Falta de componentes ainda dificulta aceleração da produção de veículos

por Blog do Caminhoneiro

Dados disponibilizados pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) mostram que a falta de componentes, principalmente semicondutores, ainda afetam a produção de veículos no Brasil.

“Esse problema, que deve se alongar até os primeiros meses de 2022, é o responsável pelas paralisações temporárias de parte de nossas fábricas, algumas por períodos curtos, outras mais longos”, explica o Presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes.

Em maio, foram produzidos 13.908 caminhões, número pouco acima dos 13.093 de abril, registrando crescimento de 6,2%. No ano, foram registradas 60.083 unidades produzidas.

No comparativo com maio de 2020, quando saíram das linhas de montagem 4.054 unidades, a produção cresceu 243,1%. Já no comparativo do acumulado de produção deste ano, com os cinco primeiro meses de 2020, a produção cresceu 106%.

Cadeia nacional de produção de componentes

Luiz Carlos Moraes destaca que a produção dos semicondutores, que tem impactado diretamente as montadoras de todo o mundo, é quase toda concentrada na Ásia. Para ele, isso revela um desafio que o Brasil precisa enfrentar como uma nação com visão de futuro.

“Estados Unidos e países da Europa captaram o sinal de alerta e já estão desenvolvendo políticas industriais no sentido de produzir localmente esses componentes eletrônicos, que são a base de toda a revolução tecnológica do 5G, internet das coisas, automação e outras já em curso”, afirma o Presidente da Anfavea.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

COMENTAR

Artigos relacionados