Série 3 da Scania chegou em 1991 revolucionando o segmento de transportes

por Blog do Caminhoneiro

Mais tecnologia, design arrojado, potência e conforto para o motorista. Foram com esses atributos que os caminhões da Série 3 da Scania chegaram ao Brasil. A linha era composta pelos modelos 113 e 143, com motores de 11 e 14 litros, e potências de 320 a 450 cavalos, em versões T, o bicudo, e R, cara-chata, além das especificações “H”, 4×2, “E”, o 6×4, e o “HK”, o traçado 6×6.

Esses novos caminhões, que ainda arrancam suspiros dos caminhoneiros, chegaram ao mercado com mais potência e maior torque, ao mesmo tempo em que reduziam as emissões e o consumo de combustível, na comparação com a Série 2.

Os caminhões podiam receber novas cores, branco, vermelho, verde e vinho, com novas faixas decorativas, e logo caíram no gosto dos transportadores de todo o país.

Já naquela época, a Scania se preocupava com o meio ambiente, tanto que entre 1992 e 1993, o slogan dos novos veículos era “Tecnologia na medida certa”, ou então “Tecnologia a favor do meio ambiente”, apresentando evoluções nos motores para caminhões e ônibus, propiciando ainda menos consumo e redução nas emissões.

Foi em 1992, que os caminhões R 113, de cara-chata, começaram a chegar aos canaviais brasileiros, para rebocar os famosos treminhões. Esses modelos se popularizaram muito ao longo dos anos, graças ao aumento da carga transportada, maior facilidade de manobras e por manter o mesmo padrão de conforto para o motorista.

100 mil vezes Scania

Também foi, em 1993, um modelo cara-chata que saiu da linha de montagem da empresa, em são Bernardo do Campo, como o caminhão número 100 mil produzido pela Scania no Brasil. Ele é um Scania R 113 H 360, pintado de azul, e especialmente adesivado para celebrar o marco.

Por sorteio, o modelo foi entregue à empresa Gengo Transportes e Equipamentos, de Osasco-SP.

Atualmente, esse caminhão pertence à empresa Hoeto Sucatas, e está sendo restaurado no rio Grande do Sul, pela concessionária Brasdiesel.

Os mais bonitos

Foi no final de 1993 que chegaram os modelos da série 3 mais famosos de todos. Equipados com as mais avançadas tecnologias, os caminhões chegaram ao país com a famosa cor azul e as faixas de três cores, rosa, lilás e roxa, que chegaram a estampar a série especial da Scania, de 60 anos, apresentada em 2017 para os modelos R 440 e R 480.

Além das novas cores, os caminhões passaram a contar com a nova cabine Topline, 22,5 cm mais alta que o modelo convencional.

P93

No final de 1995, chegava ao mercado mais uma opção para os transportadores, o modelo P 93, com capacidade para até 33 toneladas de PBT. O modelo é equipado com motor de 9 litros, com caixa de câmbio de 8 marchas, com 252 cavalos de potência. Entre 1995 e 1998, foram produzidas 685 unidades do modelo.

Recorde de vendas

A produção da série 3 da Scania chegou ao fim em 1998, com 36.340 unidades vendidas. Somente do modelo 113, em ambas as versões de cabine, foram produzidas 26.731 unidades.

Esse recorde de vendas de um modelo exclusivo da Scania só foi quebrado em 2017, pelo modelo R 440, que, em outubro daquele ano, registrou 26.921 unidades vendidas desde 2012, quando foi lançado.

Mais fotos

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

COMENTAR

Artigos relacionados

Deixe um comentário sobre o tema!