Ministério da Infraestrutura lança programa de desburocratização para o setor de transportes

Com o objetivo de aumentar a competitividade do setor de transportes do país, o Ministério da Infraestrutura lançou, nesta quarta-feira (3), o Programa de Desburocratização Infra +, que consiste em ouvir as entidades representativas do setor de transportes e trânsito, e de seus usuários, coletando propostas de desburocratização que proporcionem a simplificação de normas e processos, com consequente redução de custos e aumento de produtividade.

No evento, que aconteceu em Brasília (DF) e teve transmissão por videoconferência, o Programa foi apresentado às entidades convidadas, que puderam ainda assistir a palestras da Presidência da República, do Ministério da Economia, da Enap e de empresas de consultorias convidadas, que versaram sobre a desburocratização no contexto da inovação no setor público e da geração de valor ao cidadão e ao setor produtivo. Ao final, os participantes se manifestaram e tiraram dúvidas a respeito da iniciativa.

“A ideia é tirar o peso de quem produz, de quem investe neste país. A gente precisa simplificar para que eles possam produzir mais e gerar mais empregos. E com a parceria entre o governo e a iniciativa privada, tenho certeza que vamos construir uma infraestrutura melhor e fazer esse país crescer ainda mais”, avaliou a secretária Executiva Adjunta da Infraestrutura, Viviane Esse.

Durante o encontro, os participantes puderam expor e debater os principais entraves provocados pelas normas e burocracias. Entre eles, estavam entidades que representam empresas que atuam nos diversos modos de transporte, no setor de trânsito, de importadoras e fabricantes de veículos, da indústria química, do transporte de passageiros, de produtores agrícolas, de transporte de cargas, além das Confederações Nacionais de Transportes e da Agricultura e Pecuária (CNT e CNA).

LEIA MAIS  TP Transportes tem novas vagas para motoristas carreteiros

De acordo com Fernando Coelho, Subsecretário de Gestão Estratégica e Inovação do MInfra, foi aberto um formulário eletrônico para coletar as contribuições, que serão avaliadas pela equipe técnica do Ministério. “Vamos ouvir o setor e seus usuários de forma estruturada, visando priorizar e acelerar as soluções de maior valor para a sociedade”, afirmou.

LEIA MAIS  Empresa Viamão renova frota com 28 novos ônibus NEOBUS

Entidades representativas do setor e de seus usuários que não participaram do evento poderão solicitar a participação enviando dados de contato para o email desburocratizar@infraestrutura.gov.br. A coleta de propostas ficará aberta até 02 de agosto de 2019.

SIMPLIFIQUE

Hoje já existe um canal online do Governo Federal para que os brasileiros proponham melhorias e formas de desburocratizar serviços públicos. O Simplifique!, lançado em 2018, permite que os cidadãos sugiram melhorias, identifiquem falhas e questionem a exigência de documentos e procedimentos requeridos pelas repartições. “O Simplifique foi usado como uma inspiração e continuará funcionando para demandas pontuais, mas estamos abrindo uma oportunidade mais estruturada para o nosso setor, visando compor um programa de ações.”, explicou Coelho.




5 comentários em “Ministério da Infraestrutura lança programa de desburocratização para o setor de transportes

  • 10/07/2019 em 17:54
    Permalink

    AQUI NA REGIAO DE MATO GROSSO NAO HA FISCALIZACAO DO FRETE MINIMO POR PARTE DA ANTT .

  • 08/07/2019 em 20:42
    Permalink

    Se fala muito mas não se faz nada no Paraná era pra abaixarem os pedágios só numa rodovia abaixou mas já subiu denovo cansado de promessa ficou bom pras trasmportadoras grandes como sempre comprarão milhares de caminhões enguanto eu tô tentando um financiamento pra trocar meu velhinho por um pouco mais novo não zero não consigo pois não devo nada mas falao que meu escori e baixo enguanto eu vejo transportadoras comprando 100 200 500 600 unidades cansado de ver só cavalinhos zero passando nas estradas enguanto eu que vivo ha33 anos de motorista não consigo porque esse governo não olha pra nós que temos um só caminhão fazendo um plano pra conseguirmos financiar quem menos tem mais paga quem mais tem paga menos injustissa

  • 08/07/2019 em 14:20
    Permalink

    Na verdade essas alterações e mudanças dificilmente chegam ao nosso conhecimento! Somos surrupiados todos os dias com um monte de exigências desses que vivem as nossas custas.
    Só para um exemplo; Como pode ao comprar um caminhão zero km e ter de passar por essas empresas de certificação do INMETRO para certificar o tacógrafo? será que essas “empresas” são melhores capacitadas que as montadoras de caminhões? e porque temos de refazer a certificação a cada 2 anos? E quando vamos fazer a certificação ainda somos explorados para a tal de troca das engrenagens do equipamento e se não fizer estamos sujeitos a uma nova inspeção e pagamento se algo acontecer.
    Foi extinto a exigência do adesivo da ANTT, mas ainda temos de refazer o cadastro a cada 5 anos. Isso só benéfica
    os “sindicatos” que nos cobram absurdo para o recadastramento.
    Na verdade ainda tem de tirar um monte de coisas que servem para nos tirar a tranquilidade de trabalhar honestamente.
    No caso do tacógrafo, em muitos postos da PRF e caminhão tem de ser rebocado para ser levado a uma empresa de certificação para renovar a e calibrar o tacógrafo, pergunto: porque não se pode reter o documento ou dar um prazo para a renovação e liberar o coitado do caminhoneiro para procurar uma empresa que em muitos casos ficam a quilômetros de distancia do ponto ao que foi pego pelo autoridade?
    Quando há uma tentativa de burla a LEI como a instalação de molas e calços no feixe de molas para alterar a altura do caminhão, sou favorável a apreensão e até que seja removido a alteração, também com os famigerados faróis adaptados contra a LEI e que penso não se faz nada para coibir esse abuso que provoca acidentes com a ofuscação da visão de quem transita em sentido oposto!
    Nunca vi nenhum caminhão ou veiculo quaisquer ser multado e solicitado a correção do farol para o que determina a LEI, mas vejo constantemente sermos multados por esquecer de acender os fários durante o dia, ai dá para ver que algo está errado!
    Ontem em retorno do MS durante a noite passei por incontáveis caminhões com uns faróis ou neão sei como cham que tem as luzes tão claras que inibe totalmente a visão em quem transita em sentido contrário e com chuva nem se fala, causa até saídas de pistas. Mas pergunto: Onde estão as autoridades? Será que somente eu consigo ver esses abusos?
    Faróis fora do padrão legal deveria ser visto com mais ênfases do que vem os faróis durante o dia, pois esses provocam acidentes diariamente, mas nada se faz!

  • 08/07/2019 em 13:35
    Permalink

    BOA TARDE …ESTA TENDO MUITO CACIQUE E POUCO INDIO , NA BATALHA DO TRANSPORTE!!!!!!!!MUITA CONVERSA AFIADA E POUCA AÇÃO…..EXTINGUIRAM OS ADESIVOS DO RNTRC , MAS OS SINDICATOS CONTINUAM COBRANDO O MESMO , PEDAGIOS NINGUEM RESPEITA , FRETE MENOS AINDA , O QUE ESTE PESSOAL TA QUERENDO , APARECER????????????PRECISA DE AÇÃO , ALGUEM QUE FAÇA AS COISAS ACONTECER NO TRANSPORTE/////////CADA UM FAZ UMA LEI …. DNIT , ANTT , DETRANS , ETC…..O CAMINHONEIRO SÓ PAGA A CONTA , PRA SUSTENTAR UM BANDO DE VAGABUNDO QUE SE DIZ PARTE DE GENTE INTERESSADA NO TRANSPORTE….. REALMENTE TEM MUITA GENTE INTERESSADOS NO SETOR DOS TRANSPORTES!!!!!!

Fechado para comentários.