A busca por cortar o vento perfeitamente

por Blog do Caminhoneiro

Boa parte do combustível gasto por um caminhão é usado apenas para conseguir vencer a resistência do ar. Quanto mais rápido se dirige, mais o ar influencia no consumo de combustível. Por isso, as montadoras investem pesado em desenvolvimento de caminhões cada vez mais aerodinâmicos.

Esse avanço na aerodinâmica, além de permitir que o caminhão avance com mais facilidade contra o vento, pode reduzir significativamente o consumo de combustível. Mas, além das montadoras de caminhões, as fabricantes de implementos também tem investido em soluções para deixar as carretas mais eficientes aerodinamicamente.

De acordo com a Librelato, por serem fabricados por empresas diferentes, o cavalo-mecânico e o implemento podem ter ainda mais resistência aerodinâmica.

Segundo informações do INEE (Instituto Nacional de Eficiência Energética), não havendo um casamento aerodinâmico, o vão entre as unidades faz crescer a resistência do ar, exigindo mais força do veículo e, consequentemente, maior consumo de combustível. Estimativas do INEE indicam que em velocidades superiores a 80 km/h, aproximadamente, 70% da potência do motor do caminhão é utilizada apenas para romper a força do arrasto. Levamos muito em consideração esses dados.

Nesse quesito, a linha de Basculantes Premium da Librelato se destaca. Esses implementos não apresentam os perfis de aço nas laterais, conhecidas como costelas. O implemento da Librelato tem somente dois perfis no final da carroceria, com mais de 80% da área externa lisa.

De acordo com a Librelato, em um teste com um clientes na região Nordeste, que usou um implemento Librelato Basculante Premium e um implemento similar da concorrência, em um ano, o consumo de combustível foi R$ 5 mil menor no Basculante Premium.

Além da linha basculante, a Librelato também tem investido para desenvolver outros implementos cada vez mais aerodinâmicos. É o caso do Sider Grid, desenvolvido com a dianteira voltada para cortar o vento.

Todos os anos, 3% da receita líquida da empresa é usada em tecnologia e pesquisa, para desenvolver implementos cada vez melhores.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

COMENTAR

Artigos relacionados