Tatra apresenta os modelo Phoenix que serão produzidos no Brasil

por Blog do Caminhoneiro

O Governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior, recebeu, em Curitiba, representantes da Tatra Brasil, que apresentaram os modelos escolhidos para serem produzidos no Brasil. De acordo com a empresa, os caminhões Phoenix 6×6, em versões com motores Euro 5 e Euro 6, começarão a ser produzidos a partir de setembro, na fábrica que está sendo construída na cidade de Ponta Grossa, no Paraná.

Dois caminhões foram apresentado ao governador e ao vice-governador Darci Piana pelo presidente da empresa, Rui Lemes. A embaixadora da República Tcheca no Brasil, Sandra Lang Linkensederová, também acompanhou a demonstração.

Essa será a primeira fábrica da Tatra fora da República Tcheca. A empresa foi beneficiada por um programa do governo estadual, com incentivos fiscais, e está investindo R$ 102,7 milhões na nova fábrica, com previsão de contratar 300 profissionais até 2026.

Os dois caminhões apresentados ao governador foram importados pela empresa da Europa, e serão usados para testes e demonstrações no Brasil.

São veículos de grande porte que vão atender os mercados brasileiro e internacional. É mais um grande investimento do setor automotivo no Estado, que conta com importantes multinacionais como a Caterpillar, New Holland, Volvo, DAF, Renault e Volkswagen”, disse o governador do Paraná.

Fábrica na Paraná

Além dos incentivos fiscais, a implantação da Tatra em Ponta Grossa se deve à proximidade com a fábrica da DAF Caminhões, que compartilham com os Tatra uma série de componentes, como as cabines, que são do modelo CF.

O acordo para a implantação da fábrica foi formalizado em setembro de 2020, após cerca de três anos de negociações.

“Foi um trabalho que exigiu muita diplomacia e contou com a intermediação da Embaixada, porque é a primeira fábrica dessa empresa centenária, uma das principais fabricantes de caminhões do mundo, fora da República Tcheca. É uma conquista que demonstra a capacidade do Paraná como um estado competitivo e com mão de obra capacitada”, destacou o governador.

O trabalho do ex-cônsul honorário da República Tcheca, o atual vice-governador do estado, Darci Piana, também foi fundamental para a implantação da empresa no Paraná.

“O Estado foi sempre muito solícito durante o processo e atendeu as expectativas da companhia, que entendeu a importância de expandir sua produção para além da Europa”, disse. “O Paraná e a cidade de Ponta Grossa são beneficiados com a geração de empregos e investimentos essenciais, mas a qualidade e a tecnologia desses veículos também vão atender outros setores estratégicos do Estado”, disse.

“Foi uma abertura inédita e em tempo recorde para tirar um projeto desse porte do papel. É um grande momento para a indústria tcheca, porque nossa economia é orientada para a exportação e este pode ser o primeiro passo para conquistar novos mercados, não apenas o brasileiro, mas também a América Latina e outros países. E para o Paraná também é um processo interessante, porque não é apenas uma fábrica e novos modelos de caminhões que vêm para o Estado, mas são empregos, novas tecnologias e outros potenciais investimentos”, disse embaixadora da República Tcheca no Brasil, Sandra Lang Linkensederová.

Início da produção

Após a finalização da construção da fábrica, a montagem dos veículos vai começar em sistema CKD, onde a Tatra europeia envia caminhões parcialmente desmontados para a finalização da montagem no Brasil. A nova fábrica tem capacidade de produção para até mil caminhões por ano, mas a empresa espera, inicialmente, produzir cerca de 100 unidades por ano.

Futuramente, a empresa planeja a produção completa dos veículos no Brasil, com todas as etapas de desenvolvimento, fornecimento de componentes e montagem sendo realizados no país.

Além dos modelos Phownix 6×6, apresentados ao governador, a empresa também vai produzir modelos 8×8, com versões voltadas para os setores de mineração, produção florestal e sucroalcooleiro, e de veículos pesados para as áreas militares e de defesa.

A produção atenderá os mercados brasileiro, sul-americano e a África, e a expectativa de volume de negócios deve ultrapassar R$ 500 milhões nos próximos anos.

“Existe uma demanda grande pelos modelos off-road no Brasil, que não circulam nas estradas e são utilizados por aqueles setores que exigem veículos de alta tração, como a área florestal, de mineração e sucroalcooleira. A suspensão desses caminhões é totalmente diferente de qualquer outro modelo fabricado no Brasil, e atende a uma necessidade do mercado nacional. São modelos totalmente diferenciados”, explicou o presidente da TatraBras, Rui Lemes.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro | Fotos de José Fernando Ogura

COMENTAR
CLIQUE AQUI PARA PARTICIPAR DO NOSSO CANAL DO TELEGRAM

8 comentários

Gilvanteixeiramanaus@gmail.com.br 27/06/2021 - 15:58

E bem vindo mais opção que o Ford Cargo, não fabrica mais no Brasil, o Invec me falaram que só na Argentina. Scania só com credito do BNDS, Banco de fumento, termos que rodar com Kuibi…

Reply
Gilvan Teixeira 27/06/2021 - 14:58

Bem vindo esse tipo de caminhão que no Brasil tem mercado mais no Brasil tem muita imposto & lei tenho um trasportadora que faz Manaus a Boa Vista os gardas da policia Federal para o caminhão para medir se esta com excesso de tamanho, só pode trafegar caminhão frontal. O bicudo da excesso com careta de 15 metros… kkk .

Reply
ANTONIO EZEQUIEL DE ARAUJO NETO 21/06/2021 - 09:47

Paulo, concordo inteiramente com você. E quem oferecer cabines mais espaçosas e confortáveis, certamente vai deixar a concorrência pra trás. É a famosa lei do mercado. Temos que fazer como os americanos: simplesmente boicotam, não compram.

Reply
Paulo 20/06/2021 - 18:36

Estão achando que os motoristas tem que andar que nem sardinha expremidos, vão tratar de botar cabina mais espaçosas ao invés de colocar estas caixas de fósforo, está que nem a Renault com o kwid.

Reply
josé fernandes 20/06/2021 - 13:11

Modelos off- road, talvez consiga conquistar mercado

Reply
Sancler 20/06/2021 - 07:46

Não está na hora de defender uma cabina mais ampla com mais espaço como os caminhões americanos
Para o conforto dos motoristas.

Reply
Antonio Ezequiel de Araujo Neto 20/06/2021 - 07:09

Bem – vinda a TATRA, que escolheu o Brasil para montar sua primeira fánrica no mundo fora da República Tcheca. Torçamos que a Empresa tenha sucesso, gere empregos, renda e dispute mercado com as demais. Os derrotistas de plantão e os palpiteiros ignorantes vão se frustrar.

Reply
André cStro 19/06/2021 - 20:09

Vai ser mais uma sinotruck no Brasil, aí entra fixa um tempo e depois xau , sem suporte o cliente que compra ( só acho…)

Reply

Deixe um comentário sobre o tema!

%d blogueiros gostam disto: