Terceirização de frotas no agronegócio auxilia na liberação de fluxo de caixa de empresas

por Blog do Caminhoneiro

Seja para cultivo, plantação, colheita ou transporte, a terceirização de máquinas e equipamentos agrícolas tem entre suas principais vantagens a redução do uso de limites de crédito pelas empresas e produtores do setor. Isso porque o recurso que seria destinado à compra desses veículos, pode ser investido em questões operacionais, como manutenção da folha de pagamento ou inovações no negócio, por exemplo.

A modalidade, já consolidada no mercado internacional, também proporciona redução da necessidade de capital de giro e aumento do índice de liquidez do empreendimento. Isso porque, a locatária passa a substituir imobilização de capital por custo de locação. Conforme destaca Marluz Renato Cariani, Head comercial de locação de Pesados da Ouro Verde, “a opção pela terceirização de máquinas e equipamentos agrícolas pode representar uma economia entre 10% a 20% para negócios do setor”, explica.

Tudo depende do tipo de maquinário, quantidade de veículos locados e também do modo de operação. De acordo com Cariani, os fatores que possibilitam essa economia de até 20% para as empresas do setor são: o custo e a remuneração do Capital, os incentivos fiscais proporcionados pela prática, o valor de aquisição do equipamento, o valor e o período para a venda do ativo no final do contrato (valor residual) e os custos com gestão e manutenção dos equipamentos.

Gestão profissional

Além da terceirização, é possível contratar a gestão profissional da frota, o que pode incluir desde o processo de seleção e contratação dos motoristas até a realização de manutenção preventiva, controles de gastos e rastreamento veicular. “Quem aluga um equipamento conta com suporte técnico 24 horas, o que facilita a logística e a troca do maquinário em caso de falhas” destaca.

Tendo em vista que as frotas envolvidas no agronegócio são impactadas por diversos fatores, preço do combustível, qualidade dos terrenos e estradas, que podem danificar os veículos e aumentar os custos de produção, a gestão profissional se torna ainda mais importante.

Além disso, pelo serviço de gestão, é possível realizar o cruzamento de informações importantes, como a telemetria, que permite o monitoramento completo do ativo e identifica desvios de dirigibilidade, e o cartão combustível, que monitora e controla os abastecimentos. “Assim, é possível fazer um diagnóstico do comportamento dos condutores, muito focado na parte da segurança e, consequentemente, traduzindo em uma redução ainda maior dos gastos”, explica Cariani.

Frota mista

Algumas empresas ligadas ao agronegócio possuem a necessidade de uso de frota mista, ou seja, tanto veículos leves como pesados. Com foco neste mercado, a Ouro Verde disponibiliza para locação tanto equipamentos específicos para transporte de carga frigorificada, plantio de grãos, colheita de cana, entre outros, quanto automóveis comuns para uso diário, como atividades administrativas e comerciais.

Para empresas que já possuem uma frota própria e desejam migrar para o modelo terceirizado, a Ouro Verde conta com um suporte que consiste em comprar os veículos do cliente. “Um dos grandes problemas de quem já tem os ativos é conseguir vendê-los. Assim, com esse serviço, o empreendedor pode receber o valor dos carros à vista ou abater nas mensalidades da frota que decidir adotar”, explica.

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-3532-4235

Artigos relacionados

Escreva um comentário