Atron Série Especial vira item de coleção da Luxafit Transportes

por Blog do Caminhoneiro

Em junho de 2020, a produção do último caminhão da linha HPN aconteceu em junho de 2020. No final da linha de produção, a Mercedes-Benz selecionou doze unidades do modelo, para a criação da série especial de despedida “#OCAMINHÃOQUEFEZHISTÓRIA”.

Os doze veículos foram entregues para os proprietários com numeração, certificado da série especial e outros itens exclusivos, e contam com pintura especial, rodas de alumínio, climatizador, geladeira e rádio com entrada USB. O motor que equipa o modelo é que o transformou em um sinônimo de robustez é o consagrado OM 457 LA, de 345 cavalos de potência, com torque de 1.450 Nm, aliado à transmissão manual ZF 16S-1650, e o robusto eixo traseiro HL7, com redução nos cubos. A suspensão é metálica e a capacidade máxima de tração é de 50 toneladas. O modelo conta ainda com o Top Brake.

Avaliado em R$ 340 mil por unidade, o Atron 1635 Série Especial já foi entregue a todos os proprietários, sendo um deles a  Luxafit Transportes, que não usará o caminhão, mas deixará o veículo em um galpão, como um item de coleção, junto com outras raridades.

Além da exclusividade de fábrica do modelo, a empresa optou por personalizar ainda mais o caminhão, junto à empresa Charada Film & Suspensão a ar, onde o veículo recebeu buzina marítima, estofado dos bancos e cama com os logo Luxafit Transporte, suspensão a ar, polimentos das rodas e muito mais.

“Quando a Mercedes-Benz lançou o primeiro caminhão com gerenciamento eletrônico, eu me apaixonei. Tinha cabine bicuda e me lembro como se fosse hoje. Comprei um 1938 e também um 1620, foram meus primeiros caminhões zero km. Depois disso, tive vários bicudos ao longo dos anos”, disse Antônio Francisco Pacheco, sócio da Luxafit Transportes.

Para ele, um caminhão com esse peso histórico não é feito para rodar, mas para ser um item de coleção.

“Esse Atron não foi comprado para rodar. Ele fica agora num galpão, junto com outras relíquias. Tenho uma coleção de carros antigos, que costumo exibir para amigos e colegas transportadores. O Atron Série Especial eu comprei no nome do meu filho, Guilherme, de 23 anos, que sempre foi apaixonado por esse universo. Espero que daqui a 18 anos ele também realize um sonho como o meu. Não comprei um caminhão, comprei a história”, finaliza Antônio.

Fotos da Série Especial Atron

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Deixe um comentário!