, mais eu sei que quando eu carregar estou ganhando um preço no mínimo mesmo justo.

  • 25/05/2019 em 19:16
    Permalink

    Isso e uma verdadeira palhaçada esse órgão ANTT foi pra dar cargo de confiança para quem não sabe oque e transportes

  • 25/05/2019 em 14:41
    Permalink

    Teste apenas para saber se esta ok

Fechado para comentários.