Ponte entre Piauí e Maranhão elimina travessia de balsa e reduz custo para o transporte

por Blog do Caminhoneiro

O Governo Federal inaugurou mais uma ponte, desta vez na divisa entre Piauí e Maranhão, sobre o Rio Parnaíba, favorecendo o transporte de cargas pelas rodovias da região.

A nova ponte fica entre Santa Filomena (PI) e Alto Parnaíba (MA), na BR-235, e elimina a travessia de balsa, que chegava a custar R$ 300 para o caminhoneiro. A ponte foi liberada para o tráfego ontem, quinta-feira, em cerimônia que contou com a presença do Presidente Jair Bolsonaro.

De acordo com o Presidente, essa é mais uma obra muito esperada pela população, e destaca a eficiência do trabalho que o Ministério da Infraestrutura tem feito no país.

“Não tem radicalismo, nós temos é uma determinação, vamos fazer tudo o que for possível para o nosso Brasil”, disse Bolsonaro.

A ponte, de 185 metros de comprimento e 16 metros de largura, foi construída entre 2019 e 2021, com investimento de R$ 30 milhões.

“O que o Brasil tem, ninguém tem, não justifica nós aqui sermos um povo pobre em terra rica. Vamos aos poucos, que a velocidade não pode ser muito grande também, mudando o Brasil. Nós só mudamos o Brasil se vocês tiverem o entendimento de que estamos fazendo a coisa certa”, completou o Presidente.

Integração

A nova ponte ainda possibilitará a integração à ferrovia Norte-Sul, projetada para ser a espinha dorsal do sistema ferroviário nacional, interligando as cinco regiões do país. De acordo com o Ministério da Infraestrutura, como retorno é esperado uma economia de 8% no valor do frete para o transporte de grãos até o Porto do Itaqui, no Maranhão.

Benefícios

“A ponte vai facilitar no escoamento da produção, ela vai dar mais agilidade, porque a produção das lavouras do Piauí, elas vão para o Maranhão. E tínhamos um entrave, que o sistema de balsas, ele era muito lento e insuficiente para atender à demanda, até porque os produtos agrícolas, eles são perecíveis e exigem uma retirada rápida. Então, gerava filas no pontão, chegando a quatro, oito, 24 horas, dependendo das condições climáticas. Se tivesse chovendo muito, chegava até a trancar”, contou o técnico agrícola e produtor rural do Piauí, Roberto Zanotto.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Deixe um comentário!