Governo assina contrato de concessão da BR-364/365/GO/MG

por Blog do Caminhoneiro

O Ministério da Infraestrutura assinou, nesta quinta-feira (19), o contrato de concessão da BR-364/365/GO/MG. O leilão da rodovia, realizado em setembro, foi o primeiro do setor rodoviário do governo Jair Bolsonaro. A rodovia foi arrematada pela EcoRodovias Concessões e Serviços S.A. Em janeiro, o grupo inicia efetivamente a operação do trecho entre os municípios de Jataí (GO) e Uberlândia (MG), por um período de 30 anos. O valor da Tarifa Básica de Pedágio vencedora foi de R$ 4,69, um deságio de 33,14% em relação ao da tarifa-teto, de R$ 7,02.

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, comemorou a assinatura do contrato. “O programa de concessões está em pleno curso. Estamos cumprindo o cronograma e fazendo tudo conforme o planejado. Só no ano que vem, vamos conceder 44 ativos de infraestrutura. Desse total, teremos a concessão de sete rodovias”, disse.

O grupo EcoRodovias vai operar um trecho de 437 km e terá que investir na rodovia R$ 4,59 bilhões, sendo R$ 2,06 bilhões referentes a investimentos em melhorias e intervenções previstas no Programa de Exploração da Rodovia (PER). Outros R$ 2,53 bilhões serão de custos operacionais.

Entre as principais obras previstas estão a duplicação de 44,2 km, a construção de 134,3 km de terceira faixa, a implantação de 87,8 km de acostamentos e 19,4 km de vias marginais. A empresa vencedora também será responsável pela construção de dois viadutos, passagens inferiores, rotatórias, passarelas e melhoria dos acessos, além de recuperação e implantação dos sistemas elétricos relacionados.

Próximos leilões

A carteira de leilões rodoviários para 2020 é extensa. No total, sete rodovias serão concedidas à iniciativa privada. São elas: BR-101/SC; BR-381/262/MG/ES; BR-163/230/MT/PA; BR-153/080/414/GO/TO; BR-116/101/465/RJ/SP; BR-116/493/RJ e BR-040/495/RJ/MG. O valor total de investimentos nessas concessões será de R$ 42,6 bilhões.

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-3532-4235

Artigos relacionados

2 comentários

Gato Preto 14/05/2020 - 19:12

Daqui pra frente nós caminhoneiros não somos mais donos do nosso serviço, as cias concessionarias serão nossas “sócias” com porcentagem de mais de 60% do nosso frete!
Quem defende essa merda de pedágio onde pagamos caro para transitar nas rodovias de péssimas qualidades e que foram construídas com dinheiro dos nosso impostos e entregue a iniciativa privada para nos surrupiar o lucro, são empresários de olhos no nosso suado trabalho!
Sou motorista desde o ano de 1978, naquele período as estradas eram muito boas para o trefego existente e foi deteriorando aos poucos principalmente no dois governo de FFHHCC com o intuito da falacia que o governo não tem de administrar estradas! Ora bolas; pagamos o IPVA que antes era todo investido em conservação e construção de estradas e hoje esse dinheirão todo vai para o caixa único do governo que gasta como desejar e deixa as estradas em péssimas condições! Se tem de pagar pedágio, o coreto seria não cobrar IPVA!
A cada dia me sinto mais extorquido pelo “estado” e políticos que nada fazem à não ser viver as nossas custas! Eita paíszinho difícil!
O povo tem o “goverme” que merece!!!!
Transite pelas BRs-040, 381, 262 e, muitas outras e verão que qualidade de piso nos é fornecido!

Reply
Ezequiel Neto 26/02/2020 - 13:47

Não há País desenvolvido e civilizado no mundo onde rodovias estejam nas mãos do governo e os cidadãos pagam regularmente os pedágios. O governo brasileiro deve realmente privatizar 100% da malha rodoviária federal e os governos estaduais que façam a mesma coisa. O Poder Público não existe para administrar nem cuidar de estradas e deve passar essa tarefa para a iniciativa privada cobrando das empresas as obrigações contratuais correspondentes. Quem não quiser pagar pedágio que deixe o carro ou o caminhão em casa e mude de profissão.

Reply

Escreva um comentário