Transporte de cargas por ferrovias cresce 30% em março

por Blog do Caminhoneiro

Segundo modal de transporte de cargas mais usado no Brasil, as ferrovias vem tomando cada vez mais seu lugar de importância. Em março, o transporte ferroviário de cargas cresce 30,1%, na medida de tonelada por quilômetro útil, na comparação com março de 2020. Foram registrados aumentos nas cargas transportadas em todas as concessões ferroviárias do Brasil.

As informações foram disponibilizadas à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) pelas concessionárias ferroviárias, por meio do Sistema de Acompanhamento e Fiscalização do Transporte Ferroviário (SAFF), e constam também em balanço do setor produzido pela Associação Nacional dos Transportes Ferroviários (ANTF), que representa as concessionárias ferroviárias brasileiras, com exceção da Ferroeste.

Em volume, o transporte ferroviário cresceu 15% neste ano, e, entre as cargas transportadas, os maiores crescimentos foram de granéis agrícolas (+53%), combustíveis (+ 42%) e granéis minerais (+ 24,6%).

Concessões

No setor de minério de ferro, contribuíram de forma significativa para a alta do mês de março as concessões da Vale na Estrada de Ferro Carajás (EFC) e da MRS Logística. Já o bom desempenho do setor de granéis agrícolas se deve em grande parte às concessões da Ferrovia Centro Atlântica (FCA), Rumo Malha Norte (RMN), Rumo Malha Paulista (RMP) e Rumo Malha Sul (RMS), bem como à subconcessão da Ferrovia Norte Sul (FNS) no Tramo Norte.

Além disso, a ANTT ressalta já ter havido transporte na Rumo Malha Central (RMC), licitada em julho de 2019 e cujo início das operações estava previsto apenas para julho de 2021. O empreendimento, contudo, entrou em atividades em março, antecipando em quatro meses o começo de seu uso para escoamento da produção. Conforme balanço da Associação Nacional de Transportes Ferroviários (ANTF), já no primeiro mês de trabalhos, a RMC alcançou 224.251.896 TKU.

Safra nos trilhos

As ferrovias brasileiras se tornaram importantes aliadas dos produtores de commodities, contribuindo para o escoamento desse tipo de produto, oferecendo menor custo logístico, principalmente em longas distâncias.

Segundo a ANTF, na comparação com fevereiro, o volume de carga geral transportado pelas ferrovias registrou crescimento de 29%. Em relação à medição da TKU, a alta é de 11,82%. Conforme a associação, pesa para esses índices o fato de o país ter entrado, em março, no pico da safra agrícola – o que demonstra a força do transporte ferroviário no escoamento da produção agrícola em todo o Brasil.

“Temos uma revolução ferroviária em curso. O governo tem investido para melhorar a infraestrutura logística ao agronegócio e vivenciaremos um ‘boom’ ferroviário no país, que vai ajudar a agilizar e baratear o escoamento da produção das diversas cadeias do setor”, disse o Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

2 comentários

GEDIVALDO MACIELDE SOUZA 14/05/2021 - 08:30

Qual é o caminho, para quem quer ser um profissional ferroviário (maquinista ou áreas operacionais);?alguém sabe responder ,se no Brasil existe algum curso ou empresa que dê essa oportunidade?

Reply
Charles Alexandre Pereira 13/05/2021 - 08:02

E quanto mais ferrovias, mais caminhões..EUA e Europa é lotado de ferrovias, e lá não falta trabalho para motoristas..E aí, ainda acham que trens tiram trabalho dos caminhoneiros?

Reply

Deixe um comentário!